Sabemos que Deus age em todas as coisas para o bem daqueles que o amam, dos que foram chamados de acordo com o seu propósito.
Romanos 8:28

terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

Ferramenta do COFEN possibilita dimensionamento da categoria



O Conselho Federal de Enfermagem (COFEN) disponibiliza para acesso uma ferramenta para o cálculo e dimensionamento do número de profissionais de Enfermagem espalhados pelo país, chamada de e-dimensionamento.
É possível realizar o cálculo por unidades distintas para as categorias de enfermagem. A ferramenta é um importante facilitador para o profissional de Enfermagem demonstrar o quantitativo da relação profissional/paciente da sua realidade.
Para acessar o serviço é necessário que o profissional preencha um cadastro.
Conheça a ferramenta e envie suas sugestões para melhorias. Confira a ferramenta no link: e-dimensionamento

Acesse http://189.75.118.68:86/eDimensionamento/login.seam  preencha o formulário e comece a utilizar o programa.

fonte: http://inter.coren-sp.gov.br/node/9464

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

Video - Propedêutica de Enfermagem Exame do Aparelho Cardiovascular .




video


Propedêutica de Enfermagem
Semiologia de Enfermagem
Exame do Aparelho Cardiovascular

fonte: http://www.youtube.com/watch?v=HMnccqCv_-o

Assista o Video - Enfermagem no Domingo Espetacular


video



fonte: http://www.youtube.com/watch?v=t98pHS4BgpU

O que é Gangliosidose?



As gangliosidoses são doenças hereditárias causadas pela falta de uma enzima celular que deveria degradar substâncias chamadas gangliosídios presentes nas células. Os gangliosídios são glicoesfingolipídios, material celular formado por açúcar e gordura.
Quando os gangliosídios não são quebrados, eles vão se depositar principalmente no cérebro, no fígado e no baço. Este depósito será responsável pelo surgimento dos sinais e sintomas característicos da doença.
As gangliosidoses são divididas em dois grandes grupos: gangliosidose GM1 e gangliosidose GM2.

Gangliosidose GM1

A Gangliosidose GM1 é uma doença de armazenamento celular causada pela deficiência da enzima beta-galactosidase. Se esta enzima é deficiente ou não funciona, ocorre simultaneamente o acúmulo de gangliosídio GM1 nas células do cérebro e de outras substâncias à base de açúcar e gordura em outros tecidos do corpo.
O acúmulo cerebral de GM1 dará origem principalmente às complicações neurológicas enquanto que o acúmulo de outros açúcares com gorduras será responsável pelas alterações viscerais e esqueléticas provocadas pela doença.
Do ponto de vista clínico, a gangliosidose GM1 pode ser dividida em início infantil, início infantil tardio ou juvenil e início na vida adulta.
Na gangliosidose GM1 de início na infância, os sintomas são notados nos primeiros dias de vida da criança. Flacidez muscular, atraso no sustento da cabeça e diminuição da atividade e do alerta já são identificados nas primeiras semanas. Atraso do desenvolvimento neuropsicomotor já é claramente percebido antes do terceiro mês de vida, acompanhado geralmente por dificuldade na alimentação e falência de crescimento. Muitas crianças apresentam face arredondada e inchaço das extremidades.
Após alguns meses, a criança apresenta movimentos oculares involuntários, crises convulsivas e alteração motora. Os sinais não neurológicos da doença são o aumento do volume do fígado e do baço, alterações esqueléticas e no sangue. Cerca de 50% dos pacientes apresentam também mancha vermelho-cereja na retina. A sobrevida média é de dois anos de idade e a morte geralmente é causada por falência respiratória e infecções.
Na gangliosidose GM1 de início tardio na infância, ou juvenil, os sintomas geralmente se iniciam ao redor do segundo ano de vida.
Dificuldade e distúrbio da marcha com quedas frequentes são os primeiros sinais identificados. Logo em seguida surgem mostras de regressão neurológica como perda do propósito do movimento dos braços, perda da habilidade da fala, incapacidade de permanecer em pé e de sentar sem apoio e deterioração mental.
A criança passa a ter dificuldade para engolir, alteração motora e convulsões. De forma geral, não são identificadas alterações na retina, na face ou no esqueleto. A sobrevida média é de três a dez anos e a morte geralmente ocorre por broncopneumonia.
A forma de apresentação da gangliosidose GM1 de início na vida adulta se caracteriza por uma evolução crônica e lenta que pode atingir os pacientes desde os quatro anos de idade até a vida adulta. Os sinais neurológicos identificados são a dificuldade de articulação da fala e os espasmos musculares. Falta de coordenação dos movimentos voluntários, contração muscular brusca e involuntária, mancha vermelho-cereja na retina e aumento do volume de vísceras como fígado e baço não são achados comuns.
O diagnóstico da gangliosidose GM1 é baseado na medida da atividade da enzima beta-galactosidase em sangue ou em células da derme, a segunda camada da pele, os fibroblastos, cultivados. Nos pacientes com gangliosidose GM1, a atividade da enzima está muito baixa ou impossível de ser detectada.

Gangliosidose GM2

A gangliosidose GM2 é um grupo de doenças caracterizadas pelo acúmulo de gangliosídio GM2 e algumas substâncias à base de açúcar e gordura nas células do cérebro e, em menor extensão, nos órgãos e tecidos do corpo. Normalmente a quebra do GM2 depende de duas enzimas: a hexosaminidase A e a hexosaminidase B, e da proteína ativadora do GM2.
A deficiência na atividade da enzima hexosaminidase A leva a uma doença chamada Doença de Tay-Sachs que também é conhecida como gangliosidose GM2 de início tardio. A falta de ambas as hexosaminidases (A e B) leva a apresentação infantil e juvenil da Doença de Sandhoff.
O diagnóstico da gangliosidose GM2 é baseado na medida da atividade das enzimas hexosaminidases A e B em sangue ou em células da derme, a segunda camada de pele, fibroblastos, cultivados. Nos pacientes com gangliosidose GM2, a atividade destas enzimas está muito baixa ou é impossível detectá-la.

Doença de Tay-Sachs

A Doença de Tay-Sachs é causada pela deficiência da enzima hexosaminidase A, o que leva ao acúmulo do gangliosídio GM2 em células do cérebro. Clinicamente, a enfermidade se manifesta por reação aumentada a ruídos e sons, revelando uma resposta acústica anormal, deterioração neuropsicomotora, importante flacidez muscular, cegueira, convulsões e mancha vermelho-cereja na retina. As vísceras e o esqueleto não são comprometidos.
A doença é extremamente agressiva ao Sistema Nervoso Central e a sobrevida média do paciente não ultrapassa três a cinco anos de idade.

Doença de Sandhoff

A Doença de Sandhoff é causada pela falta conjunta das enzimas hexosaminidase A e hexosaminidase B. Isso leva ao acúmulo de gangliosídio GM2 e outros açúcares e gorduras nas células, trazendo sinais semelhantes aos já descritos na Doença de Tay-Sachs. Podemos encontrar também aumento do volume do fígado e do baço e alterações esqueléticas.

Tratamento das gangliosidoses

Atualmente, não existe um tratamento específico e curativo para os pacientes com gangliosidoses. Medidas de suporte visando o controle das complicações são indicadas. O uso de medicamentos para o controle das crises convulsivas, o manejo dos espasmos musculares e o suporte nutricional adequado podem melhorar a qualidade de vida dos afetados.
Experiências em animais com Terapia de Redução de Substrato (TRS) mostraram uma futura e promissora abordagem terapêutica para estes pacientes. Outras formas de tratamento como o uso de proteínas auxiliares, terapia de reposição enzimática por via endovenosa, transplante de medula óssea e terapia genética estão em estudo, ainda sem o sucesso desejado para o controle da doença.
fonte: http://www.neurolipidoses.com.br/pacientes/sobre_neurolipidoses/gangliosidoses
fonte imagem: Google imagens

terça-feira, 19 de fevereiro de 2013

Baixe aplicativos gratuitos na área de saúde




A indústria farmacêutica Bayer Health Care oferece uma lista de aplicativos gratuitos para quem se preocupa com a saúde e o bem-estar próprio e da família. Todos eles podem ser baixados no site da marca. Interessados só devem checar a disponibilidade de cada um para iPad e iPhones.
Veja lista de apps disponíveis:
GlicoCare: o programa serve como ferramenta de acompanhamento para diabéticos. Entre as ações, existe a opção de controle de mediações de glicoses diárias, registro de refeições, base de dados, entre outros. O objetivo do aplicativo é facilitar a rotina de cuidadores e pacientes.
Hora da Pílula: como o próprio nome já diz, o aplicativo em questão é o amigo das mulheres esquecidas. Basta agendar o dia em que a tabela de comprimidos anticoncepcionais começou a contar, marcar o horário correto e deixar o resto por conta do programa.
Meu Diário Mensal: como uma pequena agendinha, mulheres preocupadas com seus processos de ovulação podem utilizar o aplicativo para fazer anotações, comparar níveis de dores e consultar informações preciosas relativas ao assunto.
Serviço de Apoio BetaPlus: pacientes com esclerose múltipla contam agora com uma ajudinha de um aplicativo especial que lembra dia e horário das aplicações do tratamento.
Já o Gravidez Semana a Semana auxilia no desenvolvimento do bebê e ajuda a mãe a entender a transformação do corpo dela. O Universo Médico Mobile atua como um verdadeiro bulário gratuito, recheado não só de bulas, mas também de artigos, aulas, atlas do corpo humano e informações variadas.Para conferir relatório completo de apps, confira o site da Bayer.

fonte: http://catracalivre.folha.uol.com.br/2012/11/baixe-aplicativos-gratuitos-da-area-de-saude/

quarta-feira, 6 de fevereiro de 2013

CALENDÁRIO DE VACINAÇÃO MENORES 6 ANOS




Ao nascer
BCG¹
DOSE ÚNICA
HEPATITE B²
1ª DOSE

2 meses
VIP
1ª DOSE
PENTA
1ª DOSE
ROTAVÍRUS³
1ª DOSE

3 meses
PNEUMOCÓCIA 10 VALENTE
1ª DOSE
MENINGOCÓCICA C
1ª DOSE

4 meses
VIP
2ª DOSE
PENTA
2ª DOSE
ROTAVÍRUS³³
2ª DOSE

5 meses
PNEUMOCÓCIA 10 VALENTE
2ª DOSE
MENINGOCÓCICA C
2ª DOSE

6 meses
VOP
3ª DOSE
PENTA
3ª DOSE

7 meses
PNEUMOCÓCIA 10 VALENTE
3ª DOSE

9 meses
FEBRE AMARELA
1ª DOSE

12 meses
TRÍPLICE VIRAL
1ª DOSE
MENINGOCÓCICA C
REFORÇO

15 meses
VOP
1º REFORÇO
DPT
1º REFORÇO
TRÍPLICE VIRAL
2ª DOSE
PNEUMOCÓCIA 10 VALENTE
REFORÇO



5 anos
VOP
2º REFORÇO
DPT
2º REFORÇO



¹ Caso a BCG e a Hepatite B não tenha sido aplicadas na maternidade, aplicar nas primeira visita ao serviço de saúde. 
²A vacina contra hepatite B deve ser administrada preferencialmente nas primeiras 12 horas de vida, ainda na maternidade. O intervalo mínimo entre a 1ª e a 2ª dose é de 30 dias. Todas as pessoas a menores de 29 anos devem ter 3 doses contra Hepatite B
³Idade máxima para a primeira dose é de 3 meses e 15 dias.
³³ Idade máxima pra a segunda dose é de 7 meses e 29 dias.
Todas as pessoas devem receber a vacina a cada 10 anos, estamos em região endêmica.
Todas as crianças menores de 6 anos devem ter 2 doses de Tríplice Viral.

SORTEIO BOLSA INTEGRAL CURSO PICC FUTURA CURSOS




O Sorteio será de uma bolsa integral de cada curso:


Curso Picc Brasília 09 e 10 Março 2013

Curso Picc Uberaba 27 e 28 Abril 2013 

Curso Picc Uberlândia 01 e 02 Junho 2013




PARA  PARTICIPAR DO SORTEIO: 

Escreva o seu nome completo, e-mail, cidade e estado, cidade que quer realizar o curso, abaixo, como se fosse um comentário. 

Os sorteios serão feitos pelo Random (http://www.random.org/). As inscrições serão aceitas até um dia antes do sorteio. O vencedor tem 2 dias para responder o e-mail, caso contrário, será feito novo sorteio.

Sorteio:

Curso Picc Brasília 09 e 10 Março 2013 será realizado dia 04 de março


Sorteio:


Curso Picc Uberaba 27 e 28 Abril 2013 

será realizado dia 22 de Abril



Sorteio:


Curso Picc Uberlândia 01 e 02 Junho 2013 será realizado dia 27 de maio



As bolsas dos cursos sorteados são cortesias da nossa parceira FUTURA CURSOS(http://cursosfutura.com.br/). 0800 771 7012

Conteúdo programático do curso PICC:

Um curso para capacitar e habilitar profissionais da saúde ( Enfermeiros e alunos do último ano de Enfermagem) para inserção, manutenção e retirada do PICC; Prevenir, reconhecer, identificar e tratar as possíveis complicações relacionadas ao PICC.

Objetivos:
- Habilitar profissionais da Saúde para Inserção,Manutenção e Retirada do CCIP nas modalidades adulto /Neo/Ped;

- Reconhecer, Identificar e Tratar possíveis complicações relacionadas ao CCIP;

- Discutir estratégias para implantação do uso do CCIP nos Serviços de Saúde.

Público Alvo: Enfermeiros e Graduandos do último período de Enfermagem 

Programa

1º dia 8:00 – Abertura e entrega de materiais

8:15 – Histórico da terapia intravenosa/Qualificação Profissional

9:00 – 10:00 A qualidade da terapia intravenosa baseada na ética e na segurança

10:00 – 10:15 Coffee break

10:15 – 11:00 Conceito de PICC/Indicação x Contra indicação

11:00 – 13:00 Anatomia dos vasos sanguíneos

13:00 – 14:00 Almoço

14:30 – 15:00 Propriedades das soluções intravenosas

15:00 – 15:30 Seleção do cateter

15:30 – 16:15 Coffee-Break

16:15 – 17:00 Complicações relacionadas ao Picc e Intervenções de Enfermagem

17:00 – 18:00 Cuidados de manutenção e remoção/Protocolos

2º dia 8:00 – 09:30 Infecção relacionada ao Picc

9:30 – 09:45 Coffee break

09:45 – 12:00 Demostração praticada Inserção

12:00 – 13:00 Almoço

13:30 – 16:30 Aula prática de inserção do PICC

16:45 – 17:30 Avaliação escrita

18:00 Encerramento

MATERIAL FORNECIDO: 01 apostila de pré-estudo, 01 apostila impressa colorida, 01 CD didático e 01 certificado.


PARTICIPE!, INSCREVA-SE E TORÇA PARA GANHAR UMA BOLSA TOTALMENTE GRÁTIS!!

PARA  PARTICIPAR DO SORTEIO: 


Escreva o seu nome completo, e-mail, cidade e estado, cidade que quer realizar o curso, abaixo, como se fosse um comentário. 

Essas informações são necessárias para se você for sorteado(a) podermos entrar em contato. 

BOA SORTE!



terça-feira, 5 de fevereiro de 2013

PÓS GRADUAÇÃO NA ÁREA DE SAÚDE - FAÇA EM 1 ANO!

PÓS GRADUAÇÃO NA ÁREA DE SAÚDE - FAÇA EM 1 ANO!







(71) 3444-7971 / (71) 3240-7171

Local de realização: Salvador/BA 

Sede: Av. Juracy Magalhães Júnior, 1388, Rio Vermelho.
           Salvador-BA - CEP: 41940-060


http://www.atualizacursos.com.br/

Dicas de Primeiros Socorros em Casos de Acidentes com Animais Peçonhentos






O que são animais peçonhentos?


São animais que, por meio de um mecanismo, são capazes de injetar em suas presas uma substância tóxica produzida em seus corpos, diretamente de glândulas especializadas (dente, ferrão, aguilhão) por onde passa o veneno.

Exemplos de animais peçonhentos:

Cobrasaranhasescorpiões, lacraiastaturanas, vespas,formigasabelhas e marimbondos.

DICAS DE PRIMEIROS SOCORROS
O QUE FAZER:

- Lavar o local da picada somente com água e sabão.
- Manter o acidentado em repouso, deitado, se a picada tiver ocorrido no pé ou perna, mantenha a parte do corpo atingida em posição horizontal, evite que a pessoa ande ou corra.
Remover anéis, pulseiras e outros objetos que possam prender a circulação sanguínea, em caso de inchaço do membro afetado.
- Acionar o serviço de emergência local ou levar o acidentado o mais rápido possível a um serviço de saúde.
Tentar identificar que tipo de animal atacou a vítima, observando cor, tamanho e características.
Se possível, levar o animal causador do acidente para identificação.
No caso de acidentes causados por escorpiões, aranha-armadeira e viúva-negra, recomenda-se fazer compressas mornas no local e analgésicos para alívio da dor.
Cobrir o local com um pano limpo.

OBS: O prazo para um atendimento adequado é muito difícil de ser estabelecido, porém o tempo decorrido entre o acidente e o tratamento é um dos fatores determinantes para um bom prognostico.



O QUE NÃO FAZER

- Não cortar o local da picada. Existem alguns venenos que podem provocar hemorragia e o corte poderá aumentar o sangramento.
Não espremer o local da picada.
- Não oferecer bebida alcoólica, querosene, nem outros líquidos  pois além de não neutralizar a ação do veneno poderão causar intoxicação.
- Não chupar o local da picada, não se consegue retirar o veneno do organismo após a inoculação além de que pode piorar as condições do local que foi picado.
- Não fazer torniquete, não amarre o local, pois irá dificultar a circulação sanguinea, podendo causar necrose ou gangrena, e não irá impedir que o veneno seja absorvido.
- Não colocar substancias no local da picada como folhas, querosene, pó de café, entre outros, essas substancias não impedem que o veneno seja absorvido, pelo contrário podem piorar a lesão.


PREVENÇÃO DE ACIDENTES COM ANIMAIS PEÇONHENTOS

Não acumular entulho, lixo doméstico, ferro velho, telhas e tijolos, mantendo limpo quintais, jardins e terrenos baldios;
-O lixo deve sempre ser mantido fechado em sacos plásticos;
Ao aparar a grama, recolher as folhas caídas;
Ao trabalhar com construção, usar luva de raspa de couro para proteção;
Fazer a limpeza de locais com vasta folhagem, usando botas, luvas e calças compridas;
Por telas nas janelas, vedar ralos de pia, tanque, chão e soleiras de portas com saquinhos de areia ou frisos de borracha;
Não manusear animais peçonhentos vivos ou mortos;
Manter berços e camas afastados da parede;
Bater colchões antes de usá-los;
Roupas, calçados e toalhas devem sempre ser examinados antes de usados;
Importantíssimo preservar os predadores naturais dos escorpiões: corujas, macacos, sapos, galinhas e gansos.


LEMBRE-SE SEMPRE:

SAMU: 192
CORPO DE BOMBEIROS: 193
POLICIA MILITAR: 190


 fontes:
http://animais-peconhentos.info/mos/view/Animais_Pe%C3%A7onhentos/index.html
http://www.anfarmag.org.br/integra.php?codigo=39
http://www.anvisa.gov.br/reblas/manual_primeiros_socorros.pdf

sexta-feira, 1 de fevereiro de 2013

PRIMEIROS SOCORROS EM CASOS DE QUEIMADURAS


O que é queimadura?
Queimaduras são lesões causadas por diversos agentes, que podem ser térmicos, elétricos ou químicos, que podem deixar cicatrizes e deformidades.

Profundidade da queimadura:






Primeiro grau (espessura superficial)
Afeta somente a epiderme, sem formar bolhas.
Apresenta vermelhidão, dor, edema e descama em4 a 6 dias.


Segundo grau (espessura parcial-superficial e profunda)
Afeta a epiderme e parte da derme, forma bolhas ou flictenas. 
Superficial: a base da bolha é rósea, úmida e dolorosa. 
Profunda: a base da bolha é branca, seca, indolor e menos dolorosa (profunda). 
A restauração das lesões ocorre entre 7 e 21 dias. 

Terceiro grau (espessura total)
Afeta a epiderme, a derme e estruturas profundas.
É indolor. 
 Existe a presença de placa esbranquiçada ou enegrecida. 
Possui textura coreácea. 
Não reepiteliza e necessita de enxertia de pele (indicada também para o segundo grau profundo). 

Extensão da queimadura - superfície corpórea queimada - Regra dos nove (urgência)

A superfície palmar do paciente (incluindo os dedos) representa cerca de 1% da superfície corpórea queimada.
Áreas nobres/queimaduras especiais:
Olhos, orelhas, face, pescoço, mão, pé, região inguinal, grandes articulações (ombro, axila, cotovelo, punho, articulação coxofemural, joelho e tornozelo) e órgãos genitais, bem como queimaduras profundas que atinjam estruturas profundas como ossos, músculos, nervos e/ou vasos desvitalizados.



Regra dos Nove em criança e adulto





Quais são os tipos de queimaduras?
Queimadura Térmica
Queimadura Elétrica
Queimadura Quimica

O que causa a queimadura térmica?
Está relacionada ao calor do fogo, alguns exemplos:
Chama do fogão
Fogueira
Incêndio

O que causa a queimadura elétrica?
Está relacionada a eletricidade, alguns exemplos:
Fios elétricos
Tomadas de luz
Eletrodomésticos

O que causa a queimadura química?
Está relacionada a produtos quimicos, alguns exemplos:
Ácidos
Produtos de limpeza forte
Remédios

Dicas Básicas de Primeiros Socorros em Caso de Queimaduras

Queimaduras Térmicas

Esfriar a queimadura com água fria, não utilize água gelada ou gelo;
Cobrir a queimadura com gase esterilizada ou pano limpo
Remover anéis, cintos, sapatos e roupas antes que o corpo fique inchado
Queimaduras no rosto, mãos e pés devem ser consideradas graves

OBS: Caso a roupa esteja grudada na pele, não remova, somente retirar a parte que não grudou, evitando a piora da lesão.
Aqueça a vitima

Queimadura Química

Imediatamente após o acidente, colocar a parte afetada em água corrente
Remover a roupa contaminada para evitar que o produto se espalhe para outras partes do corpo, fique atento socorrista use equipamentos de proteção, não seja mais uma vitima, ao manusear a vitima se assegure  de evitar ter contato direto com o produto químico.
Se o produto quimico afetou os olhos, enxaguar abundantemente com água corrente até que o socorro chegue.
Observar a respiração da vítima, faça curativo a fim de parar o sangramento se houver, cubra a lesão com compressa esterilizada ou pano limpo.
Aqueça a vítima.

Queimadura Elétrica

Não toque na vítima até a corrente elétrica ser desligada.
Chame o serviço de emergência local.
Todas as vitimas de lesões elétricas necessitam de cuidados médicos.

ATENÇÃO: Nunca utilize:
Pasta de dente
Pomada,
Ovo,
Manteiga,
Óleo de cozinha;
ou qualquer ingrediente ou substância, isso poderá complicar e infeccionar a queimadura, e dificultar o diagnóstico e tratamento.

Nunca se esqueça

SAMU - 192
CORPO DE BOMBEIROS - 193
POLICIA MILITAR - 190

fonte: http://www.proqueimados.com.br/
http://www.revistaemergencia.com.br/home/
http://portal.saude.gov.br/portal/arquivos/pdf/cartilha_queimaduras.pdf