Sabemos que Deus age em todas as coisas para o bem daqueles que o amam, dos que foram chamados de acordo com o seu propósito.
Romanos 8:28

quarta-feira, 30 de setembro de 2009

Programa de Residência em Enfermagem


O 6º Congresso Nacional de Residência em Enfermagem (6º CONARENF) foi aberto oficialmente, com a Conferência "Programa de Residência em Enfermagem: o relativismo entre as dimensões teóricas e práticas", da Profa. Jeanne Liliane Marlene Michel, e presidida pela Profa. Julita Correia Feitosa, vice-presidente do COFEN. A discussão inicial diz respeito ao Programa de Residência Integrada Multiprofissional em Saúde dos Hospitais Universitários (HUs) Federais, previsto para entrar em vigor em 2010. Trata-se de uma residência do Governo Federal para compor equipes multidisciplinares. "É importante também destacar a discussão de incluir na Comissão Nacional de Residência Multiprofissional, uma representação de conselhos profissionais", observa Profa. Julita. "Este é um dos motivos que nos moveu a trazer essa discussão ao Conaref."

Jeanne Liliane Marlene, coordenadora geral de Residências em Saúde do MEC, disse: "Nós temos de aprender a trabalhar de forma multidisciplinar. Enquanto estivermos isolados, a saúde não vai progredir". Um dos objetivos do programa é trabalhar os profissionais para que eles possam atender desde a atenção à comunidade até o ambiente intra-hospitalar de alta complexidade, envolvendo ainda a reabilitação. A meta do programa é proporcionar a maior integração das equipes de saúde, da saúde básica, redução do tempo de internação dos pacientes, humanização da assistência e a integração entre a Residência médica e a Residência multiprofissional, além de um alinhamento às demandas do SUS.

Para Liliane Souza, estudante de enfermagem de Campinas (SP), uma das congressistas presentes, a palestra deu-lhe um outro significado. "Para nós que estamos nos formando, esta é uma alavanca essencial. A gente sai da universidade com a sensação de que está faltando algo e, por meio desse programa de Residência, a Enfermagem não vai ficar só. Estaremos integrados com outros profissionais".

Nesta quarta-feira, último dia do CONARENF, a Profa. Julita convida os congressistas a participarem das palestras sobre Avaliação por competências e a Enfermagem baseada em evidências. "Lembro que o nosso encontro é uma prática da integração em rede. O evento tem seis anos, enquanto o CBCENF tem 12. Isso é uma integração em benefício do profissional de Enfermagem".

fonte:http://www.portalcofen.gov.br/2007/materias.asp?ArticleID=9995§ionID=38

terça-feira, 29 de setembro de 2009

Cientistas estudam uso de veneno de aranha contra a impotência


O veneno de uma aranha brasileira pode servir de base para o tratamento da disfunção erétil – ou impotência sexual –, segundo estudo apresentado este mês na Conferência da Associação Americana do Coração. De acordo com os pesquisadores, a picada da aranha armadeira (Phoneutria nigriventer) “pode causar priaprismo, uma ereção potencialmente prejudicial e dolorosa que pode durar muitas horas e levar à impotência”. E esse efeito poderia ser a base de um novo tratamento contra o problema sexual.

Na pesquisa, cientistas brasileiros e americanos purificaram uma toxina do veneno da aranha e a testaram em roedores. E os resultados mostraram que essa toxina causa uma reação química em cadeia que ajuda a melhorar o fluxo sanguíneo em tecidos do pênis – o que ajudaria a tratar a impotência sexual. “Essa toxina poderia ser importante para o desenvolvimento de novos agentes para o tratamento da disfunção erétil”, concluíram os autores.
fonte:http://gazetaweb.globo.com/v2/noticias/texto_completo.php?c=186464

Samu 192 Rio Grande abre novo período de inscrições para profissionais


A Secretaria Municipal da Saúde (SMS) informa que a partir de hoje, 28, estará recebendo currículos de profissionais interessados em uma vaga temporária – pelo período de 180 dias – para o Samu 192 Rio Grande. Há vagas disponíveis para motoristas (CNH categoria D), técnico em enfermagem, enfermeiro e médico. Os currículos podem ser enviados entre segunda e terça-feira, 29, no período das 13h30min às 17h, para o prédio da SMS, situado na rua Marechal Floriano, 5.

Para o cargo de motorista há 10 vagas disponíveis. Já para os cargos de técnico em enfermagem, enfermeiro e médico, são cinco vagas para cada, conforme edital. De acordo com o coordenador municipal das Urgências da SMS, Maicon Lemos, os interessados devem cumprir pré-requisitos em comum para todas as categorias profissionais, que são: experiência na área de Urgência e Emergência Pré-hospitalar; Cursos de Suporte Básico de Vida (BLS/PHTLS) e Cursos de Suporte Avançado de Vida (ATLS/ACLS), conforme prevê o edital. Os currículos devem apresentar as cópias das certificações dos cursos citados.

Após o, prazo final para a entrega, os currículos serão enviados pela Coordenação local para avaliação e seleção no Samu Estadual RS, em Porto Alegre, onde uma equipe técnica do Samu realizará a seleção por competências e experiências na área de urgência e emergência Pré-hospitalar.
Conforme Lemos, o próximo passo será o envio para Rio Grande da nominata com os profissionais com maior pontuação por competências e qualificações técnicas na área de Urgência e Emergência Pré-hospitalar, segundo critérios da portaria 2048/02, do Ministério da Saúde, que trata da Política Nacional de Atenção às Urgências. Mais informações pelo telefone 3035-8478 ou pelo e-mail samusalvar192@riogrande.rs.gov.br.


Currículos da primeira seleção continuam valendo

Os currículos entregues no primeiro período de cadastramento para o Samu, realizado em abril deste ano, participam do processo de seleção. No entanto, o candidato deve procurar a SMS nos dias da nova seleção (dias 28 e 29) para revalidar as informações e, se for o caso, acrescentar outros dados, alerta a secretária municipal da Saúde, Zelionara Branco. A secretária observou ainda que o objetivo daquela primeira seleção foi saber se haviam profissionais capacitados na região para atuar no Samu.
fonte:http://www.jornalagora.com.br/site/index.php?caderno=19¬icia=71401

Lançamento do Livro Observabusos


O Instituto Enfermeiros da Esperança lançará o livro Observabusos no Congresso Brasileiro dos Conselhos de Enfermagem (CBCENF), maior congresso do segmento na América Latina, que acontecerá entre os dias 29 de setembro e 02 de outubro, em Belo Horizonte. A cartilha ilustrativa, que já será vendida no evento, aborda a compreensão da enfermagem sobre a violência física, psicológica, econômica, institucional, dentre outras; contendo legislações e alertas sobre como o enfermeiro deve proceder caso encontre sinais de violência. O livro conta inclusive com a proposição de ficha de registro de atendimento das situações de violência sexual para os serviços de saúde. A construção do material pelas autoras Carmen Lupi, Claudia Dantas e Cristilliane Lemos contou com o apoio do COFEN (Conselho Federal de Enfermagem), do Programa Proficiência e do IBaC (Instituto Base de Conteúdos e Tecnologias Educacionais).
fonte:http://www.programaproficiencia.com.br/

FORÇA AÉREA BRASILEIRA ABRE CONCURSO COM VAGAS PARA ENFERMEIRO


A Força Aérea Brasileira está com inscrições abertas para o concurso para Estágio de Adaptação de Oficiais Temporários (EAOT).

Trata-se de um estágio, que será realizado durante 13 semanas, no Centro de Instrução e Adaptação da Aeronáutica (CIAAR), em Belo Horizonte (MG) e que, se concluído com aproveitamento, confere ao candidato aprovado o título de Segundo-Tenente, com salário inicial bruto de R$5.000,00 e designado a servir em Organização Militar da localidade escolhida no ato da inscrição, respeitando a classificação obtida no processo seletivo.

O concurso oferece vagas em diversas áreas, apenas para candidatos com curso superios. Para enfermeiros, há 14 vagas, divididas entre Recife (PE), Rio de Janeiro (RJ), São Paulo (SP), Canoas (RS), Brasília (DF) e Manaus (AM).

As inscrições vão até o dia 2 de outubro de 2009. Para mais informações e para conhecer o edital do concurso, acesse www.ciaar.com.br


Fonte: COREN-SP

Curso à distância e gratuito em Defesa Civil está com inscrições abertas



Estão abertas as inscrições para o Curso Operacional em Defesa Civil “Dengue: Preparando para a ação cidadã em Defesa Civil”. O objetivo é capacitar cerca de 10 mil profissionais em todo o País, expandindo o conceito de construção de comunidades mais seguras. O CODC é resultado de uma cooperação técnica entre a Secretaria Nacional de Defesa Civil (Sedec), do Ministério da Integração Nacional, e o Centro Universitário de Estudos e Pesquisas sobre Desastres da Universidade Federal de Santa Catarina (Ceped/UFSC). O curso é uma das ações preparatórias do V Defencil – Seminário Internacional de Defesa Civil, que acontece nos dias 18 e 19 de novembro, em São Paulo.

Em formato de estudo à distância com 45 horas/aula, a proposta de trabalho inclui a criação de um ambiente virtual de aprendizagem no qual os alunos poderão acessar conteúdos, discutir e trocar ideias e utilizar o suporte de tutoria. Um material didático impresso será fornecido aos inscritos para facilitar os estudos e a aplicação prática dos conteúdos. Desenvolvido para estimular a prática local de Defesa Civil, o curso vai problematizar a dengue como proposta de atividade prática.

Gestores locais de Defesa Civil, profissionais de segurança pública e lideranças comunitárias são o público principal do curso, que também está aberto a outros segmentos da sociedade. As inscrições são gratuitas e podem ser feitas pelo site www.ceped.ufsc.br até 5 de outubro.

V Defencil

O evento vai reunir diversos setores da sociedade para trocar experiências, discutir práticas de prevenção de desastres, debater a construção de políticas públicas sustentáveis e organizar as entidades envolvidas com Defesa Civil no País. O V Defencil é organizado por uma comissão formada pela Secretaria Nacional de Defesa Civil e pelas Coordenadorias Estadual e Municipal de Defesa Civil de São Paulo. A execução é do Centro Universitário de Estudos e Pesquisas sobre Desastres da Universidade Federal de Santa Catarina (Ceped/UFSC).

- Informações sobre o curso: codc@ceped.ufsc.br

Mais informações acesse: http://www.revistaemergencia.com.br/?__akacao=182923&__akcnt=d2d054e3&__akvkey=4ef5&utm_source=akna&utm_medium=email&utm_campaign=Emergncia%20News%20Ed.%2038/09

sábado, 26 de setembro de 2009

Intervenções do enfermeiro no pré-hospitalar


-Atuar sempre de acordo com o seu enquadramento legal, procurando assegurar, no
exercício das suas competências, a estabilização do indivíduo vítima de acidente
e/ou doença súbita, no local da ocorrência, garantindo a manutenção das funções
vitais por todos os meios à sua disposição;
- Garantir o acompanhamento e a vigilância durante o transporte primário e/ou
secundário do indivíduo vítima de acidente e/ou doença súbita, desde o local da
ocorrência até à unidade hospitalar de referência, assegurando a prestação de
cuidados de enfermagem necessários à manutenção/recuperação das funções
vitais, durante o transporte;
- Assegurar a continuidade dos cuidados de enfermagem e a transmissão da
informação pertinente, sustentada em registos adequados, no momento da
recepção do indivíduo vítima de acidente e/ou doença súbita, na unidade
hospitalar de referência;
- Garantir adequada informação e acompanhamento à família do individuo vítima de
acidente e/ou doença súbita, de forma a minimizar o seu sofrimento;


Só o enfermeiro pode assegurar os cuidados de enfermagem ao indivíduo, família e
comunidade, em situação de acidente e/ou doença súbita, da qual poderá resultar a
falência de uma ou mais funções vitais, pelo que deve integrar obrigatoriamente a
equipe de socorro pré-hospitalar.

Tratamento Pré-hospitalar do Traumatismo Abdominal


No trauma abdominal, a hemorragia constitui prioridade de tratamento, por ser cau-
sa de morte nas primeiras horas. Nenhum tratamento instituído na fase pré-hospitalar do atendimento vai conter a hemorragia de órgãos e estruturas abdominais. Em algumas vítimas, essa hemorragia é mais lenta e dá certa estabilidade inicial, mas, se não controlada, agrava as condições da vítima. Devemos nos preocupar em transportá-la o mais rapidamente possível ao hospital de referência, sem demora com medidas muitas vezes ineficazes, como acesso venoso e infusão de soro. O soro infundido na vítima sem prévio controle da hemorragia muitas vezes aumenta a perda de sangue. As medidas de acesso venoso e infusão de soro não devem retardar o encaminhamento da vítima, mas são úteis em casos de transporte a longa distância, que ultrapassem 10 minutos, e quando não retardem o atendimento definitivo.
Medidas a serem tomadas pelos socorristas para minimizar os danos do estado
de choque em decorrência do trauma abdominal:
● Desobstruir as vias aéreas permitindo boa ventilação.
● Ministrar oxigênio a 12 ou 15 litros por minuto.
● Elevar os membros inferiores (posição de choque).
● Aquecer a vítima evitando a hipotermia, que agrava o estado de choque.
● Controlar hemorragias externas de ferimentos ou imobilizar fraturas de
ossos longos, como fêmur e úmero, da maneira mais rápida possível, sem
retardar o transporte, para minimizar perdas adicionais de sangue.
● A calça antichoque, se disponível e com autorização do médico regulador e
supervisão do médico de intervencionista, pode, em algumas situações,
minimizar o estado de choque.

Em caso de evisceração (saída de vísceras por ferimentos abdominais), limpa
essas vísceras de detritos grosseiros com soro fisiológico e cobri-Ias com plástico esterili
zado próprio para esse fim ou com compressas úmidas a fim de isolá-las do meio ambien
te. Em hipótese alguma, tentar reintroduzir as vísceras no abdômen, porque o sangra
mento se agrava ou propicia o extravasamento de fezes.
Em casos de objetos que penetrem no abdômen, como pedaços de ferro, madeira
ou outros, nunca retirá-los. Corte-os, se necessário, e proteja-os para que não se movam
durante o transporte. Esses corpos estranhos só podem ser retirados em centro cirúrgico,
onde haja condições de controlar o sangramento.

sexta-feira, 25 de setembro de 2009

NOVO CÓDIGO ELEITORAL COMPLETA TRANSIÇÃO DEMOCRÁTICA COFEN/CORENS


Cumprindo mais um compromisso histórico assumido pelo plenário do COFEN, gestão "A Força da Mudança", após amplo processo de discussão e debate de 12 meses, que envolveu consulta pública, plenárias com CORENs e reuniões com os mais diversos segmentos profissionais, foi assinado hoje, 17 de setembro de 2009, o Novo Código Eleitoral dos Conselhos de Enfermagem.

O Novo Código resgata o caráter democrático nas eleições dos Conselhos de Enfermagem, possibilitando a participação ampla dos profissionais da área no processo de eleição para escolha dos dirigentes do sistema COFEN/COREN, o que torna o processo transparente e em consonância com os princípios republicanos que regem a vida política brasileira.

O presidente do Conselho Federal de Enfermagem, Dr. Manoel Neri, destacou que o Novo Código Eleitoral representa um passo importante para a enfermagem brasileira. Segundo ele, a categoria lutou durante muito tempo pela democratização do sistema COFEN/COREN, contra a consolidação de um grupo político capitaneado pelo ex-presidente do Conselho (preso durante a Operação Predador), que se utilizou, durante quase duas décadas, das distorções presentes no Código Eleitoral anterior, para se perpetuar no poder.

"O Novo Código Eleitoral deixa de ser uma caixinha de surpresas e passa a servir de instrumento vivo para garantir a democracia e o rodízio de poder do sistema COFEN/COREN", afirma o presidente do COFEN.

"A ampla publicidade na divulgação de todas as fases das eleições, a desburocratização dos procedimentos para inscrição de chapas, a votação preferencial por urna eletrônica, o fim do voto por correspondência e o amplo direito para que as chapas fiscalizem todo o processo eleitoral são os maiores avanços no novo regulamento", finaliza Dr. Manoel Neri.
fonte: http://www.portalcofen.gov.br/2007/materias.asp?ArticleID=9926§ionID=38

quinta-feira, 24 de setembro de 2009

Curso de atendimento ao politraumatizado ocorre em SP


São Paulo/SP - O Instituto de Ensino e Pesquisa do Hospital Sírio-Libanês promoverá em 21 de novembro o curso "Atendimento ao politraumatizado".

Dentre os temas abordados estarão: trauma de crânio e coluna cervical, trauma de tórax, trauma abdonminal, analgesia e sedação do trauma.

Durante a manhã as aulas serão teóricas e à tarde, apenas aulas práticas com as temáticas: abordagem, avaliação do trauma, cenário de múltiplas vítimas, imobilização e avaliação radiológica no trauma.

- Informações/inscrições: www.hospitalsiriolibanes.org.br
- Local: IEP - Instituto de Ensino e Pesquisa do Hospital Sírio-libanês. Rua Coronel Nicolau dos Santos 69. São Paulo/SP
- Data: 21 de novembro
- Carga horária: 8h30, realizado entre as 8h e 16h30.
- Coordenação: Prof. Dr. Dario Birolini, Prof. Dr. Renato Poggetti e Enf. Nilton Pereira Sobrinho
Fonte: Redação Revista Emergência

Amigdalite


Conceito

Amigdalas: são massas de tecido esponjoso linfóide, localizadas posteriormente e bilateral a garganta, tem como função proteção, ajudando na prevenção de infecções, além de serem responsáveis pela produção de anticorpos.

Amigdalite
Processo inflamatório localizado na mucosa que reveste a orofaringe e as amigdalas palatinas.
Podem ser de origem bacteriana ou viral. Se bacteriana, geralmente é causada pela bactéria Streptococcus pyogenes, sendo o tipo mais perigoso das infecções de garganta, ocasionando hipertermia e podem formar abcessos.

Contágio - O risco de contágio é elevado e geralmente por contato com os fluidos nasais ou da garganta de uma pessoa infectada. Assim, tanto a tosse como os espirros podem veicular partículas de secreções infectadas que são diretamente inaladas por quem estiver no seu trajeto.
Também os copos, talheres, e outros objetos que tiverem contato com as mucosas orais ou nasais dos doentes podem conter bactérias ou vírus.

Duração - O período de incubação, tempo que decorre entre o contágio e o aparecimento da doença é em média de sete dias nas amigdalites bacterianas por estreptococos.
Nos casos de amigdalites virusais esse período é muito variável, dependendo do tipo de vírus, e pode ir de horas até semanas.
O regresso das amígdalas e gânglios, ao seu aspecto e tamanho normal pode demorar semanas.


Sinais e Sintomas

-Dor de garganta que pode variar de leve a severa;
-Dor de ouvido;
-Dificuldade e dor para engolir;
-Calafrios e hipertermia;
-Cefaléia;
-Hálito alterado;
-Mudanças no paladar e olfato;
-Mialgia;
-Dor abdominal;
-Vômitos;
-Astenia;
-Aumento dos linfonodos cervicais;
-Abscesso amigdaliano ou retrofaringeo;
-Placas purulentas na garganta.

Complicações
Se não tratada, pode trazer complicações secundárias como febre reumática, surdez, problemas nos rins e coração. Pode levar a casos graves como septicemia e choque bacteriano.
Tratamento


Amigdalite viral
Sintomático
-Analgésicos
-Antitérmicos
-Hidratação
-Anestésicos antes da alimentação

Amigdalite bacteriana

1ª Opção
Penicilina benzatina < 25kg: 600.000U/ IM; dose única
>25 kg: 1200.000U/IM; dose única

Amoxicilina 40 a 50 mg/kg/dia, VO, 8/8 horas durante 10 dias
Penicilina V < 12 anos 400.000U/ dose, VO, 12/12 hrs, por 10 dias
> 12 anos 800.000U/dose, VO, 12/12 hrs, por 10 dias

Nos alérgicos á penicilina
Utilizado macrolídeos
Eritromicina 30 a 50 mg/kg/dia VO 6/6 ou 8/8 hrs por 10 dias

Azitromicina < 15 anos 10mg/kg/dia VO, dose única, por 5 dias
> 15 anos 500mg/dia, VO, dose única, por 5 dias


Claritromicina 15mg/kg/dia, VO 12/12 hrs por 10 dias


Indicações de Adenoamigdalectomia

-Obstrução respiratória alta importante, por aumento das adenóides ou das amigdalas com desconforto respiratório (apnéia do sono) acompanhada de hipoventilação pulmonar.
-Interferência na deglutição
-Suspeita de malignidade – aumento unilateral de amigdala

Cuidados de Enfermagem

Auxiliar na alimentação
Oferecer alimentos macios, como sopas, bebidas mornas, e chás
Realizar higiene da cavidade oral
Colocar anestésicos na cavidade oral antes da alimentação
Verificar sinais vitais, em especial a temperatura
Realizar medicação conforme prescrição médica

Escolas realizam atividades de conscientização na Semana Nacional do Trânsito


Estudantes da 2ª série do ensino médio do Distrito Federal vão aprender em sala de aula sobre legislação de trânsito. A iniciativa foi divulgada na sexta-feira, 18, durante a abertura da Semana Nacional de Trânsito, em Brasília.
Os jovens que participarem da capacitação no período escolar não precisarão fazer o curso teórico em centro de formação quando forem tirar a carteira de motorista, conforme a Resolução nº 265 de 2007, do Conselho Nacional de Trânsito (Contran).
O texto institui a legislação de trânsito como atividade extracurricular nas instituições de ensino médio do país. As aulas começam no mês que vem em duas escolas do DF. As demais instituições começam a remodelar o currículo escolar a partir do ano letivo de 2010.
“Como as escolas não se prepararam durante este ano em que a resolução entrou em vigor, o Detran se preparou para ir às escolas ministrar o curso. No ano que vem, vamos preparar um curso para capacitar os professores. Aí sim todas as escolas deverão oferecer a matéria”, disse o diretor-geral do Departamento de Trânsito do Distrito Federal, coronel Cezar Caldas.
A Semana Nacional de Trânsito, que ocorre em todo o país com o tema Educação no Trânsito, programa para os próximos dias atividades de conscientização por todo o país.
Fonte: Agência Brasil - 18/9/2009

Vacina experimental contra Aids reduz risco de contaminação


Pesquisadores americanos e tailandeses anunciaram nesta quinta-feira em Bangcoc terem desenvolvido uma vacina experimental que reduz em um terço o risco de infecção pelo vírus da Aids.

Para estudar a vacina, cientistas do exército dos Estados Unidos e do ministério da Saúde da Tailândia usaram mais de 16.000 voluntários, no maior teste de vacinação já realizado até hoje.

"É a primeira demonstração de que uma vacina contra o HIV (vírus da imunodeficiência humana) pode proteger contra a infecção", afirmou o coronel Jerome Kim, membro do programa de pesquisa do exército americano.

"Trata-se de um grande progresso científico e nos dá esperança de que, no futuro, seja possível uma vacina globalmente eficaz", acrescentou.

A vacina é uma combinação de duas formas anteriores que não haviam reduzido a contaminação de forma independente. Agora, os pesquisadores estão estudando por que as duas vacinas aparentemente funcionam juntas.

O estudo combinou a vacina ALVAC, fabricada pelo laboratório farmacêutico Sanofi-Aventis, da França, e AIDSVAX, originalmente desenvolvida pelo VaxGen e atualmente produzida sob licença pela Global Solutions for Infectious Diseases.

"Em 31,2% dos casos, a vacina reduz o risco de infecção", indica um comunicado dos pesquisadores.

"Este resultado representa um grande progresso, pois é a primeira vez em que há provas de que uma vacina contra o vírus da imunodeficiência humana tem eficácia preventiva", aponta o texto.

A vacina foi testada em voluntários - todos homens e mulheres HIV negativos de 18 a 30 anos - em duas províncias tailandesas perto de Bangcoc. Os testes começaram em outubro de 2003.

Metade deles recebeu a vacina, e a outra metade, um placebo. Dos voluntários que receberam o placebo, 74 de 8.198 foram infectados, contra 51 em 8.197 dos que foram imunizados com a vacina.

O ministro da Saúde tailandês, Witthaya Kaewparadai, disse que "o resultado deste estudo é um grande progresso científico".

A Aids tornou-se mundialmente conhecida em 1981, e desde então já causou a morte de pelo menos 25 milhões de pessoas em todo o planeta. Há atualmente 33 milhões de pessoas contaminadas com a doença.

O embaixador dos Estados Unidos na Tailândia, Eric John, indicou que o teste da nova vacina teve "resultados incríveis e nos levou um passo mais perto de uma vacina contra o VIH".

De Genebra, a Organização Mundial da Saúde (OMS) e a ONUSIDA expressaram nesta quinta-feira um otimismo prudente com a notícia.

"Ainda falta muito a fazer", alertaram as duas organizações, destacando que falta definir a duração da imunização, se a vacina poderia ser utilizada em outras partes do mundo e se é eficaz com outros subtipos do vírus da imunodeficiência humana (HIV).

A vacina tem "efeito protetor modesto" (31,2% das 16.000 pessoas estudadas na Tailândia), indicaram em um comunicado OMS e ONUSIDA, acrescentando, no entanto, que os resultados trazem "uma nova esperança".

De Paris, o Sanofi Pasteur (departamento de vacinas do grupo Sanofi-Aventis), considerou nesta quinta-feira que os testes da vacina constituem "uma primeira demonstração" de que uma vacina contra o HIV pode "se tornar realidade".

Além disso, os testes mostraram que o protocolo de vacinação estudado era "bem tolerado e parcialmente eficaz na prevenção da infecção pelo HIV", estimou em um comunicado o laboratório farmacêutico.
fonte: http://ultimosegundo.ig.com.br/mundo/2009/09/24/vacina+experimental+contra+aids+reduz+risco+de+contaminacao+8625914.html

quarta-feira, 23 de setembro de 2009

Falsos médicos são presos após atender policial


São Paulo - Dois falsos médicos foram presos hoje enquanto atendiam pacientes no Hospital e Maternidade Master Clin, em São Mateus, zona leste da capital. Segundo a Secretaria de Segurança Pública, os dois são bolivianos e atendiam cerca de 100 pacientes por dia. Eles utilizavam o registro médico de outros profissionais.

Yerko Bazan Antezana, de 29 anos, e Julio César Solares, de 28 anos, vão responder por falsidade ideológica e pratica ilegal de medicina. "Como são réus primários, devem pegar, no máximo, dois anos de prisão, além de serem expulsos do País", informou o delegado responsável pela investigação, Anderson Pires Giampaoli.

A investigação vinha sendo feita havia um mês por policiais da 2ª Delegacia de Saúde Pública (DPPC) e hoje uma investigadora foi atendida por um dos médicos, quando foi feito o flagrante. "Geralmente, essa prática ilegal é realizada em hospitais da periferia e por estrangeiros. Eles cursam medicina em países como Bolívia, Peru e Colômbia e vêm para cá trabalhar, sem ter a permissão necessária", disse o delegado.

Os proprietários do hospital não estavam no local na hora do flagrante, mas terão de prestar esclarecimentos à Polícia. Procurado, o hospital não atendeu as ligações da reportagem.

fonte:http://www.abril.com.br/noticias/brasil/falsos-medicos-sao-presos-atender-policial-537366.shtml

70 anos sem Freud, por Anette Blaya Luz


Completam-se hoje 70 anos de morte de Sigmund Freud, o pai da psicanálise. Nascido em Freiberg em 6 de maio de 1856, morreu em Londres às 3h da manhã do dia 23 de setembro de 1939, aos 83 anos. Manteve o controle de sua vida até o final. Encarou a morte com dignidade e sem autopiedade, conforme palavras de um de seus biógrafos, Peter Gay, que se refere a ele como “o velho estoico”.

A pedido de Freud, que estava exausto de lutar contra um câncer que o torturava havia mais de uma década, Max Schur, seu médico particular, aplicou-lhe uma derradeira dose de morfina, fazendo com que entrasse em um coma do qual não mais despertaria.

Descansava para a eternidade este que foi um dos homens mais importantes do século passado, cujas ideias seguem influenciando sobremaneira o pensamento da civilização atual. Mas suas ideias ficaram transitando entre nós também para a eternidade, pois não se pode imaginar hoje alguém que não saiba, por exemplo, que existe algo em nós chamado inconsciente.

A América existia muito antes de Cristóvão Colombo descobri-la. Tanto isto é verdade, que era habitada por inúmeras tribos de índios. O que Colombo fez foi torná-la conhecida. Freud, da mesma forma, não descobriu o inconsciente. Os poetas já o conheciam há muito tempo e nós mesmos já visitávamos nossos inconscientes toda vez que sonhávamos à noite.

Mas foi Freud quem deu nome ao inconsciente e descreveu sua importância nos destinos de nossos impulsos e desejos, portanto nos destinos da humanidade. Não somos tão senhores de nós mesmos como gostaríamos de crer. Nosso inconsciente é um fator fundamental na nossa constituição como sujeitos inseridos numa sociedade.

É importante lembrar a resistência que Freud encontrou quando propôs a importância da vida inconsciente, dos desejos edípicos e de nossas furiosas agressividades, tão poderosamente ocultas nas profundezas de nossa alma inconsciente.

Juntamente com Darwin, que revelou nossa ancestralidade primata, e com Copérnico, que nos tirou a ilusão de sermos o centro do Universo com sua teoria heliocêntrica, Freud também mostrou nossa pequenez frente às nossas pulsões inconscientes. Quem hoje em dia não sabe que tem um complexo de Édipo, para tomar somente um exemplo da grande influência que as teorias freudianas exercem no nosso cotidiano?

A grande maioria das orientações psicopedagógicas, das terapias dirigidas ao insight, se origina das teorias freudianas. Como acontece com os grandes homens, não temos mais Sigmund Freud vivendo entre nós, mas convivemos todos os dias com suas imortais ideias, teorias e ensinamentos.



fonte:http://zerohora.clicrbs.com.br/zerohora/jsp/default2.jsp?uf=1&local=1&source=a2662266.xml&template=3898.dwt&edition=13177§ion=1012

segunda-feira, 21 de setembro de 2009

Cruz Vermelha



SIMBOLOGIA
O símbolo da Cruz Vermelha é o terceiro símbolo mais conhecido no mundo. O emblema constituído por uma cruz vermelha em fundo branco foi adaptado em 1863. Trata-se da inversão das cores da bandeira Suiça, país de Henry Dunant, fundador do movimento. Em Portugal, o emblema encontra-se protegido por legislação própria e o seu uso exclusivo à Cruz Vermelha Portuguesa e aos serviços de saúde das Forças Armadas. O seu uso não autorizado é punido por lei, segundo o Decreto de Lei 16/96 de 24 de Janeiro.

PRINCÍPIOS
Para auxiliar a continuidade do Movimento gera-se a necessidade vital de se estabelecer princípios orientadores que paralelamente servem de fonte inspiradora do próprio movimento internacional da CV:

Humanização – esforça-se no sentido de prevenir e aliviar o sofrimento humano
onde quer que ele se verifique. Protegendo a vida e a saúde, e garantir o respeito pelo ser humano. Promovendo o entendimento mutuo, a amizade, a cooperação e a paz durável para todos.
Imparcialidade – não discriminar em função da nacionalidade, religião, ideologia extracto social ou pendor partidário. Empenhamo-nos no alívio do sofrimento humano, sendo somente guiados pelas carências dos mais vulneráveis, priorizando as situações de sofrimento mais urgente.
Neutralidade – não tomar partido por nenhuma das partes envolvidas nas hostilidades nem se envolver em controvérsias de natureza politica, religiosa ou ideológica.
Independência – as sociedades nacionais, embora auxiliadoras dos poderes públicos e sujeitas às leis dos respectivos países devem sempre manter a sua autonomia para que tenham a capacidade para actuar de acordo com os sete princípios, em qualquer situação.
Voluntariado – trata-se de um movimento assente no voluntariado e sem fins lucrativos.
Unidade – só pode existir uma sociedade nacional em cada país, a qual deve estar aberta a todos e alargar a sua actividade humanitária a todo o território nacional.
Universalidade – este movimento tem a sua acção a nível mundial e todas as suas sociedades nacionais assentam num estatuto igual e partilham as mesmas responsabilidades e deveres de entre ajuda.

mais informações: http://www.cv-amares.net/Portals/2/Gallery/hist_cv.htm

Dr. Enfermeiro


RESOLUÇÃO COFEN-256/2001




O Conselho Federal de Enfermagem-COFEN, no uso de suas competências e atribuições legais;

CONSIDERANDO que o uso do título de Doutor, tem por fundamento procedimento isonômico, sendo em realidade, a confirmação da autoridade científica profissional perante o paciente/cliente;

CONSIDERANDO que o título de Doutor, tem por fundamento praxe jurídica do direito consuetudinário, sendo o seu uso tradicional entre os profissionais de nível superior;

CONSIDERANDO que a exegese jurídica, fundamentada nos costumes e tradições brasileiras, tão bem definidas nos dicionários pátrios, assegura a todos os diplomados em curso de nível superior, o legítimo uso do título de Doutor;

CONSIDERANDO que a não utilização do título de Doutor, leva a sociedade e mais especificamente a clientela, a que se destina o atendimento da prática da enfermagem pelo profissional da área, a pressupor subalternidade, inadmissível e inconcebível, em se tratando de profissional de curso superior;

CONSIDERANDO que deve ser mantida a isonomia entre os profissionais da equipe de saúde, e que o título de Doutor é um complemento, ou seja, um "plus", quanto a afirmação de um legítimo direito conquistado à nível de aprofundamento de uma prática terapêutica, com fundamentação científica;

RESOLVE:

Art. 1º- Autorizar aos Enfermeiros, contemplados pelo art. 6º, incisos I, II, III, IV, da Lei 7.498/86, o uso do título de Doutor.

Art. 2º- Esta Resolução entra em vigor na data de sua publicação, revogando-se disposições em contrário.


Rio de Janeiro, 12 de julho de 2001

Gilberto Linhares Teixeira
COREN-RJ Nº 2.380
Presidente João Aureliano Amorim de Sena
COREN-RN Nº 9.176
Primeiro-Secretario

fonte: http://www.portalcofen.gov.br/2007/materias.asp?ArticleID=7087§ionID=34

SUS OFERECE BOLSAS DE ESTUDO PARA ESTUDANTES, PROFESSORES E PROFISSIONAIS DE SAÚDE



Alunos de graduação, professores e profissionais da Estratégia Saúde da Família (ESF) poderão receber bolsas com o objetivo que fomentar pesquisas no âmbito das atividades realizadas no campo da assistência oferecida aos usuários ESF. Essa é a proposta do Programa de Educação pelo Trabalho (PET-Saúde) que abriu as inscrições para novos projetos. A Secretaria de Gestão do Trabalho e Educação na Saúde publicou no Diário Oficial da União, o Edital PET-Saúde nº 18, que abre a seleção de projetos para os anos de 2010 e 2011. O edital saiu no dia 17 de setembro. O período para apresentação de propostas vai até 15 de janeiro de 2 010. Os resultados têm divulgação prevista para fevereiro de 2010.

Os selecionados pelo PET-Saúde receberão bolsas tendo como referência os valores pagos pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). Atualmente, o valor para as bolsas dos profissionais de ensino (Tutor Acadêmico e de Preceptor) é de R$ 1.045,89. Já a bolsa de incentivo para os estudantes é de R$ 300,00, correspondente ao montante da bolsa de iniciação científica. Outras informações sobre edital e processo seletivo estão disponíveis site do PET-Saúde (www.saude.gov.br/sgtes/petsaude) ou podem ser obtidas pelo e-mail: petsaude@saude.gov.br


O PET-Saúde foi instituído a partir de uma portaria conjunta dos Ministérios da Saúde e Educação e tem o objetivo de ampliar o diálogo entre as diversas instituições de ensino e órgãos governamentais envolvidos na atenção básica. O Programa serve como instrumento para qualificação em serviço dos profissionais da saúde, além de incentivar os estudantes na iniciação do trabalho, vivência, estágios e desenvolvimento de pesquisas a partir das necessidades dos serviços de saúde.

Poderão participar do processo de seleção as Instituições de Educação Superior (IES) públicas ou privadas sem fins lucrativos, em parceria com Secretarias Municipais de Saúde. Os projetos deverão contemplar os cursos de graduação da área da saúde, conforme Resolução CNS nº 287, de 08 de outubro de 1998, incluindo, necessariamente, o curso de medicina.

As IES que já participam do PET-Saúde e que tenham interesse em continuar a participar em 2010 e 2011 deverão apresentar novos projetos para concorrer ao edital. O edital está aberto também para a apresentação de novas propostas.

O primeiro edital, em 2008, para o exercício de 2009, selecionou 84 projetos, envolvendo 66 IES e 71 Secretarias Municipais de Saúde. Foram formados 306 grupos PET-Saúde, totalizando 5.814 bolsistas, nas três modalidades, tutoria (docente), preceptoria (profissional da Estratégia de Saúde da Família) e monitoria (estudante de graduação).
Fonte: Portal da Saúde

21 DE SETEMBRO, ANIVERSÁRIO DE 5 ANOS DO SAMU 192 JAÚ-SP


Parabéns a todos que contribuem para o funcionamento do SAMU 192, que a 5 anos atende a cidade de Jaú, com muita dedicação e carinho à população.
O SAMU 192 é o principal componente da Política Nacional de Atenção às Urgências, e tem como finalidade à redução de mortes, o tempo de internação em hospitais e as possíveis seqüelas decorrentes da falta de socorro imediato. O SAMU 192 está preparado para atender às urgências de natureza traumática, clínica, pediátrica, cirúrgica, gineco-obstétrica e psiquiátrica.

SAMU 192 Jaú
Endereço: Av. José de Maria de Almeida Prado 823
Bairro: Jardim Pedro Ometto
CEP: 17212-660
UF: SP
Tel: 192

sábado, 19 de setembro de 2009

APROVADA! COMISSÃO DE FINANÇAS E TRIBUTAÇÃO APROVA JORNADA DE 30 HORAS

Data Publicação: 16/9/2009 | 0:0

A Comissão de Finanças e Tributação da Câmara dos Deputados aprovou, na manhã de hoje (16), quase por unanimidade (apenas dois votos contrários), o P.L 2295/2000, que institui a jornada de 30 horas para os profissionais da Enfermagem. A matéria, em tramitação no Congresso Nacional há quase 10 anos, segue então para a Comissão de Constituição e Justiça, para em seguida ser votada em plenário.

A sua aprovação na CFT comprova o que foi visto durante a audiência pública realizada ontem (15), na Câmara dos Deputados, onde todos os parlamentares presentes manifestaram seu apoio ao projeto.

De acordo com o presidente do Conselho Federal de Enfermagem (COFEN), Manoel Carlos Neri da Silva, é importante agradecer o esforço dos deputados federais pela atenção destinada a uma causa tão importante para a categoria.

"Agradecemos de forma especial ao deputado Mauro Nazif, grande mobilizador desse projeto, e ao relator Ilderlei Cordeiro, pelo papel fundamental que exerceu para a aprovação da Comissão de Finanças e Tributação. Graças a eles, todos os profissionais de Enfermagem no Brasil comemoram agora mais uma etapa vitoriosa", destaca Dr. Manoel.

mais informações: http://www.portalcofen.gov.br/2007/materias.asp?ArticleID=9914§ionID=38

DOR NO PEITO, ANGINA E INFARTO


O tórax, o peito, é formado por um bom número de órgãos e tecidos que podem se manifestar por sensações dolorosas. Entre as dores mais temidas, estão as chamadas dores do coração e, dentre as quais, a angina do peito e o infarto são as que motivam maiores temores por serem as mais conhecidas e consideradas como as de maior probabilidade de serem fatais.

A angina pectoris é um tipo de dor que o paciente sente no peito, braço ou nuca e que aparece com a realização de esforços ou emoções ou mesmo sem fator provocador aparente. A angina é uma dor que provoca medo, daí o nome angina, que significa medo, angor em latim. É uma dor que costuma deixar o paciente imóvel, assustado e que dura poucos segundos.

A sensação de dor na angina é provocada pela diminuição do sangue que passa pelas artérias que irrigam o músculo cardíaco. Este é um sinal de que pouco sangue está irrigando o coração durante aquele momento, geralmente, durante algum esforço. Se o esforço diminuir ou cessar, a dor pode ceder. Se a pessoa continuar no esforço e a dor persistir pode significar que a angina progrediu para um estágio mais grave da doença, qual seja o infarto do miocárdio.

A falta de sangue relativa para um órgão denomina-se isquemia. Ao chegar pouco sangue para manter uma parte do músculo cardíaco suprido de oxigênio e nutrientes, esta parte pode funcionar menos bem, com menos força e provocar a dor denominada angina. A falta total de sangue para um tecido ou órgão em poucos minutos pode significar a morte deste tecido com a perda total da sua função. Caso uma porção maior do músculo cardíaco deixa de receber sangue, o coração pode tornar-se incapaz de manter o sangue circulando e o paciente pode morrer. Se o paciente sentir dor é porque ainda existe músculo vivo, pois um músculo morto não doe. Em torno de uma parte morta do músculo cardíaco, pode haver uma parte lesada e isquêmica viável, que merece todos os esforços para ser conservada viva.

O infarto do miocárdio acontece quando uma parte do músculo cardíaco deixa de receber sangue pelas artérias coronárias que a nutrem. Esta falta de sangue leva o músculo à morte. Nessa situação clínica, a dor pode ser de maior ou menor intensidade e costuma ser acompanhada de outras manifestações: piora e maior duração da dor,
a pressão do paciente cai,
ele sua muito, fica pálido, inquieto, tem a sensação de morte iminente;
por fim, o paciente apresenta confusão mental até a perda total da consciência e morte, caso não houver um pronto atendimento.


A maioria dos pacientes que morre do infarto não chega a ter atendimento médico. Existem infartos mais ou menos graves, a gravidade depende da extensão, da localização, da idade do paciente, além de outras doenças concomitantes que podem agravar a doença. Infartos pequenos, que lesam menos músculo cardíaco têm melhor prognóstico: quanto maior a lesão do coração maior chance do paciente morrer.
Infartos que atingem regiões importantes do coração, como o local onde se geram os estímulos cardíacos e infartos que provocam arritmias, costumam ser mais graves.
Pacientes idosos de maneira geral toleram melhor um infarto do que as pessoas jovens que não desenvolveram uma circulação colateral, como os idosos onde a doença isquêmica já existe há mais tempo.
Outras doenças concomitantes, como diabete, enfisema, hipertensão arterial, podem piorar um prognóstico.


A grande maioria dos casos de morte súbita é provocada pelo infarto do miocárdio.

Pequena digressão histórica

Seguidamente, os médicos escutam de seus pacientes que o pai ou avô ou alguma tia morreu de angina. Ora, a angina, nos conceitos atuais, não costuma ser fatal. Há cerca de 50 anos era usual ouvirmos falar em falsa angina e verdadeira angina do peito. O infarto era considerado a verdadeira angina, a que levava à morte. Já a falsa angina era a dor passageira no peito, que poderia terminar ou não em angina verdadeira. Não se dispunha do eletrocardiograma para diferenciar as duas situações clínicas.

Hoje em dia, a falsa angina é o que denominamos somente de angina e a verdadeira angina é denominada de infarto. Se alguém disser que o avô faleceu de angina, provavelmente, tratou-se de um infarto do miocárdio. É comum as pessoas confundirem estes termos. Estas pessoas que ainda têm a angina como doença fatal podem entrar em pânico quando lhes dissermos serem portadores de angina. Sempre é bom esclarecer esta dúvida antes de assustá-los mais do que necessário.

Dor no peito não é sinônimo de doença do coração. Existem no tórax diversas estruturas que podem doer. Citam-se doenças do esôfago, do pulmão, das pleuras, da aorta, dos músculos, das costelas, das mamas e da pele. Alterações da coluna podem provocar dores no peito confundíveis com doenças do coração.

Existem dores de origem emocional, que podem ser observadas em pessoas que querem chamar a atenção. Mesmo em crianças são relatadas dores no peito, simulando situações cardíacas. Isso pode acontecer quando imitam os pais ou avós que tenham angina de peito ou tiveram infartos do miocárdio.

Sempre cabe aos médicos esclarecer as diferentes possibilidades de diagnóstico. São eles que devem orientar a investigação complementar para tirar dúvidas, porque nem toda dor no peito é angina ou infarto, nem todo infarto é precedido de angina, nem toda angina acaba em infarto do miocárdio. Para complicar, nem todo infarto doe. Não é raro um médico detectar num eletrocardiograma a cicatriz de um infarto que aconteceu e o paciente nem percebeu.

O infarto do miocárdio, uma doença, muitas vezes, fatal ou indicadora de uma vida mais breve, pode atingir as pessoas em diferentes idades, que vão desde a infância, quando é mais raro acontecer, até a idade avançada, fase mais freqüente.

sexta-feira, 18 de setembro de 2009

Organograma da urgência


Comunicação e interação entre os órgãos são fundamentais para que o sinistro seja controlado a tempo.

Existem alguns procedimentos buro-
cráticos comuns aos PAMs e outros mais
específicos e mesmo indispensáveis
para integrar o mesmo. “Como o princí-
pio básico é o da multiplicação de re-
cursos humanos e materiais, o compro-
misso de adesão prevê, como condição
indispensável, a aquisição de uma lista
básica de recursos, materiais e equipa-
mentos para uso exclusivo do PAM, ne-
cessariamente, independente dos dispo-
nibilizados para proteção patrimonial
das empresas participantes”, revela Dal-
ton. Um dos recursos exigidos é o Kit
mínimo, que no PAM de Santo Amaro,
por exemplo, é composto por material
básico para intervenção do incêndio, en-
tre eles, equipamentos hidráulicos, pro-
porcionadores de espumas e máscaras
autônomas. “Além do Kit, entre outras
exigências para a adesão, a empresa
também precisa estar localizada no
Pólo”, esclarece João Carlos do PAM do
Grande ABC. Já no PAM de Santo Ama-
ro é preciso que a empresa também par-
ticipe de três reuniões mensais.
No PIE, as exigências para a adesão é
que a empresa seja um terminal de gra-
néis líquidos ou enquadre-se neste tipo
de atividade. Outras exigências é que
seja associado da ABTL (Associação Bra-
sileira de Terminais Líquidos), ou seja por
ela indicado, e que receba visitas dos
membros PIE/ABTL para uma avaliação
dos riscos e recursos existentes em suas
instalações, conforme check list de ava-
liação. No PAM de Cubatão, além da
indicação de um representante e um su-
plente ao CIESP/CB (Centro das Indús-
trias do Estado de São Paulo) é necessá-
rio instalar em sua empresa o sistema
de comunicação e participar das reu-
niões mensais, exercícios e simulados
elaborados pelo PAM.
dio, possuindo uma central no Pólo que
é responsável em acionar todas as ou-
tras empresas quando solicitadas”, reve-
la João Carlos, do PAM do Grande ABC.
“O sucesso no atendimento e resposta
a emergência começa na comunicação
eficaz. No caso de Cubatão, as empre-
sas filiadas ao PAM adquirem rádios fi-
xos e portáteis. A central de rádio fica
no Posto de Bombeiros de Cubatão, que
realiza testes diariamente, no período da
manhã e da noite, registrando um for-
mulário próprio, o resultado do Contes-
te com as empresas, para ser tratado
posteriormente”, explica Orlando.
Ele diz que em caso de emergência
no Pólo, a empresa sinistrada contata o
Corpo de Bombeiros do Município, atra-
vés do Sistema de Rádio PAM ou pelo
telefone 193 de emergência que deslo-
ca sua guarnição de primeiro combate
e, após avaliação do comandante da
guarnição, aciona o PAM. Entretanto, de-
pendendo da informação recebida, o
Corpo de Bombeiros aciona o PAM de
imediato. No PIE, o acionamento ocor-
re também via telefone 193 e rádio do
tipo troncalizados, com dois canais: um
de logística e outro de emergência.
O PAM de Santo Amaro tem ferramen-
tas de grande importância, entre elas
também está o sistema de comunicação.
Calaça explica o funcionamento na prá-
tica: “A empresa emergenciada faz con-
tato com a central de comunicação que
avisa as empresas usando um critério de
proximidade. Lá as empresas entregam
seus kits mínimos à empresa emergen-
ciada e os integram ao plano de contin-
gência da empresa”.
A Rede Integrada de Emergência tam-
bém possui ferramentas onde o rádio é
o instrumento alavancador das ações.
“Temos um banco de dados de material
e pessoal que as empresas e órgãos têm
à disposição da Rede em caso de emer-
gência. A integração é feita através da
comunicação via rádio”, explica o co-
ordenador Márcio Vicente.
mais informações: http://www.revistaemergencia.com.br/novo/imgbanco/imagens/Re-ConteudoPDF2/EM02_Reportagem.pdf

quarta-feira, 16 de setembro de 2009

Quais profissionais devem tripular uma ambulância para atendimento de emergências em vias públicas?


Os tripulantes da ambulância de via pública são: médico com formação de ATLS (Advanced Trauma Life Support), PHTLS (Prehospital Trauma Life Support), PALS
(Pediatric Advanced Life Support), e ACLS (Advanced Cardiac Life Support), técnico
de enfermagem com formação em PHTLS e BLS (Basic Life Support), socorrista e motorista com formação de BLS e direção defensiva. Estes cursos não necessitam de certificação americana, basta que tenham sido realizados por empresa idônea com certificação nacional.

Urgência no vôo


Desde a década de 50 do século passado, sabe-se que a desfibrilação é tre-
mendamente eficaz em reversão de paradas cardíacas. O desafio era levar a
vítima até instalações hospitalares para o uso de cardioversores e manobras in-
vasivas com o objetivo de ressuscitar as vítimas em risco iminente de morte.
Com os parcos recursos que qualquer sociedade dispunha, tornava-se inviável
disponibilizar em cada “esquina” um hospital.
As pesquisas tiveram um salto em resultados e a premência de desfibrila-
ção imediata para obter melhores chances de sobrevivência tornou-se cada vez
mais evidente. Se a partir dos anos 70, indivíduos não médicos passaram a ser
treinados em Ressuscitação Cardiopulmonar, por que não disponibilizar um
desfibrilador para profissionais não médicos que são provavelmente os indi-
víduos que acionarão o EMS? Afinal, de cada dez vítimas de parada, oito estão
em fibrilação ventricular ou taquicardia ventricular sem pulso, ambos ritmos re-
versíveis com o uso de desfibrilação.
DESAFIO
O desafio a esse propósito esbarrava nos riscos a vítimas e socorristas em
aplicar choques indevidos com cargas elevadas, uma vez que interpretar ECGs
e adequar cargas de choque são tarefas demasiadamente complexas para tão
pouco tempo de treinamento e avaliação. Da última década do século XX,
um tremendo esforço entre a indústria, pesquisa, universidades, instituições
médicas, centros de engenharia eletrônica, entre outros, resultou em apare-
lhos hoje conhecidos como DEAs (Desfibriladores Externo Automáticos) que
são capazes de interpretar o ritmo elétrico do coração de uma vítima e, a-
pós, encontrar ritmos chocáveis, recomendar choques que podem reverter
paradas. Cidades onde programas de First Responders foram implantados jun-
to com políticas de desfibrilação, tiveram saltos espetaculares em índices de
ressuscitação e sobrevivência de vítimas.

SEGURO
Para um comissário de vôo, o Desfibriador Externo Automático é um aparelho
emendamente seguro. Dentro de uma avaliação inicial (ABCs), são necessários
assos básicos para a operação do aparelho. A grande maioria dos modelos dispo-
íveis no mercado dispõe de um botão para ligar, pás adesivas que são conectadas
o aparelho e coladas na pele do tórax esnudo da vítima, análise automática ou
otão para analisar e, finalmente, um botão para aplicação do choque. Mas a ga-
antia da segurança dos DEAs utilizados em aeronaves depende da atuação das
quipes de comissários. Cuidados com o local para o atendimento e inspeções viuais em toda a operação evitam riscos e contato com vítimas durante a desfibri-
ação. Não há a necessidade em treinar os tripulantes em interpretação de ECGs (Eletrocardiograma), pois a maioria dos modelos de DEAs registram internamente
o ECG e apenas projetam comandos escritos em telas de cristal líquido, conten-
do instruções de choque recomendado ou não recomendado, além de instruções verbais emitidas por mensagens pré-gravadas Nos relatos divulgados por companhia
estrangeiras, há diversas histórias com finais felizes de vítimas atendidas adequadamente que puderam sobreviver e, gradativamente, retomar suas rotinas. No Bra
sil, ainda temos vítimas que teriam melhores chances se houvesse um sistema d
serviços de emergências médicas capacidade disponibilizar DEAs em todas aeronave
de companhias que atuam em nosso território, além da presença de unidades de
suporte avançado em cada aeródromo.
ACOMPANHAMENTO
Apesar de todo o treinamento e avaliação periódica que os comissários de vôo
necessitam, as emergências não ocorrem todos os dias. Na verdade, se comparadas
aos números de pousos e decolagens, e ao número de horas de vôo de um tripu-
lante, emergências reais são bem raras. Felizmente, o Brasil mantém excelentes ní-
veis de segurança em transporte aéreo regular. Porém, a experiência de deparar-
se com óbitos a bordo, lesões que acometem crianças, vítimas que lembram entes
queridos gera estresse e sentimentos de verdadeiro luto para os comissários de
vôo.
mais informações: http://www.revistaemergencia.com.br/novo/imgbanco/imagens/Re-Edição3PDF/Artigo%20Desfibrilação%20na%20Aviação.pdf

segunda-feira, 14 de setembro de 2009

OMS diz que 40% das mortes pela gripe são de pessoas saudáveis

Um especialista da Organização Mundial da Saúde afirmou nesta segunda-feira que 40% dos casos graves e das mortes causadas pela nova gripe corresponde a pessoas saudáveis, e a taxa de mortalidade é ligeiramente mais alta nas idades entre 25 e 49 anos.

Na abertura do congresso anual da Sociedade Respiratória Europeia (ERS, em inglês), em Viena, um especialista da OMS confirmou que ,em muitas partes do mundo, a nova gripe já desbancou a gripe sazonal.

O especialista advertiu que, embora, em geral, a nova gripe não seja muito agressiva, chama a atenção o fato de que grande parte das mortes causadas, assim como os casos mais graves, foi registrada em pessoas que eram saudáveis antes de contrair o vírus A (H1N1).

Além disso, destacou o fato de que o grupo de mais risco seja o de adultos.

"Inclusive a taxa de mortandade é ligeiramente superior no grupo de entre 25 e 49 anos, e 40% dos casos graves e das mortes afetam pessoas que seriam consideradas saudáveis", afirmou.

"Ainda não sabemos com exatidão de onde veio este vírus. Até agora, o A (H1N1) praticamente não sofreu mutação. Isso é uma sorte. As cepas são muito homogêneas. As complicações pulmonares são registradas com mais frequência do que na gripe comum sazonal", ressaltou.

De acordo com os dados da OMS, que parou de contabilizar o número de contagiados e só registra o número de mortes e casos graves, o maior número de pacientes internados por causa da doença nos Estados Unidos e na Austrália é entre os menores de 20 anos.

Até a próxima quarta-feira, cerca de 20 mil especialistas participam do congresso da ERS, a maior conferência mundial de medicina pulmonar.

O fórum concentra grande parte de sua atenção nas doenças crônicas das vias respiratórias, que avançaram até se transformar na terceira causa de morte em nível mundial.

quinta-feira, 10 de setembro de 2009

SP lança programa para quem quer largar o cigarro


A Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo lançou um programa que pretende ampliar o tratamento das pessoas que querem parar de fumar. O plano prevê a capacitação de 3 mil equipes do Saúde da Família no período de um ano, espalhadas por todo o Estado de São Paulo. Esta parceria permitirá o tratamento de aproximadamente 720 mil pessoas por ano.

"Durante todo o processo da lei antifumo, percebemos a enorme adesão dos próprios fumantes. A lei não proíbe o cigarro, mas se mostrou um importante estímulo para quem quer parar de fumar. O vício, porém, é pesado, e muitas vezes exige ajuda especializada e o auxílio de medicamentos. Por isso, esse esforço concentrado", afirma o secretário de Estado da Saúde, Luiz Roberto Barradas Barata.

"É uma satisfação perceber que fumantes e não-fumantes se mostraram unidos no desejo de enfrentar os males do cigarro, sejam aqueles causados pelo fumo ativo, sejam os causados pelo fumo passivo", disse.

A capacitação será realizada pelo Centro de Referência em Álcool, Tabaco e outras Drogas (Cratod), unidade da Secretaria da Saúde com ampla experiência no tratamento de fumantes e no treinamento de profissionais da saúde.

O programa para pessoas que pretendem parar de é uma ampliação do trabalho que já é realizado pelo Cratod desde 2005. Em 4 anos, o Centro já capacitou cerca de 2 mil profissionais da rede pública do Estado.
fonte: http://noticias.terra.com.br/brasil/interna/0,,OI3967611-EI306,00-SP+lanca+programa+para+quem+quer+largar+o+cigarro.html

quarta-feira, 9 de setembro de 2009

Pacientes poderão consultar bulas de remédios na internet


A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) anunciou nesta quarta-feira (9) que os pacientes poderão consultar as bulas dos remédios pela internet. A medida faz parte das novas regras divulgadas pelo órgão para as informações que acompanham os medicamentos.
Em 90 dias, as bulas dos primeiros remédios -entre eles, genéricos e similares- devem ser disponibilzadas no Bulário Eletrônico, que vai ficar no site da Anvisa (www.anvisa.gov.br). Remédios fitoterápicos e homeopáticos deverão estar online em seis meses. Até 2011, diz a agência, todas as empresas devem estar integralmente adequadas às novas normas.
As bulas impressas que acompanham os medicamentos também sofrerão modificações. Elas deverão vir com letras maiores e organizadas por perguntas e respostas. De acordo com a Anvisa, todas devem ter tamanho de letra 10, não podendo estar condensadas ou expandidas. Há também regras para o espaçamento de letras e linhas.
As informações deverão estar organizadas de forma mais clara e conter perguntas e respostas para facilitar a compreensão –o que, antigamente, não era obrigatório. Segundo a Anvisa, serão duas bulas: uma para o usuário, outra para o profissional de saúde. O medicamento vai trazer somente a para o paciente. As duas estarão disponíveis no site da agência.
"A ideia é que se tente diminuir ao máximo a confusão e, no caso de o paciente precisar de uma orientação, a bula esteja de fácil compreensão", disse o diretor-presidente da Anvisa, Dirceu Raposo.
Pessoas com deficiências visuais terão direito a bulas com letras maiores, em meio magnético, óptico e eletrônico e até em braille, mediante solicitação. Os atendimentos telefônicos ao consumidor devem ler a bula ao paciente com deficiência, caso ele peça. Eles têm 30 dias para começar a oferecer o serviço.

Informações

Informações sobre a idade mínima com a qual o remédio pode ser usado com segurança também deverão estar mais claras. As bulas só poderão conter informações sobre o medicamento que acompanham. Segundo a agência, pela norma antiga, um mesmo documento poderia tratar sobre as diversas apresentações do remédio –caso ele viesse em forma de comprimido e xarope, por exemplo.
Além disso, a partir de agora, as bulas dos remédios genéricos e similares deverão conter informações semelhantes às apresentadas nas dos medicamentos de referência. Elas também terão que avisar se o remédio pode potencialmente provocar doping em atletas, de acordo com a norma do Comitê Olímpico Internacional (COI). Os textos deverão trazer, também, o telefone do disque-intoxicação (0800-722-6001).
De acordo com a agência, os preços dos medicamentos não devem ser afetados com as mudanças.


fonte: http://g1.globo.com/Noticias/Brasil/0,,MUL1298374-5598,00-PACIENTES+PODERAO+CONSULTAR+BULAS+DE+REMEDIOS+NA+INTERNET.html

USO DO ÁLCOOL EM GEL DEVE SER MODERADO, RECOMENDA DERMATOLOGISTA


Em entrevista à Web Rádio Saúde, do Ministério da Saúde, o dermatologista Paulo Ricardo Criado, da Sociedade Brasileira de Dermatologia, alertou alguns cuidados que se deve ter com o uso do álcool em gel.

O produto tem sido um grande aliado à prevenção da Influenza A (H1N1), que, entre outras precauções, requer atenção especial à higiene, mantendo as mãos sempre limpas e evitando o compartilhamento de copos, pratos e objetos de uso pessoal.

De acordo com o especialista, quando aplicado sobre a pele, o álcool gel tem uma capacidade irritante que é natural de todos os álcoois. “Quando aplicamos essa substância, nós estamos não só degradando as proteínas dos micróbios como também uma pequena monta sobre as proteínas da pele. Além disso, o álcool tem a propriedade desengorduraste e nós temos um manto de gordura natural sobre a pele. A gente favorece o ressecamento da pele", alerta.

Portanto, é necessário evitar o exagero no uso da substância, que não deve exceder mais do que dez ou doze vezes ao dia. “E a quantidade a ser aplicada para que não seja uma quantidade exagerada, seria uma quantidade similar ao tamanho de uma ervilha na palma de uma das mãos que poderia ser o suficiente para aplicar em ambas as mãos”, recomenda Paulo Ricardo Criado.

O dermatologista lembra ainda que, para ser eficaz na limpeza das mãos, o álcool em gel deve ter concentração de 70% de álcool. Os produtos indicados para a limpeza doméstica não devem ser aplicados na mão. Para evitar o ressecamento da pele, depois do álcool evaporar, basta passar um creme hidratante. É bom lembrar que o álcool em gel deve ser usado apenas quando não for possível limpar as mãos com água e sabão.
fonte: http://www.portalcofen.gov.br/2007/materias.asp?ArticleID=9867§ionID=38

PROJETO DE LEI DEFINE PISO SALARIAL PARA PROFISSIONAIS DA ENFERMAGEM


Além do projeto de lei que visa à redução da jornada de trabalho dos profissionais da Enfermagem para 30 horas, tramita na Câmara de Deputados outra matéria que, se aprovada, trará muitos benefícios para a categoria. Trata-se do P.L. 4924/09, de autoria do deputado Mauro Nazif, cujo decreto propõe afixação do piso salarial de R$ 4.650,00 para os enfermeiros.

A proposição surgiu, segundo Nazif, a partir de um fórum ocorrido no estado de Rondônia, onde o Conselho Regional de Enfermagem (Coren-RO) e o Sindicato dos Profissionais de Enfermagem de Rondônia (Sinderon) discutiram a necessidade de se estabelecer um piso salarial para a categoria.

"Hoje, profissionais de várias atividades, principalmente as relacionadas à saúde, além de uma carga horária elevada, acumulam mais de um emprego com o intuito de conseguir uma remuneração digna. Mesmo assim, em muitos casos, esse objetivo não é alcançado", justifica o parlamentar.

O projeto, que se encontra sob a análise da Comissão de Seguridade Social e Família, da Câmara de Deputados, estabelece ainda 50% do valor estipulado ao enfermeiro (R$ 2.325,00) como piso do técnico de Enfermagem e 40% (R$ 1.860,00) para o piso do auxiliar. Valores estes reajustados anualmente pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC).

Portanto, para o deputado Mauro Nazif, médico conhecedor da realidade dos profissionais de saúde, o objetivo do P.L. é "resgatar a dignidade do profissional da enfermagem referente ao aviltamento salarial a que esses profissionais são submetidos hoje na grande parte dos municípios e estados do nosso país".

Nazif argumenta, assim, que a aprovação do projeto acabará com uma jornada de trabalho desgastante, proporcionada pelos inúmeros deslocamentos a diversos locais de prestação de serviço. "A fixação do piso salarial por lei torna-se crucial para o bom desempenho de determinadas atividades, na medida em que dará melhores condições de trabalho aos profissionais que, percebendo uma remuneração condizente com suas responsabilidades, poderão exercer o ofício em apenas um estabelecimento", defende.

Para o presidente do Conselho Federal de Enfermagem (COFEN), Dr. Manoel Carlos Neri da Silva, o projeto é de grande importância para toda a categoria, diante da desvalorização que a mesma vem sofrendo com os salários oferecidos. "Estabelecer um piso salarial para a categoria é a forma mais justa e digna de reconhecer o trabalho e o esforço que os profissionais da Enfermagem colocam diariamente à disposição dos pacientes e dos usuários do sistema único de saúde. Um projeto como esse não só merece a gratidão, mas também todo o apoio do COFEN", ressalta o presidente do COFEN.
fonte: http://www.portalcofen.gov.br/2007/materias.asp?ArticleID=9807§ionID=38

Homem vence gripe A após 70 dias de confinamento


Depois de dois meses e dez dias confinado no Hospital das Clínicas (HC) de Belo Horizonte, em tratamento contra a gripe A(H1N1), o analista de sistemas Rodrigo Novelli, 27 anos, teve alta nessa terça-feira (8). Novelli foi o paciente que mais tempo ficou internado em decorrência da nova gripe em todo o Brasil.

Durante o período de internação, ele chegou a ficar 45 dias na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do hospital, entre 29 de junho e 13 de agosto. Durante um mês, precisou de tubos para respirar. Os boletins médicos, emitidos diariamente pela unidade de saúde, classificavam o quadro clínico de Rodrigo como gravíssimo.

Contribuíram para essa classificação duas pneumonias. Seu sistema renal chegou a parar de funcionar. A saturação de oxigênio em seu sangue chegou a 5%, quando o normal é acima de 90%. Tratado com Tamiflu e um coquetel de antibióticos, Novelli começou a apresentar melhora no fim de julho.

O paciente não teve contato direto com ninguém egresso, na época da contaminação, de países considerados de risco. O rapaz foi contaminado a partir de um colega que teve contato, em São Paulo, com uma mulher vinda da Argentina.

A mulher chegou a ser diagnosticada com a nova gripe em São Paulo, mas seu colega de trabalho não manifestou sintomas da doença.

Em 26 de junho, Novelli, que trabalha em uma empresa em Contagem, procurou o ambulatório do Hospital das Clínicas. Com poucos sintomas, ele foi classificado como caso suspeito e passou a tomar medicação antiviral, ainda em casa. Três dias depois, o homem foi internado. Naquele mesmo dia, o caso se agravou e ele passou a respirar com ajuda de aparelhos. Sua mulher, de 26 anos, também chegou a ser internada, mas teve alta uma semana depois.

Em Pernambuco, a gripe A(H1N1) acometeu, até essa terça-feira, 74 pessoas. Segundo a Secretaria Estadual de Saúde (SES), são 307 casos suspeitos e 28 pessoas internadas.
fonte: http://jc.uol.com.br/canal/gripe-mundial/noticia/2009/09/09/homem-vence-gripe-a-apos-70-dias-de-confinamento-198979.php

Cobertura dos planos de saúde deve ser ampliada


A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) quer ampliar a cobertura obrigatória dos planos e seguros de saúde. Entre os novos procedimentos destacam-se a inclusão do marcapasso multissítio, o transplante alogênico de medula óssea, as cirurgias toráxicas por vídeo e a prótese dentária unitária (coroa e bloco), além da ampliação do número de consultas de fonoaudiologia, terapia ocupacional, psicologia/psicoterapia e nutrição, de acordo com as necessidades do paciente.

As propostas constam da minuta da resolução normativa que foi colocada em consulta pública ontem para atualizar o Rol de Procedimentos e Eventos em Saúde para os planos contratados a partir de 1º de janeiro de 1999, os chamados planos novos.

A ANS atualiza o rol de procedimentos periodicamente. A última modificação ocorreu em 2 de abril de 2008, quando passaram a ser obrigatórios 2.973 itens, que incluíram algumas novas tecnologias, como o yag laser (para cirurgia de catarata), procedimentos para anticoncepção (DIU, vasectomia e ligadura tubária), além de exames laboratoriais. Também foi incorporado o atendimento multidisciplinar, com a inclusão da cobertura de consultas com terapeutas ocupacionais, fonoaudiólogos, nutricionistas e psicólogos.

Para participar da consulta pública, o usuário deve acessar a página da ANS (www.ans.gov.br), clicar em transparência, no menu principal, selecionar consultas públicas e clicar no número 31.
fonte: http://www.emtemporeal.com.br/index.asp?area=2&dia=09&mes=09&ano=2009&idnoticia=84502

Anvisa anuncia novas regras para bulas de remédios


Letras ficarão maiores e texto deverá ter linguagem objetiva e conteúdo padronizado
A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) anuncia nesta quarta-feira, 9, novas regras para bulas de medicamentos. Será às 14h30, na sede da agência, no Setor de Indústria e Abastecimento, em Brasília.


Uma das mudanças é a letra das bulas, que ficará maior. Os textos também usarão informações mais claras, linguagem objetiva e conteúdos padronizados. A Anvisa definiu ainda formas de acesso ao texto dos medicamentos para deficientes visuais.

fonte:http://www.estadao.com.br/noticias/vidae,anvisa-anuncia-novas-regras-para-bulas-de-remedios,431863,0.htm

terça-feira, 8 de setembro de 2009

Projeto Samuzinho contra trotes no atendimento a emergências


Alunos de escolas públicas e particulares tem oportunidade de conhecer como funciona o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência – Samu 192 – que atende as urgências e emergências pelo telefone 192. O projeto Samuzinho que tem o objetivo de promover a educação permanente das crianças, alertando sobre os prejuízos provocados pelos trotes.
Levantamentos realizados pelo Samu 192, mostram que 62% das chamadas recebidas pelo serviço são de falsos pedidos, lembrando que o serviço é acionado por ligação gratuita, o que facilita os trotes já que as crianças podem usar telefones públicos.
Com o Samuzinho, equipes visitarão as escolas para informar os estudantes sobre a importância do atendimento, lembrando que enquanto uma equipe se desloca para um falso chamado, alguém com um problema grave fica sem atendimento e pode até morrer.
O trabalho é desenvolvido durante dois dias. Primeiro, os técnicos explicam o que é o Samu, em linguagem acessível à criança. A segunda etapa envolve o que os psicólogos chamam de trabalhar a fecundação da mentalidade da criança. O aluno recebe figuras em preto e branco – para destacar que são situações reais – de pessoas doentes, feridas, em ambulâncias. Com essas figuras a criança faz montagens, com base nas informações passadas durante a palestra. A última etapa compreende a visita a uma ambulância para conhecer os equipamentos usados na prestação de socorro.
Uma equipe do Samu foi treinada para levar o projeto às escolas. Médicos, enfermeiros e técnicos de enfermagem fizeram curso na Fundação de Ensino e Pesquisa em Ciências da Saúde – Fepecs – para atuar como treinadores. A visita é programada de acordo com a solicitação das escolas públicas ou particulares.
mais informações: http://www.saude.df.gov.br/003/00301009.asp?ttCD_CHAVE=52654

Programa de Aprimoramento Profissional


O que é Proficiência?

Proficiência é um programa desenvolvido pelo Conselho Federal de Enfermagem que tem como objetivo aprimorar e atualizar o profissional de enfermagem da categoria Técnico e Graduado.
A Proficiência oferece cursos gratuitos pela internet, tendo como requisito apenas que o profissional esteja com o pagamento do seu COREN em dia.
A meta do programa é proporcionar até 40.000 matrículas e beneficiar um público entre 30 e 35 mil enfermeiros. Haverá certificado emitido pelo COFEN para aqueles que tiverem um aproveitamento superior a setenta por cento do conteúdo dos cursos.

É importante destacar que o curso é a distância com realização de estudos, avaliações e demais atividades por meio de um computador com acesso a internet. Todo o conteúdo tem um acompanhamento de monitores e tutores para que as dúvidas sejam sanadas.

Os cursos tem versões para nível médio e superior e tem prazo de 45 dias para a realização, cabendo ao estudante se programar para os estudos.

Para mais informações acesse o site do Conselho Federal de Enfermagem.

http://www.portalcofen.gov.br/2007/default.asp

AUDIÊNCIA PARA DISCUSSÃO DA JORNADA DE 30 HORAS ACONTECE NO PRÓXIMO DIA 15


Acontece no próximo dia 15 a audiência pública na Comissão de Finanças e Tributação da Câmara de Deputados que vai dar sequência ao acompanhamento do projeto de Lei (PL 2295/2000), em tramitação no Congresso Nacional (Câmara Federal), que trata da redução da carga horária de trabalho semanal da Enfermagem para trinta horas.

Através do Conselho Federal de Enfermagem (COFEN), juntamente com os CORENs, ABEn, universidades, escolas, sindicatos e demais associações ligadas à área, o projeto que institui as 30 horas semanais já passou pela aprovação da Comissão de Seguridade Social da Câmara de Deputados.

O seu objetivo, além da redução da jornada, é oferecer melhores condições de trabalho a enfermeiros, técnicos e auxiliares de enfermagem, e às parteiras, proporcionando, como resultado, mais qualidade no atendimento aos usuários do sistema de saúde e aos pacientes.

A expectativa para a sua aprovação é grande, uma vez que o mesmo tem recebido apoio de diversos parlamentares que acreditam na importância social do projeto. Um deles é o deputado Mauro Nazif, articulador da aprovação do PL. Além deste, o líder do governo federal na Câmara, Henrique Fontana, e o vice-lider Beto Albuquerque, que manifestou apoio ao movimento em sua página na Internet

De acordo com o site, ambos receberam, de representantes do Conselho Federal de Enfermagem (Cofen) e da Associação Brasileira de Enfermagem (ABEn) uma cópia do projeto, como forma de pedir apoio a fim de que o plenário vote requerimento de urgência apresentado por Beto Albuquerque para que o projeto seja votado ainda este ano, evitando que seja deixado para o ano que vem, quando haverá disputa eleitoral.

Audiência pública

Data: 15 de setembro de 2009

Horário: 14h30

Comissão de Finanças e Tributação

(Câmara dos Deputados, Anexo II, Pavimento Superior, Ala C, Sala 136)

fonte: http://www.portalcofen.gov.br/2007/materias.asp?ArticleID=9863§ionID=38

Uma infecção pode duplicar a perda de memória na doença de Alzheimer


Estudo publicado hoje na revista da American Academy of Neurology

Apanhar uma constipação, sofrer um problema no estômago ou qualquer outro processo de infecção pode aumentar a perda de memória nas pessoas que sofrem de doença de Alzheimer. Até as nódoas negras causadas por uma queda podem ser prejudiciais, diz um grupo de investigadores do Reino Unido

Os investigadores acompanharam 222 pessoas com doença de Alzheimer (DA) e uma média de 83 anos de vida durante seis meses. No início do estudo e noutras três ocasiões ao longo do semestre, foram realizadas análises sanguíneas que registaram a presença de uma proteína envolvida nos processos inflamatórios e foram também testadas as capacidades cognitivas deste grupo de indivíduos. Um total de 110 pessoas teve uma infecção ou sofreu um ferimento durante a realização do estudo. Os doentes feridos tiveram o dobro da perda de memória.

No estudo percebeu-se que os doentes vítimas de problemas respiratórios, gastrointestinais e outras infecções ou que simplesmente tinham nódoas negras ou outros ferimentos causados por quedas tinham níveis mais elevados do factor de necrose tumoral alfa e eram mais susceptíveis à perda de memórias e outros danos cognitivos do que os doentes com baixos níveis da proteína e sem registo de infecções.

As pessoas que tinham grandes quantidades de proteína no sangue no início do estudo, uma situação clínica que poderia ser causada por um processo inflamatório crónico, tiveram uma perda de memória quatro vezes superior aos doentes que, na mesma altura, registaram valores baixos do factor de necrose tumoral alfa. E nos casos em que se somou uma nova infecção aos elevados valores já registados a perda de memória foi dez vezes superior, quando comparado com o grupo livre de infecções durante os seis meses do estudo.

"Podemos especular que as pessoas que sofrem um declínio mais rápido das suas capacidades cognitivas são mais susceptíveis a infecções e ferimentos, mas não encontrámos nenhuma prova que sugira que as pessoas com uma demência mais grave sofrem mais infecções e ferimentos no início do estudo", afirmou Clive Holmes, MRCPsych, investigador da University of Southampton no reino Unido e autor do artigo publicado hoje na revista da American Academy of Neurology. "É necessário investigar mais e melhor o papel do factor de necrose tumoral alfa no cérebro, mas é possível que a redução deste níveis [com inibidores] seja benéfica para as pessoas com doença de Alzheimer", acrescentou.

sexta-feira, 4 de setembro de 2009

Tamiflu à venda apenas em 2010


Medicamento será comercializado depois que laboratório atender demanda do governo federal
Medicamento usado para o tratamento contra a gripe A, o Tamiflu deverá ser distribuído livremente em farmácias e drogarias do Brasil em 2010.

Ao rebater críticas, em audiência pública ontem na Câmara dos Deputados, de que o Ministério da Saúde tenha concentrado toda a produção do remédio, o diretor de Vigilância Epidemiológica, Eduardo Hage, disse que o Tamiflu só não chegou às farmácias porque não havia estoque para suprir a demanda.

A manifestação de Hage contraria o tom adotado até agora pelo ministério. Há um mês, o ministro da Saúde, José Gomes Temporão, afirmou que o medicamento estava disponível somente nos serviços públicos de saúde para evitar um “corrida às farmácias”.

– O próprio laboratório priorizou a demanda do ministério, o que foi correto. Na medida em que foi aumentando a sua capacidade, informou que vai ter disponibilidade de atender nossa nova demanda, bem como comercializar o medicamento – disse Hage.

O laboratório Roche – responsável pela produção do remédio contra a gripe A – informou que, por enquanto, trabalha para suprir um pedido do governo federal de 9 milhões de tratamentos de Tamiflu, que serão entregues entre fevereiro e maio de 2010. Somente após a entrega ser feita ao Ministério da Saúde, o medicamento começará a chegar às farmácias.

O controle da venda do remédio em farmácias e drogarias do país será de responsabilidade da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

O medicamento só será vendido mediante prescrição médica e monitoramento de eventos adversos.

Cientistas descobrem anticorpos que podem ajudar a criar vacina contra a Aids

Estados Unidos
Uma equipe de cientistas americanos descobriu dois novos anticorpos poderosos que poderiam ajudar a criar uma vacina contra o vírus da Aids. Estudos a respeito dos avanços na área serão publicados na edição da revista americana Science desta sexta-feira.

Estes anticorpos chamados "bNAbs" têm capacidade ampliada de neutralização do HIV, considerado difícil de combater devido a suas rápidas e múltiplas mutações. O processo utilizado na pesquisa deverá revelar as fraquezas do vírus.

"Agora que identificamos estes dois anticorpos, temos condições de encontrar outros, o que deve acelerar os esforços da comunidade mundial para desenvolver uma vacina contra a Aids", destacou Wayne Koff, diretor de pesquisa e desenvolvimento da organização Iniciativa Mundial para uma Vacina contra a Aids (IAVI, na sigla em inglês).

PG9 e PG16, como foram batizadas as descobertas, apontam para uma parte do vírus da Aids que desempenha papel-chave para infectar as células humanas e não são sujeita a mudanças, o que explica seu forte poder de neutralização. Eles são produzidos por uma minoria de pessoas infectadas, de acordo com os pesquisadores.

Os cientistas trabalharam com mostras de sangue infectado de 1.800 voluntários em mais de 10 países, sete deles na África. O próximo passo é explorar a vulnerabilidade do HIV e testar novos enfoques para criar a vacina.

MP é contra cobrança de convênio em hospitais públicos de SP

SÃO PAULO - O Ministério Público Estadual anunciou, nesta quinta-feira, que vai questionar na Justiça o projeto do governo do estado que autoriza os hospitais públicos a atenderem, mediante cobrança, pacientes particulares e que tiverem convênio médico. Os promotores entendem que a lei aprovada na quarta-feira pela Assembleia Legislativa, com apoio do governador José Serra, é inconstitucional e fere o princípio de igualdade previsto no Sistema Único de Saúde (SUS).

A proposta aprovada, que ainda depende da sanção de Serra para entrar em vigor, permite que o governo passe a gestão de qualquer hospital ou serviço de saúde estadual para organizações sociais (OSs) sem fins lucrativos. Ao mesmo tempo, essas organizações ficam autorizadas a reservar até 25% do atendimento para pacientes dos convênios médicos, deixando os demais 75% para a demanda do SUS.

- Isso vai dificultar o acesso da população pobre aos serviços de saúde. Se hoje o atendimento já é ruim, podemos dizer que ele vai piorar com a abertura para pacientes particulares - disse a promotora de Justiça Ana Lúcia Menezes.

Segundo ela, a lei pode criar filas duplas nos hospitais estaduais, privilegiando o paciente particular. Ana disse que, tão logo o governo autorize as OSs a adotar o novo sistema, o MP vai apresentar ações populares na Justiça.

- Vamos questionar caso a caso - explicou.

O Sindicato dos Profissionais da Saúde (Sindsaúde) disse que a lei vai reduzir as vagas para quem usa o SUS.

- A conta é simples. O hospital que tem 250 leitos passa a oferecer 200 à rede pública e 50 a convênios particulares. É óbvio que haverá duas filas. Uma vai privilegiar quem tem plano de saúde. Quem ficar do lado do SUS vai ser diferenciado - diz Hélcio Marcelino, secretário-geral do Sindsaúde.

- O atendimento para quem tem plano de saúde será mais rápido. E como eles vão controlar o limite de 25%? Haverá uma catraca na entrada do hospital? - questionou o sindicalista.

O secretário estadual da Saúde, Luiz Roberto Barradas, disse ontem que o governo decidiu propor esse modelo pois 40% da população no estado tem algum tipo de convênio médico.

- E essas pessoas quando utilizam nossos hospitais, seus planos de saúde não são cobrados. É um jeito do governo ser ressarcido pelo atendimento que presta aos convênios - declarou o secretário de Saúde.

Ele citou o Instituto do Coração para validar a eficácia da gestão que atende os dois tipos de pacientes.

- Esse é um modelo que vigora no Incor. Quando o presidente Lula faz uma consulta lá, seu plano de saúde paga o Incor e, com esse dinheiro, o hospital pode atender ainda mais pacientes do SUS.

Serra se irritou ao ser questionado se o modelo prejudica uma rede já saturada.

- Isso é trololó de quem é contra as organizações sociais, contra o atendimento bom da população - declarou.

quinta-feira, 3 de setembro de 2009

Ministério da Saúde admite que não havia Tamiflu para as farmácias

BRASÍLIA - O diretor de Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Vigilância Sanitária do Ministério da Saúde, Eduardo Hage, informou nesta quinta-feira que o laboratório produtor do medicamento Tamiflu deve distribuir o remédio para farmácias e drogarias em 2010. Ele disse que o medicamento só não chegou aos estabelecimentos comerciais antes porque não havia estoque para suprir a demanda. Ele rebateu as críticas de que a pasta tenha concentrado toda a produção.

O próprio laboratório priorizou a demanda do Ministério, o que foi correto. Na medida em que foi aumentando a sua capacidade, ele informou que vai ter disponibilidade de atender nossa nova demanda, bem como comercializar o medicamento. A partir do momento em que oficializarem, vamos nos manifestar mas não há nenhum problema - disse ele, ao participar de audiência pública na Câmara dos Deputados.

O controle da venda do remédio em farmácias e drogarias, segundo ele, será de responsabilidade da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). O medicamento só será vendido mediante prescrição médica e monitoramento..

O Brasil lidera o número de vítimas fatais por gripe suína. Boletim do Ministério da Saúde divulgado nesta quarta-feira, mostrou 657 mortes, cem a mais do que os Estados Unidos, que vinham liderando a estatística.

Estudo vê potencial para fabricar vacina contra AIDS

WASHINGTON (Reuters) - A descoberta de partículas do sistema imunológico que atacam o vírus da AIDS pode finalmente abrir caminho para a fabricação de uma vacina que poderá proteger as pessoas da infecção mortal e incurável, disseram pesquisadores norte-americanos nesta quinta-feira.

Eles utilizaram uma nova tecnologia para estudar o sangue de 1.800 pessoas infectadas com o vírus da AIDS e identificaram dois anticorpos que poderiam neutralizar o vírus. Também encontraram uma nova parte do vírus que os anticorpos atacam, o que significa uma nova opção para criar uma vacina, relataram no periódico Science.

"As descobertas são um progresso empolgante rumo a uma vacina eficaz contra a AIDS, pois agora temos um alvo novo e potencialmente melhor no HIV para concentrar nossos esforços para criar uma vacina", disse Wayne Koff, da Iniciativa Internacional da Vacina da AIDS (IAVI na sigla em inglês), que patrocinou o estudo.

Desde que a pandemia da AIDS surgiu no início dos anos 1980, mais de 25 milhões de pessoas morreram em todo o mundo do vírus. A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que 33 milhões de pessoas estão infectadas.

Embora não haja cura, um coquetel de remédios pode ajudar a manter o vírus sob controle. Todas as tentativas de se criar uma vacina fracassaram quase completamente.

Seth Berkley, diretor da IAVI, disse que as descobertas não irão levar diretamente a uma vacina, mas mostram que existem maneiras novas e melhores para criar uma.

A maioria das vacinas induz uma resposta dos anticorpos, incentivando o corpo a fabricar anticorpos que irão reconhecer e atacar um invasor como uma bactéria ou um vírus.

Os dois anticorpos recém-descobertos, chamados PG9 e PG16, são os primeiros novos anticorpos do HIV identificados em mais de dez anos.