Sabemos que Deus age em todas as coisas para o bem daqueles que o amam, dos que foram chamados de acordo com o seu propósito.
Romanos 8:28

sexta-feira, 28 de novembro de 2014

History Channel - A História da Maconha





History Channel - A Historia da Maconha - Documentário que aborda a legalização da maconha nos Estados Unidos e no mundo.

quinta-feira, 27 de novembro de 2014

Crianças com alergia ao leite não devem tomar vacina contra sarampo

O Ministério da Saúde alerta as secretarias estaduais e municipais de Saúde que evitem aplicar a vacina tríplice viral, que protege contra o sarampo, a rubéola e a caxumba, em crianças com histórico de alergia à proteína do leite de vaca (APVL). A restrição, segundo a pasta, vale apenas para doses fornecidas pelo laboratório Serum Institutte of India Ltd.
“A informação é preventiva, pois foram notificados alguns casos de reações adversas em crianças que têm alergia ao leite de vaca. Vale ressaltar que todas as crianças passam bem”, garante o ministério, por meio de nota. Crianças com intolerância à lactose do leite podem receber a vacina normalmente.
O comunicado destaca que o laboratório é pré-qualificado pela Organização Mundial da Saúde e fornece, há anos, doses para vários países, inclusive para o Brasil. Todos os lotes da vacina tríplice viral aplicadas no país, segundo o governo, passaram por análise no Instituto de Qualidade em Saúde e foram aprovadas para uso.
“Desde junho deste ano, mais de 4,4 milhões de crianças foram vacinadas com essa tríplice viral no país, e há garantia da segurança da vacina”, destacou a pasta. Entretanto, de acordo com a nota, durante análise da composição da vacina do Serum Institutte foi verificada a presença de lactoalbumina hidrolisada.
Diz a nota: Embora não exista na bula nenhuma contraindicação do seu uso em pessoas que apresentam alergia ao leite de vaca, como medida de precaução, o Ministério da Saúde enviou a todas as secretarias estaduais de Saúde informe técnico recomendando que crianças com histórico de alergia ao leite de vaca não sejam vacinadas com a tríplice viral. Nestas crianças, a vacinação deverá ocorrer em uma data posterior.

Por: Paula Laboissière - Repórter da Agência Brasil Edição: Beto Coura
Fonte: http://agenciabrasil.ebc.com.br/geral/noticia/2014-11/saude-alerta-para-vacinacao-de-criancas-com-alergia-proteina-do-leite-d

Site promove reflexão e disponibiliza informações sobre o SUS



PenseSUS traz vídeos, pesquisas acadêmicas e materiais sobre os serviços do Sistema Único de Saúde

Em comemoração aos 25 anos do Sistema Único de Saúde (SUS), foi lançado neste ano o site PenseSUS (http://pensesus.fiocruz.br/) uma iniciativa do Instituto de Comunicação e Informação em Científica e Tecnológica em Saúde (Icict) e da Vice-presidência de Ensino, Informação e Comunicação da Fiocruz.
O site visa esclarecer dúvidas tanto para profissionais quanto para o público em geral sobre temas relacionados ao SUS, além de disponibilizar conteúdos referentes ao Sistema Único de Saúde para promover uma ampla reflexão sobre a rede de atendimento como política nacional de saúde no Brasil.
O índice da plataforma é composto por 25 verbetes que ajudam a esclarecer questões sobre a saúde pública. Segundo o vice-diretor de informação e comunicação no Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde (Icict) da Fiocruz, Rodrigo Murtinho, “o site não pretende substituir o site do Ministério da Saúde ou sites do SUS. É pra complementar, já que boa parte do material é reaproveitado, sistematizado dentro do PenseSUS.” 
Conteúdo
Ao clicar em um dos 25 verbetes, é possível ter acesso à definição do tema. Os links levam o internauta a vídeos sobre os assuntos relacionados, artigos científicos, além do acesso a pesquisas acadêmicas, livros e entrevistas com especialistas. O objetivo é também tornar o ambiente cada vez mais acessível a leitores comuns.
“A ideia é buscar outras experiências com a sociedade civil e com estruturas de governo, além buscar contribuições para alimentar o site a partir dessas experiências”, completa Rodrigo Murtinho.
Interatividade
O próximo passo do PenseSUS é investir na interatividade com seu público. Atualmente, quem quiser pode enviar sugestões ou dúvidas através de um formulário disponibilizado no site.
A intenção é aumentar o contato com a população por meio das redes sociais, com envios de vídeos, opiniões, etc.
Sobre o SUS
O Sistema Único de Saúde foi instituído em 1988, e passou a oferecer a todo cidadão brasileiro acesso integral, universal e gratuito a serviços de saúde.
Considerado um dos maiores e melhores sistemas de saúde públicos do mundo, o SUS beneficia cerca de 180 milhões de brasileiros e realiza, por ano, cerca de 2,8 bilhões de atendimentos, desde procedimentos ambulatoriais simples a atendimentos de alta complexidade, como transplantes de órgãos.
Paralelamente à realização de consultas, exames e internações, o SUS também promove campanhas de vacinação e ações de prevenção de vigilância sanitária, como fiscalização de alimentos e registro de medicamentos.
Fonte:
Portal Brasil, com informações da Fiocruz
http://www.brasil.gov.br/saude/2014/11/site-promove-reflexao-e-disponibiliza-informacoes-sobre-o-sus

quarta-feira, 19 de novembro de 2014

Como Deus criou o socorristas

Resgate do SAMU tem primeira motorista mulher

Conselho de Medicina cria novas regras para atendimento no Samu

video



Os hospitais não poderão mais se negar a receber paciente encaminhado pelo Samu alegando falta de leito. Os hospitais terão que tomar providências imediatas para receber os pacientes e liberar a equipe e a ambulância.

Fonte: http://globotv.globo.com/rede-globo/jornal-hoje/t/edicoes/v/conselho-de-medicina-cria-novas-regras-para-atendimento-no-samu/3775877/

sexta-feira, 14 de novembro de 2014

14 de Novembro Dia Mundial do Diabetes


Tipos de Diabetes


Tipo 1

Em geral, o diabetes tipo 1, também conhecido por diabetes juvenil, tem início na infância ou na adolescência. Ele surge em indivíduos com falência total do pâncreas, o que exige tratamento adequado durante toda a vida.

Atenção
Para cada tipo de diabetes existem recomendações específicas, consulte sempre o seu médico para que ele defina a melhor conduta para o seu caso.
Tipo 2
É o tipo mais comum e corresponde a 90% dos casos. Em geral, aparece em adultos a partir dos 30-40 anos ou em adolescentes com excesso de peso. Outros fatores que podem contribuir são o sedentarismo, histórico familiar, tabagismo e hipertensão arterial. Nesses casos, o pâncreas produz insulina, mas não em níveis suficientes, daí a necessidade de controle com dieta balanceada, exercícios físicos e, se necessário, administração de medicamentos.
Atenção
Para cada tipo de diabetes existem recomendações específicas, consulte sempre o seu médico para que ele defina a melhor conduta para o seu caso

Pré Diabetes
É um alerta de que algo precisa ser feito antes que o diabetes tipo 2 se torne permanente. Costuma surgir quando as células começam a apresentar dificuldade para absorver a glicose do sangue, mesmo quando o pâncreas ainda produz boas quantidades de insulina.
Atenção
Para cada tipo de diabetes existem recomendações específicas, consulte sempre o seu médico para que ele defina a melhor conduta para o seu caso.

Diabetes Gestacional
Aparece durante a gravidez e costuma desaparecer após o parto. Em alguns casos, pode voltar depois da gravidez, a qualquer tempo, e se estabelecer na mulher com as mesmas características do pré-diabetes ou do diabetes tipo 2. 
Atenção
Para cada tipo de diabetes existem recomendações específicas, consulte sempre o seu médico para que ele defina a melhor conduta para o seu caso.
Fonte: http://www.starbem.com.br/Diabetes/TipoDeDiabetes#Gestacional


Dicas para controlar o diabetes

Pessoas com diabetes podem levar uma vida normal, comendo quase tudo o que gosta. Dai a importância de conversar com um médico e nutricionista para elaborar uma dieta adequada a cada caso, estabelecendo a quantidade ideal de calorias, carboidratos e combinações nutricionais para cada refeição e, claro, para aprender a lidar com a medicação.

O importante é consumir uma mistura equilibrada de carboidratos, proteínas e gorduras saudáveis, com ênfase em verduras, frutas, legumes, carnes magras, grãos integrais. E, em hipótese alguma, abusar de doces, álcool, refrigerantes, frituras e gorduras de origem animal.

1º passo: estabeleça horários para as refeições, distribuindo-as em 5 ou 6 porções diárias.

            Respeite ao máximo os horários das refeições.

            Procure fazer de 5 a 6 refeições ao longo do dia.

            Intercale lanches saudáveis entre as três principais refeições.
            Evite pular refeições. A alimentação regrada ajuda no controle da glicemia e reduz o consumo excessivo de alimentos na refeição seguinte.
            Nos lanches, prefira frutas ou algo mais leve.


2º passo: consuma tipos variados de verduras, legumes e frutas, prefira sempre aqueles de coloração intensa, como os verde-escuros e amarelos.

            Este grupo de alimentos está associado a um menor risco de obesidade, diabetes, doenças cardiovasculares e alguns tipos de câncer.


3º passo: escolha alimentos ricos em fibras como verduras, frutas, legumes, feijão, cereais integrais (arroz e pão integral) e farinhas (aveia, trigo).

            As fibras são componentes dos alimentos que, além de ajudar na função digestiva, colaboram para reduzir o colesterol.

            As fibras estão presentes em vegetais, especialmente se consumidos crus.

            Consuma três ou mais porções de legumes e verduras e duas porções ou mais de frutas como parte principal das refeições, sobremesas e lanches.

            Coma, se possível, quatro vezes por semana: feijão, lentilha, ervilha, fava ou grão de bico, preferencialmente. O feijão tem proteína e é rico em ferro. Coloque pelo menos uma concha de feijão ou de outras leguminosas em seu prato no almoço e no jantar.

            Outra opção para aumentar o consumo de fibras é utilizar cereais integrais, farelos de arroz e aveia. A tradicional combinação de arroz com feijão é uma ótima fonte de proteínas.


4º passo: evite alimentos ricos em açúcar como doces, refrigerantes, chocolates, balas e guloseimas.


5º passo: consuma pouco sal de cozinha e evite alimentos com alto teor de sódio. Prefira ervas (salsa, coentro, cebolinha, orégano) ou limão para tornar as refeições mais saborosas.

            O sal contém sódio, o elemento químico associado à hipertensão.

            Sempre leia os rótulos e embalagens dos alimentos industrializados.

            Ao comprar sal, observe se é iodado. O iodo é importante para prevenir certas doenças.

6º passo: diminua o consumo de gordura.

            A ingestão excessiva de gorduras pode levar à obesidade, além de contribuir para o diabetes, pressão alta, aumento de colesterol, doenças cardíacas e até mesmo alguns tipos de câncer.

            O consumo de gordura deve ser moderado, prefira leite desnatado e derivados com baixo teor de gordura (queijos brancos), carnes magras e alimentos preparados com pouco óleo.

            Diminua a quantidade de margarina e manteiga.

            Evite frituras e alimentos industrializados com gordura vegetal hidrogenada. Use óleo de soja para cozinhar.

            Retire o excesso de gordura visível, antes do preparo dos alimentos (pele de frango e gordura aparente das carnes, por exemplo).

            Dê preferência a alimentos assados e cozidos.

            Azeite de oliva pode ser acrescentado a saladas, legumes e pratos prontos, embora com moderação.


7º passo: evite o fumo e as bebidas alcoólicas.


8º passo: beba muita água!

            O ideal é beber dois litros de água por dia (6 a 8 copos), nos intervalos das refeições principais. Porém, no caso de hipertensão ou diabetes, consulte sempre seu médico sobre a quantidade adequada.

            Evite refrigerantes e bebidas alcoólicas.

            Prefira sucos de frutas naturais, mas, se tomar o suco, considere-o como equivalente a uma porção de fruta.


9º passo: mantenha peso saudável.

            Peso saudável é aquele adequado para cada pessoa, de acordo com seu biótipo e características.

            O excesso de peso decorrente do acúmulo de gordura aumenta o risco de várias doenças, incluindo diabetes e hipertensão. Para saber se seu peso está adequado, faça o cálculo simples de seu Índice de Massa Corpórea (IMC): divida seu peso (kg) por sua altura elevada ao quadrado (m2). Se o valor estiver entre 18,5 e 24,9 kg/m², tudo bem. Caso contrário, procure seu médico. Se quiser, utilize a calculadora e verifique se o seu IMC está dentro do padrão no quadro abaixo. 

Peso:
(em Kg - Ex.: 80)
Altura:
(em m - Ex.: 1,80)

Categoria
IMC
Abaixo do peso
Abaixo de 18,5
Peso normal
18,5 - 24,9
Sobrepeso
25,0 - 29,9
Obesidade Grau I
30,0 - 34,9
Obesidade Grau II
35,0 - 39,9
Obesidade Grau III
40,0 e acima


10º passo: procure ter alimentação saudável e atividade física regular e moderada.

            A alimentação saudável é aquela que atende às necessidades de nutrientes que o organismo precisa, sendo variada, saborosa e baseada em alimentos naturais, respeitando a cultura alimentar da região.

            Comer deve ser sempre um prazer, associado à convivência familiar e social.
            Movimentar-se e tornar-se mais ativo é essencial para a saúde física e mental.
            A atividade física e uma alimentação saudável são fundamentais para a saúde e a qualidade de vida em qualquer idade.

            Procure fazer algo agradável no dia a dia, diferente das atividades profissionais. O lazer com a família e os amigos contribui para a qualidade de vida e melhora o rendimento no trabalho.

Confira a pirâmide alimentar que mostra como distribuir os nutrientes em sua refeição. Lembre-se de que todos os grupos alimentares devem estar presentes na sua alimentação, divididos ao longo do dia e com equilíbrio na distribuição das porções de cada um deles.


  
Converse com seu médico, nutricionista e educador físico para definir uma dieta e atividade física adequada ao seu caso. Pessoas com diabetes devem ter sua orientação nutricional definida individualmente, levando em conta fatores como idade, sexo, peso, tipo de atividades e de medicamentos, além de metas e objetivos a serem atingidos.


 Controle do peso

A perda progressiva e constante de apenas 5% ou 10% do peso pode ser suficiente para reduzir o risco de incidência do diabetes tipo 2 e suas complicações, assim como para melhorar os níveis de colesterol, pressão arterial, estresse sobre os joelhos e dispensar, em alguns casos, a necessidade de medicamentos. 

Dicas para a perda de peso saudável

            Junto com seu médico e nutricionista, defina uma meta realista para perder peso.

            Procure iniciar a perda de peso em um momento de vida favorável e tranquilo.

            Avalie honestamente seus hábitos alimentares ao longo de uma semana.

            Fuja das dietas mágicas.

            Evite tentação das guloseimas e lanchonetes.

            Procure envolver toda a sua família em seus planos.

Não tome medicamentos sem o conhecimento do seu médico. Pode ser
extremamente perigoso para a sua saúde.

Fonte: http://www.starbem.com.br/Diabetes/FormasControle

Princípios de Ouro do Atendimento Pré-Hospitalar ao Traumatizado





Esses princípios norteiam o socorrista, a fim de que o atendimento seja de qualidade, rápido, seguro tanto para a equipe quanto para a vítima, sendo que cada minuto que passa, vale ouro para o atendimento à vítima.

1- Garantir a segurança dos socorristas e a vítima.
2- Avaliar a situação da cena para determinar e tomar decisões sobre a necessidade de recursos adicionais.
3- Reconhecer a cinemática envolvida nas lesões.
4- Reconhecer as lesões graves no exame primário.
5- Manter estabilização da coluna cervical, enquanto está realizando a avaliação e atendimento adequado das vias aéreas.
6- Se necessário providenciar suporte ventilatório e oferecer oxigênio para manter a saturação de O2 acima de 95%.
7- Realizar o controle de hemorragias externas.
8- Realizar manutenção da temperatura do paciente, ou seja, aquecer a vítima.
9- Manter estabilização da coluna cervical manualmente até que seja instalado colar cervical, prancha rigida, imobilizador lateral de cabeça.
10- Quando se tratar de pacientes traumatizados graves, iniciar o transporte desta vítima o mais rápido possivel, a um hospital apropriado, se possível dentro de 10 minutos após chegada no local do acidente.
11- Uma vez tratada adequadamente ou descartadas as lesões que tenham risco de agravar a situação da vitima, inicie o exame secundário, e obtenha a história clinica deste paciente.
12- Acima de tudo, saiba o que está fazendo, NÃO cause mais dano.

Referências:

PHTLS - Prehospital Trauma Life Support 6ª Ed.

ANÁLISE CRÍTICA DA LITERATURA SOBRE O PROTOCOLO DE INTERVENÇÃO DO SERVIÇO DE ATENDIMENTO MÓVEL DE URGÊNCIA 
http://www.bib.unesc.net/biblioteca/sumario/00003C/00003CE3.pdf

Enfermagem do desastre: acidentes em massa, terrorismo e catástrofes naturais





Acidente múltiplas vítimas


Terrorismo


Catástrofe Natural

Com os eventos das últimas semanas, que tem acontecido no Brasil e no mundo, como o ataque com armas químicas na Síria, o tornado no interior do estado de São Paulo e o incêndio numa fábrica de fertilizantes em Santa Catarina, que produziu uma volumosa fumaça tóxica, surgem questionamentos sobre a atuação dos profissionais de saúde nestes casos emergenciais e diferenciados, por sua natureza e repercussão.

Acidentes em massa podem ter variadas causas, por fenômenos naturais como, inundações, tornados, terremotos, avalanches, erupções vulcânicas, entre outros; por ação humana em forças naturais ou materiais como, acidentes rodoviários, ferroviários, aeroviários e marítimos, por radiação nuclear, desabamentos, incêndios e explosões, eletrocussão, entre demais exemplos; e  outras origens como, causas combinadas e pânico generalizado com pisoteamento.

A preocupação com tais situações torna-se emergente, mediante os fatos ocorridos recentemente e os grandes eventos que estão programados para os próximos meses no Brasil.

Os profissionais e instituições de saúde brasileiros estão prontos para agir com eficácia e rapidez em casos com estas naturezas e magnitudes?

O papel dos Enfermeiros é indispensável e crucial nestes casos, considerando as especificidades que competem a sua profissão.

Nestas situações de desastre, com envolvimento de muitas vítimas, um plano de emergência diferenciado precisa ser implementado.

O ideal é que as instituições de saúde construam e treinem seus funcionários, para que nestes casos cada profissional saiba como atuar e gerenciar.

Em situações de desastre com múltiplas vítimas, o cliente com alta prioridade no atendimento é diferente do cliente prioritário de situações emergenciais. Em acidentes catastróficos os insumos e recursos podem ter disponibilidade limitada, fazendo com que a triagem e classificação das prioridades mudem. As decisões baseiam-se na probabilidade da sobrevida e no consumo dos recursos disponíveis. O princípio fundamental que direciona o uso dos recursos é o bem máximo para o máximo de pessoas.

A triagem deve ser rapidamente realizada na cena do desastre, sendo imediatamente identificadas as vítimas prioritárias e iniciadas as intervenções necessárias, com posterior encaminhamento para as unidades de emergência.

Nos Estados Unidos é utilizado um sistema de triagem com cores para classificação da prioridade de atendimento das pessoas acidentadas (Tabela 1). Conforme a classificação, as pessoas recebem uma pulseira colorida que identifica seu nível de atenção e facilita a implementação das medidas de preservação da vida.

Tabela 1 - Categorias de Triagem

                  CATEGORIA DE TRIAGEM
   PRIORIDADE
        COR
                      CONDIÇÕES TÍPICAS
Imediata – lesões que impõem risco à vida, porém são compatíveis com a sobrevivência, com intervenção mínima. Os indivíduos neste grupo podem evoluir rapidamente para o nível expectante, caso o tratamento seja retardado.
                1
   Vermelha
Ferida torácica aspirante, obstrução de via aérea, choque, asfixia, hemotórax, pneumotórax hipertensivo, amputações incompletas, fraturas abertas dos ossos longos e queimaduras de 2º/3º grau de 15-40% da área de superfície corporal total.
Tardia – lesões significativas que exigem cuidados médicos, porém podem aguardar horas sem ameaçar a vida ou o membro. Os indivíduos neste grupo recebem tratamento apenas depois que os casos imediatos são tratados.
                2
    Amarela
Feridas abdominais estáveis sem evidência de hemorragia significativa, lesões dos tecidos moles, feridas maxilo-faciais sem comprometimento da via aérea, lesões vasculares com circulação colateral eficiente, ruptura do trato geniturinário, fraturas que precisam de redução aberta, desbridamento e fixação externa, maioria das lesões oculares e do SNC.
Mínima – lesões menores em que o tratamento pode ser retardado por horas a dias. Os indivíduos neste grupo devem ser transferidos da área de triagem principal.
                3
      Verde
Fraturas de membro superior, queimaduras menores, entorses, pequenas lacerações sem sangramento significativo, distúrbios comportamentais ou psicológicos.
Expectante – lesões extensas com chances de sobrevida improváveis, mesmo com o cuidado definitivo. Os indivíduos neste grupo devem ser separados dos outros casos, mas não abandonados. As medidas de conforto devem ser fornecidas quando possível.
                4
      Preta
Pacientes irresponsivos com lesões cranianas penetrantes ou raquimedulares altas, lesões envolvendo múltiplas áreas corporais e órgãos, queimaduras de 2º/3º grau em mais de 60% da área de superfície corporal, convulsões ou vômitos dentro de 24 horas após exposição à radiação, choque profundo com múltiplas lesões, respirações agônicas, ausência de pulso, sem pressão arterial, pupilas fixas e dilatadas.
Fonte: Adaptado de BRUNNER & SUDDARTH (2005)

O Enfermeiro pode desempenhar diferentes funções em eventos catastróficos, sendo seu papel definido mediante as necessidades específicas que a instituição de saúde e equipes de trabalho apresentam, bem como as particularidades que o desastre gerou. Por exemplo, o Enfermeiro pode atuar na triagem principal das vítimas, realizar procedimentos avançados, caso possua capacitação para tal e respaldo da instituição, dar assistência no luto as famílias com a identificação dos entes queridos, gerenciar e/ou fornecer as atividades de cuidado em hospitais de campanha (provisórios) ou mesmo coordenar a distribuição dos recursos materiais e humanos entre as equipes de atendimento.

Estes são apenas alguns exemplos das atividades que podem ser realizadas, mas não contemplam todas as atividades desempenhadas nestes eventos. Há ainda as ações voltadas para o controle e divulgação de informações à mídia e às famílias, o gerenciamento de possíveis conflitos internos, como o uso dos recursos disponíveis; de origem étnica/cultural, referente aos hábitos e costumes particulares dos acidentados e familiares; e de cunho religioso, relacionado às crenças e costumes específicos das vítimas envolvidas, principalmente nos casos de óbito.

Estes exemplos ilustram algumas situações possíveis em casos de acidentes em massa, devendo ser considerados pelos profissionais de saúde das equipes de atendimento. São casos que podem acontecer em eventos que envolvam um grande número de turistas, sendo do próprio país ou estrangeiros.

Concluindo esta primeira parte do artigo, os Enfermeiros devem estar preparados para atuar em novos ambientes e em papéis atípicos em casos de desastre. O princípio que deve nortear suas ações é o de fazer o bem ao maior número de pessoas que for possível.

ARTIGO POR PAULA ROCHA LOUZADA VILLARINHO


REFERÊNCIAS CONSULTADAS:


BRUNNER & SUDDARTH. Suzanne C. Smeltzer, Brenda G. Bare. Tratado de Enfermagem Médico-Cirúrgica. 10 ed. vol 4. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan. 2005

FRANÇA, G V de. Desastres de Massa - Sugestões para um Itinerário Correto de Auxílios. Revista Bioética, Brasília, v. 2, n. 2, nov/dez 1994. Disponível em:  <http://www.revistabioetica.cfm.org.br/index.php/revista_bioetica/article/viewFile/471/340>.  Acesso em: 25 set 2013.


Fonte: PORTAL EDUCAÇÃO - Cursos Online : Mais de 1000 cursos online com certificado 
http://www.portaleducacao.com.br/enfermagem/artigos/50958/enfermagem-do-desastre-acidentes-em-massa-terrorismo-e-catastrofes-naturais?utm_source=ALLINMAIL&utm_medium=email&utm_content=79100890&utm_campaign=Top_10_-_100_-_Enfermagem&utm_term=y.jm.lt92.yuw2bi.b.ecu.q.hd#ixzz3J4BF8j12

Drogas: Cartilha para pais de adolescentes

Drogas: Cartilha para pais de adolescentes



Ótimo material, acesse o link abaixo e veja o conteúdo, você pode também fazer o download para seu computador, ou até imprimir o material, vale a pena conferir.

http://www.obid.senad.gov.br/portais/OBID/biblioteca/documentos/Publicacoes/cartilhas/328194.pdf

Saiba como combater os ácaros


Nesta época do ano, o calor e as chuvas favorecem o aumento de problemas respiratórios. Isso porque ambientes muito úmidos e quentes facilitam a proliferação de ácaros, parasitas que provocam irritações no nariz e na garganta.
Esses seres minúsculos sobrevivem em lugares como colchões, tapetes e travesseiros e se alimentam de escamas de pele humana.
De acordo com a clínica geral do Hospital Federal da Lagoa, no Rio de Janeiro, Rúbia Americano, os ácaros liberam excrementos que causam diversas doenças alérgicas no ser humano como rinite, asma alérgica e dermatite.
Rúbia Americano explica que o tratamento para essas complicações começa com a prevenção. "Quanto menos cortinas, tecidos, quanto menos usarmos prolongadamente roupas de cama, melhor. Expor ao sol e o ferro de passar roupa podem ser usados como um fator de prevenção. Isso tudo pode ajudar as pessoas que têm esse problema que é bem específico, não é para todo mundo, é bem especificamente para que tem essa tendência de problemas respiratórios", afirma Americano.
A estudante Cássia Dantas sabe bem disso. Como sofre de alergia respiratória, ela conta que está atenta aos cuidados com a limpeza para evitar novas crises. "Tem a questão do ácaro também que acaba incomodando. Para quem é alérgico é bem complicado isso, o ambiente tem que ficar bem limpo e aí, quando ele acumula sujeira, acaba transmitindo outras coisas pra gente", diz Dantas. 
Ainda de acordo com a médica clínica geral, Rúbia Americano, o tratamento de irritações respiratórias e cutâneas causadas por ácaros é medicamentoso, mas se a pessoa se expuser novamente ao parasita, o problema alérgico reaparece. Por isso, as medidas de prevenção não podem ser interrompidas.
Fonte: http://www.brasil.gov.br/saude/2014/11/saiba-como-combater-os-acaros
Fonte imagem: google imagens
- See more at: http://www.ibacbrasil.com/noticias/geral/saiba-como-combater-os-acaros?utm_source=Lista+Geral&utm_campaign=32477e00d1-destaques_11111411_11_2014&utm_medium=email&utm_term=0_7251bf01a7-32477e00d1-45983085#sthash.Zwy5Krqe.dpuf