Sabemos que Deus age em todas as coisas para o bem daqueles que o amam, dos que foram chamados de acordo com o seu propósito.
Romanos 8:28

quarta-feira, 22 de outubro de 2014

MUSICOTERAPIA EM ENFERMAGEM

A enfermagem tem em sua essência a arte do cuidarA enfermagem tem em sua essência a arte do cuidar, um dos principais papéis do enfermeiro é proporcionar conforto para o paciente.

Sabemos que algumas doenças degenerativas e progressivas como Alzheimer e Parkinson, são enfermidades que não tem cura para a ciência atual. Sendo assim como trazer o mínimo de conforto e bem estar para pacientes com essas patologias e seus familiares consequentemente?

O enfermeiro tem em suas mãos uma importante ferramenta para conseguir abrandar e até mesmo extrair melhoras desse paciente, o uso da musicoterapia vem sendo estudado em diversas áreas da saúde, tendo sido observado melhoras significativas em pacientes com quadros de doenças neurológicas, sendo elas degenerativas ou não.

Ao cuidar com um paciente com Alzheimer ou Parkinson, nos deparamos com duas barreiras primeiramente, a comunicação que está prejudicada e a barreira física, pois essas doenças trazem incapacidade por degenerarem Sistema Nervoso e trazerem assim prejuízos motores, os pacientes com essas patologias também tendem a ter depressão, ficando quietos e muitas das vezes isolados.

A música trabalha locais do Sistema Nervoso que estão prejudicados por essas patologias, o enfermeiro musicoterapeuta através de uma investigação individual do paciente e de suas pesquisas sobre musicoterapia, consegue fazer com que haja uma grande melhora na comunicação e resposta motora desses pacientes, trazendo-os para um atuante convívio com a sociedade e a família.

A música trabalha corpo, mente e alma, ao observarmos um paciente com Alzheimer, ouvir sua canção predileta podemos contatar suas reações faciais, corporais e verbais, podendo em alguns casos nas primeiras sessões de musicoterapia ter uma resposta verbal de um paciente até então afásico.

Isso para enfermagem é extremamente importante tendo em vista a melhora dos cuidados com o paciente e até a melhora do estado geral do paciente, sem contar com a melhora da relação entre o paciente e a família que já não o vê mais como aquele ente que fazia parte daquele grupo e sim como uma nova pessoa, distante e com muitas necessidades que muitas vezes desespera o familiar, sendo esse um dos motivos para internação de pacientes em Instituições de Longa Permanência. 

Sabendo que a dor hoje é considerada o quinto sinal vital, os pacientes com doenças neurodegenerativas tem dificuldade em expressar a sensação de dor, o enfermeiro com o uso da musicoterapia pode se beneficiar desse instrumento para fazer com que esse paciente comunique sensações como dor, frio e sede, por exemplo, são inúmeros os benefícios e atuações do enfermeiro com a musicoterapia.

A musicoterapia como instrumento de enfermagem pode ser usada como instrumento de melhora e como instrumento para cuidados paliativos também, tendo em mente que os cuidados paliativos não podem ser encarados de forma inferior aos outros tipos de tratamento.

São inúmeras as pesquisas que confirmam que o ser humano tem um instinto musical inato. Sendo a música uma linguagem universal, que possibilita a mediação de uma relação subjetiva, sendo assim, é um meio de comunicação capaz de gerar sentidos ultrapassando os limites da comunicação verbal (Vianna, 1998).


Por:
 KATIA DA COSTA SILVA BRITO

Referências


BERGOLD, L.B.; ALVIM, N.A.T.; CABRAL, I.E. O lugar da música no espaço do cuidado terapêutico: sensibilizando enfermeiros com a dinâmica musical. Texto Contexto Enfermagem: v.15, n.2, p.262-9, 2006.


SEKI, N. H.:GALHEIGO, S.M. Interface, Comunicação, Saúde e Educação: o uso da música nos cuidados paliativos. Disponível em http://www.scielo.br/scielo.php. Acesso em 16,abr,2014



Fonte: PORTAL EDUCAÇÃO - Cursos Online : Mais de 1000 cursos online com certificado 
http://www.portaleducacao.com.br/enfermagem/artigos/56237/musicoterapia-em-enfermagem#ixzz3GtA01jtm