Sabemos que Deus age em todas as coisas para o bem daqueles que o amam, dos que foram chamados de acordo com o seu propósito.
Romanos 8:28

terça-feira, 11 de junho de 2013

Principais doenças de inverno

GRIPE

A doença é causada por vírus, é transmitida através da fala, da tosse, espirro, mão contaminada pela pessoa que assoou o nariz, ou espirrou e não lavou a mão, causa na pessoa cansaço, febre, dores no corpo, dor na cabeça e dor na garganta. Pode ser prevenida com a vacina da gripe que reforça a imunidade, principalmente para as pessoas dos grupos prioritários, que são os trabalhadores da área da saúde, as crianças, gestantes, puérperas, os idosos, indígenas  doentes crônicos.

RESFRIADO

A doença é causada por vírus, é transmitida através da fala, tosse, espirro, mão contaminada pela pessoa que assoou o nariz, ou espirrou e não lavou a mão, O resfriado comum normalmente envolve coriza, congestão nasal e espirro. Você também pode ter dor de garganta, tosse, dor de cabeça ou outros sintomas.

PNEUMONIA

A pneumonia é uma doença inflamatória no pulmão.  Pode ser causada por: bactérias, vírus, fungos e parasitas.
Os sintomas da pneumonia são: febre de 39°C a 40°C ,suor frio,calafrios, respiração rápida e curta, tosse com catarro amarela ou esverdeada, sendo que em alguns tipos de pneumonia, a tosse pode vir seca ou sem catarro, dores no peito ou no tórax, diarreiasvômitos,náuseas e cansaço.Os sintomas mais graves podem incluir: cianose central, diminuição de sede, convulsões, vômitos persistentes, ou uma diminuição do nível de consciência.

BRONQUITE

Bronquite é uma inflamação dos brônquios, Ela se instala quando os minúsculos cílios que revestem o interior dos brônquios param de eliminar o muco presente nas vias respiratórias. Esse acúmulo de secreção faz com que eles fiquem permanentemente inflamados e contraídos.

Causas

A bronquite aguda é causada geralmente por vírus, embora, em alguns casos, possa ser resultado de uma infecção bacteriana. As crises também podem ser desencadeadas pelo contato com poluentes ambientais e químicos (poeira, inseticidas, tintas, ácaros, etc.). 
Sintomas
Tanto na forma aguda quanto na crônica, a tosse é o principal sintoma da bronquite. Na bronquite aguda, ela pode ser seca ou produtiva. Na crônica, é sempre produtiva e a expectoração clara no início, pode tornar-se amarelada e espessa com a evolução da enfermidade. Falta de ar e chiado são outros sintomas da bronquite crônica.
ASMA

A asma brônquica é a inflamação crônica dos brônquios, que ficam mais estreitos e dificultam a respiração do paciente em episódios repetidos de tosse e falta de ar. A asma é uma doença hereditária que acontece principalmente em famílias de indivíduos alérgicos (atópicos) e ela é desencadeada quando o paciente:


Entra em contato com alérgenos ou produtos químicos (perfumes, corantes, etc.)

Sofre infecções respiratórias, como gripe e pneumonia

É submetido a variações bruscas de temperatura.

A asma ocorre em todas as idades, sendo mais comum na infância. Filhos de asmáticos têm maior probabilidade de desenvolver a doença.

A doença não tem cura, mas pode ser controladacom tratamento adequado, possibilitando ao paciente ter vida normal, inclusive com a práticade esportes.


Os sintomas da asma brônquica são episódios de:

Falta de ar
Tosse
Cansaço
Chiado e aperto no peito.

São agravados à noite e nas primeiras horas da manhã, ou durante a prática de algum exercício, para o qual o paciente não esteja fisicamente preparado.

A asma pode ser classificada em:

Leve: Crises de baixa intensidade e esporádicas, que pouco influem na vida diária do paciente. Os sintomas são discretos e o sono não é prejudicado. Às vezes, tosse é o único sintoma.

Moderada: Crises de média intensidade, ocorridas mais de uma vez por semana, que atrapalham em parte o desenvolvimento de atividades como estudo, trabalho e práticas esportivas. Os sintomas são mais fortes, com chiado intenso, falta de ar, tosse e cansaço. A pessoa não dorme bem.

Grave: Crises de grande intensidade e diárias, que afetam muito o desempenho diário da pessoa. A falta de ar é grave, ocorre mal-estar, tosse e chiado intenso. Em alguns casos, a respiração é pesada e rápida. O indivíduo mal consegue falar ou caminhar.

RINITE

Rinite é uma inflamação das mucosas do nariz, a forma mais comum é a alérgica, em que a sensibilidade aumenta quando entra em contato com algumas substância, como poeira, pólen, pelos, perfumes e produtos químicos.
A casa de quem tem rinite deve ser bem arejada e livre de coisas que podem acumular poeira, como tapetes, cortinas, sofás desencapados e bichos de pelúcia.

INFLUENZA
O período de incubação da influenza dura de um a quatro dias. A transmissibilidade em adultos ocorre principalmente 24 horas antes do início dos sintomas e dura até três dias após o final da febre. Nas crianças pode durar em média 10 dias, podendo se prolongar,  por mais tempo em pacientes imunossuprimidos.
SINAIS E SINTOMAS
Infecção aguda das vias aéreas que cursa com quadro febril (temperatura ≥ 37,8°C), com a curva térmica usualmente declinando após 2 a 3 dias e normalizando em torno do sexto dia de evolução. A febre geralmente é mais acentuada em crianças do que em adultos.
Os demais sinais e sintomas comuns são habitualmente de aparecimento súbito, como:
  • Calafrios;
  • Mal-estar;
  • Cefaleia;
  • Mialgia
  • Dor de garganta;
  • Artralgia
  • Prostração;
  • Rinorreia;
  • Tosse seca. 
Podem ainda estar presentes:
  • Diarreia;
  • Vômito;
  • Fadiga;
  • Rouquidão;
  • Hiperemia conjuntival.
As queixas respiratórias, com exceção da tosse, tornam-se mais evidentes com a progressão da doença e mantêm-se, em geral, por três a quatro dias após o desaparecimento da febre. A rouquidão e a linfadenopatia cervical são mais comuns em crianças. A tosse, a fadiga e o mal-estar frequentemente persistem pelo período de uma a duas semanas e raramente podem perdurar por mais de seis semanas.
As complicações mais comuns são:
- Pneumonia bacteriana  e por outros vírus;
- Sinusite;
- Otite;
- Desidratação;
- Piora das doenças crônicas do tipo insuficiência cardíaca, asma ou diabetes ;
- Pneumonia primária por influenza,  que ocorre predominantemente em pessoas com doenças cardiovasculares (especialmente doença reumática com estenose mitral) ou em mulheres grávidas.
São sinais de agravamento (piora do estado clínico):
  • Aparecimento de dispneia ou taquipneia ou hipoxemia – SpO² < 95%
     
  • Persistência ou aumento da febre por mais de três dias (pode indicar pneumonite primária pelo vírus influenza ou secundária a uma infecção bacteriana);
     
  • Exacerbação de doença pré-existente (Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica – DPOC, cardiopatia ou outras doenças com repercussão sistêmica);
     
  • Disfunções orgânicas graves (exemplo: insuficiência renal aguda);
     
  • Miosite comprovada por creatinofosfoquinase – CPK (≥ 2 a 3 vezes);
     
  • Alteração do sensório;
     
  • Exacerbação dos sintomas gastrointestinais em crianças;
     
  • Desidratação.

SÃO CONSIDERADAS CONDIÇÕES E FATORES DE RISCO PARA COMPLICAÇÕES
- Grávidas em qualquer idade gestacional, puérperas até duas semanas após o parto (incluindo as que tiveram aborto ou perda fetal);
- Adultos ≥ 60 anos;
- Crianças < 2 anos;
População indígena aldeada.

- Indivíduos menores de 19 anos de idade em uso prolongado de ácido acetilsalicílico 
(risco de Síndrome de Reye);

- Indivíduos que apresentem:
                  - Pneumopatias (incluindo asma);
                  - Cardiovasculopatias (excluindo hipertensão arterial sistêmica);
                  - Nefropatias;
                  - Hepatopatias;
                  - Doenças hematológicas (incluindo anemia falciforme);
                  - Distúrbios metabólicos (incluindo diabetes mellitus);
                  - Transtornos neurológicos e do desenvolvimento que podem comprometer a função respiratória ou aumentar o risco de aspiração (disfunção cognitiva, lesão medular, epilepsia, paralisia cerebral, Síndrome de Down, Acidente Vascular Cerebral - AVC ou doenças neuromusculares);
                 - Imunossupressão associada a medicamentos, neoplasias, HIV/Aids ou outros;
                 - Obesidade (Índice de Massa Corporal - IMC ≥ 40 em adultos);