Sabemos que Deus age em todas as coisas para o bem daqueles que o amam, dos que foram chamados de acordo com o seu propósito.
Romanos 8:28

quarta-feira, 19 de junho de 2013

Primeiros socorros em caso de exposição ao gás lacrimogêneo






Gás lacrimogêneo (português brasileiro) ou gás lacrimogéneo (português europeu) (do latimlacrima = lágrima) é um nome genérico dado a vários tipos de substâncias irritantes da pele,olhos (pode causar cegueira temporária) e vias respiratórias, tais como o brometo de benzila, ou o gás CS (clorobenzilideno malononitrilo). O uso crescente do gás lacrimogêneo, pela polícia e exército, como arma de "controle de multidões" deveu-se ao fato de, supostamente, ser capaz de dispersar multidões sem causar efeitos letais (mortes). Os primeiros estudos clínicos mostravam que o gás causava irritação e mal-estar e, em concentração controlada, era incapaz de deixar marcas ou causar óbitos. Por isso era chamado de arma não letal. Porém, em crianças de colo o efeito pode ser consideravelmente perigoso.
Gases lacrimogênios populares são os irritantes oculares CS, CN (cloroacetofenona) e CR(dibenzoxazepina), e o irritante respiratório aerossol de pimenta ou gás OC (de oleorresinaCapsicum).

Efeitos do gás lacrimogênio


Os efeitos da exposição ao gás lacrimogêneo são reações involuntárias de lacrimação com uma forte sensação de queimadura nas terminações nervosas da pele. Coceiras, inflamações, dor de cabeça, leve vertigem, sensação de insuficiência respiratória são os efeitos mais comuns.
Atualmente, os gases lacrimogêneos, incluindo o gás de pimenta, são legalizados em alguns países, apenas como armas para auto-defesa, porém tais armas - disponíveis em embalagens portáteis, como latas de spray - necessitam de licença e treinamento para seu porte e seu uso é restrito.

Primeiros socorros


Afastar-se do local com gás lacrimogêneo, de preferência muito próximo ao chão e após, correr contra o vento de braços abertos para que o pó (gás lacrimogêneo em pó) saia da pele e das roupas.
Após a exposição ao gás lacrimogêneo deve-se lavar muito bem todos os objetos que foram "contaminados" pois podem conter vestígios do gás em forma de pó. As roupas devem preferencialmente ser inutilizadas assim como as lentes de contato. Uma consulta com um oftalmologista pode ser indicada para verificar se os olhos não sofreram maiores danos.
Se tiver falta de ar, desmaios ou outro sintoma mais grave procure o pronto socorro mais próximo.
Nunca se esqueça
SAMU - 192
Corpo de Bombeiros - 193

Gás lacrimogêneo pode matar?

O gás lacrimogêneo utilizado em ambientes abertos não pode matar pois o gás se dispersa relativamente rápido e além disso, o indivíduo pode afastar-se para conseguir respirar melhor, mas se o gás lacrimogêneo for utilizado num ambiente fechado, em altas concentrações, pode causar graves lesões na pele, nos olhos e nas vias aéreas e até mesmo levar à morte devido à eventuais queimaduras nas via respiratórias e asfixia, principalmente em indivíduos que sofrem de doenças respiratórias, crianças e grávidas.

Observação:

Vinagre não protege contra gás lacrimogêneo e pode até causar mais irritação

Segundo toxicologista, o vinagre pode até causar mais irritação a quem for exposto ao gás lacrimogêneo; a solução caseira mais eficaz seria usar muito carvão ativado sob um pano para cobrir a boca e o nariz, além de uma máscara de mergulho para proteger os olhos.
O vinagre virou um dos personagens principais das últimas manifestações em São Paulo, no Rio e em outras partes do país. Ninguém sabe ao certo de onde saiu a ideia de que o ácido acético, presente no tempero, ajudaria a neutralizar os efeitos do gás lacrimogêneo usado pela polícia para conter os protestos. Mas a recomendação não passa de mito, garante o toxicologista Anthony Wong, diretor do Ceatox (Centro de Assistência Toxicológica do HC de São Paulo).
"Não adianta nada. E a irritação pode até piorar", avisa Wong, que diz nunca ter ouvido falar antes sobre essa suposta propriedade do vinagre. Se usado em grandes quantidades, inclusive, o ácido acético pode provocar ainda mais dano às mucosas afetadas pelos componentes irritantes do gás lacrimogêneo. Ele ainda comenta que, há pouco tempo, foi divulgado que o líquido ajudaria a burlar o bafômetro, o que também é mentira. 
Para conter o gás lacrimogêneo, sem dúvida o melhor artefato é a máscara usada pela própria polícia, que possui carvão ativado, capaz de adsorver (fazer aderir à superfície) as substâncias irritantes. 
Uma solução caseira, segundo Wong, seria comprar uma grande quantidade de carvão ativado (vendido em lojas de produtos químicos), envolver em um pano grande e cobrir a boca e o nariz. Quando inalado por muito tempo, o gás pode até vir a provocar bronquite e pneumonia.
A proteção improvisada, no entanto, não seria suficiente para proteger os olhos e a pele, observa o médico, o que é um risco e tanto:  "Logo após a explosão, os componentes do gás lacrimogêneo ainda estão em estado líquido e podem provocar queimaduras graves", alerta o toxicologista. Portanto, o conselho dele é mesmo se afastar de possíveis locais onde essas bombas possam ser usadas.
O Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC), dos EUA, ensina as pessoas a tirarem as roupas imediatamente após a exposição ao gás lacrimogêneo. As peças devem ser envolvidas em sacos plásticos e entregues às equipes responsáveis pelo atendimento a vítimas de exposição, pelo risco de provocar irritações graves em quem tocar nelas. 
Questionado sobre os cilindros com data de validade vencida, que teriam sido usados pela PM no protesto da última quinta-feira, em São Paulo, Wong esclarece que não há risco de intoxicação maior. O que é mais provável acontecer, de acordo com ele, é o gás perder eficácia. 
Olhos em risco
Os danos da arma usada por policiais à mucosa dos olhos também podem ser críticos. "O gás lacrimogêneo pode levar a uma lesão definitiva da córnea se a concentração for muito forte", avisa o oftalmologista Renato Neves, do Aging Eye Institute. "Causa uma irritação intensa da conjuntiva (mucosa dos olhos) e da córnea. E, dependendo da proximidade e concentração, ocorre também ceratite, que é a irritação da camada superficial da córnea, o que leva a muita dor e dificuldade de abrir os olhos", continua.
Óculos comuns não resolvem. E Neves lembra que lentes de contato "podem fixar o gás e aumentar o tempo de exposição".  O ideal, portanto, seria usar um óculos como o de natação, com vedação completa. Para Wong, melhor ainda seria adotar uma máscara de mergulho.