Sabemos que Deus age em todas as coisas para o bem daqueles que o amam, dos que foram chamados de acordo com o seu propósito.
Romanos 8:28

quinta-feira, 15 de novembro de 2012

Traumas na primeira infância ocasionam marcas permanentes no cérebro


Um Estudo feito pela Universidade Rockefeller, de Nova Iorque, aponta que traumas ocorridos na primeira infância – crianças de 1 – 6 anos -  podem deixar marcas irreparáveis no sistema nervoso central da criança por toda a vida, as áreas mais afetadas correspondem a afetividade e o comportamento, causando impacto na cognição, na saúde física e mental da criança.
 A pesquisa abrangeu os efeitos do abuso físico precoce, condição socioeconômica e tratamento materno (relação entre mãe e filho). 
 Os pesquisadores documentaram o impacto do trauma precoce nos circuitos e volumes cerebrais, a ativação dos genes e a memória de trabalho. O resultado apontou aumento de risco de transtornos mentais, cardiopatias e estresse na fase adulta. Além disso, o abuso físico na infância pode ser responsável por delinear o perfil do indivíduo, refletindo, por conseguinte, em suas futuras relações interpessoais, suas escolhas no trabalho e relocar suas condições emocionais, físicas e psicossociais. 
 Os estudos também compreendem as alterações na memória do trabalho e déficits de atenção que estão diretamente relacionados com a pobreza infantil. O nível de escolaridade dos pais e a renda familiar também estão associados à dimensão cerebral e estruturas importantes para a memória e emoção das crianças.
 Bruce McEwen, da Universidade Rockefeller, afirma que "enquanto estamos nos tornando conscientes, o impacto que a adversidade tem sobre o desenvolvimento cerebral é devastador. Os resultados deste estudo revelam alterações específicas em regiões cerebrais específicas, com natureza de longa duração. Ao fazer isso, a pesquisa aponta não apenas para nova forma de detecção e tratamento destes distúrbios de saúde mental e doenças crônicas, mas também enfatiza a importância da prevenção do abuso e negligência no início da vida.”.
 Por isso, políticas públicas que visem proteger e fazer a manutenção de boas condições de vida para essas crianças se faz necessário. Promoção e prevenção da saúde de indivíduos em sua infância acarretaram em índices favoráveis para que esses sejam adultos bem compreendidos e que buscam utilizar suas experiências de vida em prol do bem-estar dele e de sua família, diminuindo consideravelmente os índices de indivíduos que apresentam algum tipo de distúrbio originado por traumas sofridos enquanto crianças. 

fonte: http://www.ibacbrasil.com/noticias/enfermagem/traumas-na-primeira-infancia-ocasionam-marcaspermanentesnocerebroutm_source=sendnews&utm_medium=campanha&utm_content=Subscriber%23518&utm_campaign=Atualiza%C3%A7%C3%A3o%20Ed.20%20Novembro%2F2012