Sabemos que Deus age em todas as coisas para o bem daqueles que o amam, dos que foram chamados de acordo com o seu propósito.
Romanos 8:28

quinta-feira, 15 de março de 2012

Saiba Por que tantos acidentes de trânsito na infância?


As condições ambientais interferem na incidência dos acidentes de trânsito quando representam obstáculos para a visibilidade de motoristas e pedestres. Por exemplo: noite, chuva e neblina tornam-se perigos adicionais. O período mais crítico é das 18h às 20h, tanto pelo intenso movimento quanto pela rápida alteração da luminosidade natural.

Quanto às condições de tráfego e das vias públicas, os centros urbanos brasileiros deixam muito a desejar. As cidades estão cada vez mais superlotadas de veículos e carecem de melhor planejamento urbano e de tráfego. Vemos inúmeras vias em péssimas condições de manutenção, falta sinalização adequada em diversos pontos de tráfego, e ainda carecemos de uma fiscalização de trânsito mais eficiente. Cabe lembrar que as vias e pistas múltiplas e com sentido duplo são as mais perigosas.

A política de mobilidade urbana vigente em nosso país prioriza o tráfego de automóveis em detrimento da circulação de todos. Os privilégios concedidos ao automóvel na gestão de obras viárias e rodoviárias, pelas várias instâncias de governos, sobrepõem-se aos direitos elementares das pessoas. Vemos predominar o individualismo, a violência e a impunidade, ao invés de um trânsito seguro cujos imperativos sejam a coletividade e o exercício diário de cooperação e solidariedade.

No âmbito do comportamento coletivo, os acidentes de trânsito são frutos de posturas agressivas, impulsivas e competitivas, da desatenção ou desconhecimento das regras de trânsito, assim como do individualismo e pressa característicos do estilo de vida moderno. Todos querem chegar antes, beneficiando apenas si próprio, mesmo que isto custe o desrespeito à vida e às convenções do trânsito.

Ressaltamos ainda o comportamento de pais e responsáveis por crianças e adolescentes até 14 anos. Neste sentido, são fatores que contribuem com as trágicas ocorrências no trânsito:
• falta de educação para o trânsito;
• falta de acompanhamento das crianças pedestres (principalmente os menores de 10 anos, que não devem travessar a rua sem acompanhamento adulto);
• uso de cintos, assentos e cadeirinhas de segurança incompatíveis com peso e tamanho da criança;
• trafegar com crianças soltas no carro, sem nenhum dispositivo de segurança;
• trafegar com bebê em colo;
• instalação inadequada dos equipamentos de segurança;
• não adoção de equipamentos de segurança (capacete, cotoveleiras, joelheiras e sinalizadores) para tráfego em bicicleta, skates e patins