Sabemos que Deus age em todas as coisas para o bem daqueles que o amam, dos que foram chamados de acordo com o seu propósito.
Romanos 8:28

quinta-feira, 29 de março de 2012

Mitos e fatos sobre o uso da cadeira de segurança

Mitos e fatos sobre o uso da cadeira de segurança



MITO: Em um acidente de carro de baixa velocidade, um adulto pode proteger a criança segurando-a no colo.

MITO: O cinto de segurança é suficiente para a criança.

MITO: Só há a necessidade de afivelar a criança na cadeira de segurança e de usar o cinto se estiver dirigindo em longas distâncias ou em estradas.

MITO: Nos veículos não previstos pela Resolução 277 do CONTRAN*, táxis e transporte escolar por exemplo, a criança não necessita da cadeirinha.

FATO: Uma criança no colo não está segura. Por exemplo, uma criança que pesa 10 kg, em um acidente a uma velocidade de 50km/h, atingirá um peso aproximado de 500 Kg, dependendo do porte do carro. O adulto pode esmagá-la ou, provavelmente, não conseguirá segurá-la e a criança será jogada contra outros passageiros, o vidro dianteiro ou para fora do veículo.

FATO: Os cintos de segurança dos carros são desenvolvidos com base em uma altura mínima de 1,45m. Portanto, não atendem às necessidades físicas e de desenvolvimento das crianças.

FATO: Não é verdade: cerca de 60% dos acidentes graves e/ou fatais ocorrem em menos de 30 minutos de passeio.

FATO: Transportar a criança em táxis e vans escolares sem o uso da cadeirinha não está em desacordo com a Lei, mas oferece riscos à criança de qualquer forma. Crianças de até 36 Kg e 1,45 m de altura devem sempre utilizar o dispositivo de retenção adequado ao seu peso independentemente do veículo que irá transportá-las.

* A Resolução 277 do CONTRAN foi estabelecida em maio de 2008 e passou a obrigar o uso da cadeirinha em veículos de passeio para o transporte de crianças.

A CRIANÇA SEGURA é uma Organização da Sociedade Civil de Interesse Público, dedicada à promoção da prevenção de acidentes com crianças e adolescentes até 14 anos. Para cumprir sua missão, desenvolve ações de Comunicação, Mobilização e Políticas Públicas.

Sobre a cadeira:

Utilize sempre uma cadeira de segurança adequada ao peso da criança.
Não reutilize cadeiras de segurança que já estiveram envolvidas em um acidente de carro.
O selo do INMETRO é obrigatório nas cadeiras de segurança comercializadas no Brasil. Utilize apenas produtos com o selo do INMETRO ou certificação européia ou americana.



Sobre a instalação:

Leia atentamente o manual de instrução da cadeira de segurança e do veículo para uma instalação correta.
Nunca acomode uma criança no banco da frente do carro. Uma exceção são as caminhonetes de cabine simples (sem banco traseiro). Neste caso, afaste ao máximo o banco do painel do carro. Caso tenha airbag de passageiros, este deve ser desligado, pois pode causar sérias lesões à criança.
Prenda firmemente a cadeira de segurança com o cinto do carro e tenha certeza de que este esteja passando nos locais corretos do equipamento. A cadeira não deve
mover-se mais que 2cm de um lado para o outro. Dica: pressione a cadeira com o joelho para tirar a folga do cinto.
Existem diversos modelos de cadeiras certificadas e tipos de cintos de segurança. Antes de comprar a cadeira, experimente-a no banco traseiro do seu carro para certificar-se que ela se encaixará adequadamente.


Veja qual o modelo de cadeira de segurança mais adequado ao peso e idade da criança:



Para crianças com deficiências físicas, a ONG CRIANÇA SEGURA recomenda o acompanhamento do ortopedista e fisioterapeuta do caso para a instalação e
uso destes equipamentos.

fonte: http://criancasegura.org.br/