Sabemos que Deus age em todas as coisas para o bem daqueles que o amam, dos que foram chamados de acordo com o seu propósito.
Romanos 8:28

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

Entrevista - Consultora do Ministério da Saúde fala sobre realidade e perspectivas da Enfermagem nas urgências


ENTREVISTA REDUZINDO AS DIFERENÇAS

Consultora do ministério da saúde fala sobre a atuação da Enfermagem no APH e aponta caminhos para diminuir as disparidades entre oportunidades aos profissionais

Os 27 anos de experiência de Marisa Malvestio como enfermeira renderam uma análise interessante sobre o setor, combinada a conhecimentos em Urgências e Emergências. Para Marisa, o futuro dos profissionais de Enfermagem no APH reserva crescimento, porém ainda é necessário minimizar discrepâncias na qualidade do serviço oferecido à população brasileira - o que só será possível por meio de uma capacitação mais uniforme em todo o país.

Em entrevista à Emergência, Marisa fala sobre o espaço alcançado pelos enfermeiros na área de Urgências nos últimos anos. Aborda, ainda, a questão de utilização de novas ferramentas e as dificuldades para a implantação da capacitação para profissionais que atuam na rede SAMU, que não é obrigatória e depende da gestão local de cada unidade.

Revista Emergência: Como consultora técnica do Ministério da saúde e na condição de profissional de Enfermagem, qual a importância de se ter a Enfermagem brasileira sendo representada nas discussões das Urgências e Emergências em nível nacional?

Marisa Aparecida Amaro Malvestio: As atividades da Enfermagem não se restringem apenas à execução ou supervisão de cuidados, elas incluem também gestão desse cuidado. Essa experiência na gestão tornou natural que o profissional enfermeiro fosse convidado a participar das discussões mais amplas sobre as políticas públicas nesse campo. Atualmente, existem muitos de nós no grupo de consultores e gestores do Ministério da Saúde. Mas é preciso enfatizar que os enfermeiros sempre estiveram representados ao longo de todos esses anos. O que pode ter variado é a expressão com que participaram e o momento histórico que se apresentava. Hoje, finalmente, há um investimento muito grande na área de Urgência e ações simultâneas estão tomando corpo, exigindo a participação de vários profissionais. Assim, os enfermeiros ocuparam seu espaço e suas ações são cada vez mais reconhecidas, inclusive por seus pares.

Por Priscilla Nery
Foto: Priscilla Nery


fonte:http://www.revistaemergencia.com.br/site/content/materias/materia_detalhe.php?id=Acjg