Sabemos que Deus age em todas as coisas para o bem daqueles que o amam, dos que foram chamados de acordo com o seu propósito.
Romanos 8:28

sábado, 30 de julho de 2011

Urgências terão Força Nacional e atenção domiciliar


O Ministério da Saúde publicou na sexta-feira (8) a portaria que inicia o programa Saúde Toda Hora, que reorganiza e qualifica a rede de atenção às urgências. Entre as novidades, o setor contará com a Força Nacional de Saúde e atenção domiciliar. Nos hospitais serão criadas Unidades Coronárias, Leitos de Retaguarda e Unidades de Atenção ao Acidente Vascular Cerebral (AVE).
"Estamos mudando a forma de financiamento e atuação da urgência e emergência. Quando organizamos o setor em rede, estamos claramente pensando em um atendimento integral ao cidadão", disse o ministro. Para ele, atualmente a população se sente pouco acolhida ao buscar um serviço de urgência e emergência. "Resolvemos enfrentar esse problema com a reestruturação do atendimento", explica o ministro da Saúde, Alexandre Padilha.
Com o Saúde Toda Hora, a comunicação entre as centrais de regulação, a UPA e a Unidade Básica de Saúde ou o hospital vai tornar o atendimento ainda mais rápido e eficaz, reduzindo mortes ou sequelas ao paciente. Esse formato de funcionamento integrado entre várias unidades de promoção, prevenção e atendimento à saúde é uma das principais características do novo programa.

Força Nacional
O modelo estabelecido para a Rede de Atenção às Urgências incorpora novos serviços e estabelecimentos de saúde. A Força Nacional de Saúde do SUS reunirá, por exemplo, profissionais especializados em atendimento a vítimas de desastres naturais que necessitem de uma resposta rápida, apoio logístico e atendimento médico especializado.

Atenção domiciliar
Outra novidade é a Atenção Domiciliar para os pacientes do SUS com dificuldades de locomoção ou pessoas que precisem de cuidados regulares ou intensivos, mas não de hospitalização. Eles passarão a ter cuidados ambulatoriais e hospitalares em casa, ampliando o campo de trabalho dos profissionais de saúde que atuam na Atenção Básica. O objetivo é reduzir a demanda por atendimento hospitalar e o tempo de internação das pessoas. O investimento previsto para a Atenção Domiciliar é de R$ 36,5 milhões, neste ano.

Nos hospitais
As estruturas hospitalares também serão qualificadas para o atendimento em urgência e emergência, sem restringir as portas de entrada aos prontos-socorros. O novo programa vai priorizar os atendimentos a traumas, problemas cardíacos e Acidente Vascular Encefálico (AVE) por meio da criação, dentro dos hospitais, de unidades especializadas nessas demandas.
As Unidades Coronarianas, as Unidades de AVE e os leitos clínicos de retaguarda também vão compor a estratégia. O objetivo é aumentar o financiamento e a quantidade de leitos nos hospitais para esses casos. Os estabelecimentos hospitalares contarão com vagas disponíveis para os casos de urgência e emergência a partir da criação de leitos de retaguarda, evitando espera nas portas dos hospitais, o que pode levar à morte do paciente.

SAMU e UPA
O Serviço de Atendimento Móvel de Urgências (Samu/192) e as Unidades de Pronto Atendimento (UPA 24h) contarão com reajustes no investimento de implantação e custeio dos serviços. As localidades que já possuem UPAs 24h deverão se adequar aos novos critérios das portarias para receberem o acréscimo aos valores de custeio.
De acordo com o ministro Alexandre Padilha, o financiamento será vinculado à regulação e ao monitoramento da qualidade dos serviços e equipamentos de saúde. "As novas exigências do Ministério da Saúde para o repasse de recursos e para a implantação dos componentes de urgência e emergência obrigam os municípios a se integrarem em rede e a promoverem ações na atenção básica e na vigilância em saúde. As medidas são um reforço à atenção integral à saúde da população", afirma.
Confira o texto da Portaria nº 1.600/11 na pagina abaixo no site da revista emergência, que reformula a Política Nacional de Atenção às Urgências e institui a Rede de Atenção às Urgências no SUS, e da Portaria nº 1.601/11, que estabelece diretrizes para a implantação do componente UPA 24h e o conjunto de serviços de urgência 24h da Rede de Atenção às Urgências, em conformidade com a Política Nacional de Atenção às Urgências.

fonte: http://www.revistaemergencia.com.br/site/content/noticias/noticia_detalhe.php?id=J9jaAcjb

Conheça a rotina dos condutores de ambulância - reportagem revista emergência


Eles estão nas ruas driblando o engarrafamento e correndo contra o tempo para aliviar o sofrimento dos que precisam de socorro imediato em unidades hospitalares. São os motoristas de ambulâncias que diariamente transportam pessoas e com muita agilidade ajudam a salvar vidas.
Tais tarefas exigem dos motoristas de ambulância precisão e doação de seu próprio tempo. Os condutores correm riscos de vida diariamente, visto que as condições de trabalho na maioria das vezes são precárias, estradas esburacadas e com grande fluxo de veículos.
Os profissionais ficam expostos a condições insalubres de trabalho e na maioria das vezes terminam auxiliando no atendimento, como afirma Edivaldo Conceição, 62 anos, motorista de ambulância do Hospital Geral do Estado da Bahia, "já que nem sempre temos enfermeiros ou médicos na ambulância, eu presto os primeiros socorros removendo o paciente da maca e conduzindo até o hospital. Apesar de todo o desgaste físico e emocional, eu sou muito feliz por poder ajudar a salvar vidas", diz orgulhoso.
Edivaldo é motorista de ambulância há mais de trinta anos e trabalha 12 horas por dia em dias alternados. Quando deixa o hospital ele dá continuidade a mais uma jornada nas ruas de Salvador, agora como motorista de táxi. Edivaldo conta que mesmo com plantões muito desgastantes nunca faltou um dia de serviço e pretende continuar na atividade ainda por muitos anos.

Foto: Rafael Geyger
fonte:http://www.revistaemergencia.com.br/site/content/noticias/noticia_detalhe.php?id=J9jyJ9jj

terça-feira, 26 de julho de 2011

Cargo de Técnico de Enfermagem no Estado de São Paulo será criado em agosto, promete Secretário


O presidente do COREN-SP, Cláudio Alves Porto, em reunião como o Secretário Estadual de Saúde de São Paulo, Giovanni Guido Cerri, realizada nesta segunda-feira, dia 25 de julho, recebeu a garantia de que o Governador do Estado, Geraldo Alckmin Filho, irá criar o cargo de Técnico de Enfermagem nos quadros do funcionalismo Público Estadual do Estado de São Paulo. O Projeto de Lei (PL) que cria o cargo foi promessa de campanha do governador e está previsto para ser votado no próximo mês de agosto.
Cláudio Porto recebeu também do Secretário de Saúde a garantia de que o programa TecSaúde, desenvolvido pela FUNDAP, terá continuidade. O TecSaúde oferece aos Auxiliares de Enfermagem do Estado de São Paulo, gratuitamente, o curso de complementação para a formação em Técnico de Enfermagem. O TecSaúde também prevê a especialização gratuita em diversas áreas para quem já é Técnico de Enfermagem. Para o TecSaúde, o Governo prevê o investimento de mais de 50 milhões de reais. “A proximidade com as autoridades de saúde do Estado de São Paulo, e o respeito que o COREN-SP conquistou perante os órgãos responsáveis pela saúde da população de São Paulo nos últimos anos, têm sido fundamentais para abrir novos caminhos para a Enfermagem paulista”, comenta Cláudio Porto. “A categoria ainda tem muitas outras necessidades e vamos continuar, como representantes da Enfermagem, lutando por elas”.
Outra notícia recebida pelo presidente do COREN-SP, durante a reunião com o Secretário Estadual de Saúde, tratou do esforço do Estado para criar o pólo de capacitação para profissionais de saúde, no Hospital Auxiliar do Cotoxó, garantido à participação de Enfermeiros, Auxiliares e Técnicos de Enfermagem. Como suporte a esta capacitação, o COREN-SP já colocou à disposição da Secretaria os laboratórios de simulação realística do CAPE – Centro de Aprimoramento Profissional de Enfermagem.



fonte: Conselho Regional de Enfermagem de São Paulo
www.coren-sp.gov.br

IV Encontro de Enfermagem em Urgência e Emergência 29 de julho de 2011


Hospital Estadual Sumaré – IV Encontro de Enfermagem em Urgência e Emergência
A integralidade no cuidado em urgência e emergência
Data: 29 de julho de 2011
Horário: das 8h às 17 h
Público: auxiliares, técnicos de enfermagem, enfermeiros e graduandos
Local: Auditório do Centro de Ensino e Pesquisa do Hospital Estadual Sumaré (Av. da Amizade, 2400, Jardim Bela Vista, Sumaré – SP)
Informações e inscrições: (19) 3883 8900 (ramal 4938) // http://www.hes.unicamp.br/imprensa/21062011_encontro_urgencia_emergencia.php

sexta-feira, 8 de julho de 2011

PROGRAMAÇÃO DO SEMINÁRIO APH 2011 - 11 e 12 de agosto


O APH 2011 - 3º Seminário Nacional de Atendimento Pré-Hospitalar e de Resgate de Acidentados acontece paralelamente à programação das feiras EXPO PROTEÇÃO e a EXPO EMERGÊNCIA, eventos que reunirão mais de 40 mil visitantes entre os dias 10 e 12 de agosto de 2011, no Expo Center Norte, em São Paulo. Além da feira acontecerão também inúmeros cursos de formação voltados aos profissionais de emergência e um conjunto de simulações e demonstrações práticas de atendimentos de emergência. A EXPO EMERGÊNCIA - Feira de Resgate, Atendimento Pré-Hospitalar, Combate a Incêndio e Emergências Químicas é voltada ao setor de emergências e a única no Brasil reunindo especialistas nas áreas de emergências como incêndio, atendimento pré-hospitalar, emergências químicas, resgate e incêndio, apresentando as novidades e debates mais atuais no mundo e no Brasil sobre cada um destes assuntos. A feira tem entrada gratuita.
Participe do Seminário APH 2011 e tenha contato com o que de mais importante acontece neste setor.




Programação

PROGRAMAÇÃO DO SEMINÁRIO APH 2011

11 DE AGOSTO DE 2011 - Quinta-feira

Salas Cantareira 5 e 6

07h30 às 8h30 - Credenciamento

08h30 às 9h15 - Abertura Oficial

09h15 às 10h30 - Conferência:
Atenção às Urgências - Formação de Redes
Conferencista: Dr. Paulo de Tarso Abraão (Coordenador de Urgência e Emergência do Ministério da Saúde - CGUE - Brasília - DF)

10h30 às 12h - Mesa:
Superlotação nas Portas de Emergência - A Visão de Quem Recebe os Pacientes
Participantes:
- Dr. Silvio Possa (Diretor do Hospital Municipal Dr. Moysés Deutsch - M`Boi Mirim - São Paulo - SP)
- Dr. Francisco Romel Lima Araújo - (Hospital Geral de Fortaleza - HGE - Fortaleza - CE)
Coordenador: Dra Júnia Sueoka (Coordenadora do Sistema APH de São Caetano do Sul - SP)

12h às 14h - Sessão de Posters

14h às 15h30 - Mesa:
Integração Entre SAMU e Bombeiros com Regulação Única
Participantes:
- Maj PM Wilson de Oliveira Leite (CBPMESP - Corpo de Bombeiros da Polícia Militar do Estado de São Paulo - São Paulo - SP)
- Dr Ricardo Galesso Cardoso (GRAU- Grupo de Resgate e Atendimento a Urgências - São Paulo - SP)
- Dr. José Roberto S. Hansen (Coordenador SAMU Campinas - Campinas - SP)
Coordenador: Dr Antonio Onimaru (SBAIT - Sociedade Brasileira de Atendimento Integrado ao Traumatizado - São Paulo - SP)

15h30 às 16h10 - Palestra:
Resgate Aeromédico - Uma Nova Realidade Brasileira
Palestrante: Major Cezar Ângelo Galletti Júnior (GRPAe - Grupamento de Rádio Patrulhamento Aéreo - PMSP - São Paulo - SP)

16h10 às 16h50 - Palestra:
Novas Diretrizes: Protocolo RCP 2010
Palestrante: Dr Sérgio Timerman (Diretor do Laboratório de Treinamento e Simulação em Emergências Cardiovasculares/INCOR - São Paulo - SP)

16h50 às 18h20 - Mesa:
Protocolos Ampliados para Suporte Básico com Regulação Médica
Participantes:
- Dr. Wilson Pacheco (Conselho Federal de Medicina - Florianópolis - SC)
- Representante do Conselho Federal de Enfermagem (COFEN)
- Enf. Marisa Malvestio (Consultora Técnica do Ministério da Saúde - São Paulo - SP)
Coordenador: Enf. Roberto de Oliveira Castro (COBEEM - Colégio Brasileiro de Enfermagem em Emergência - São Paulo - SP)


12 DE AGOSTO DE 2011 - Sexta-feira


08h30 às 10h - Mesa:
Capacitação da Rede Nacional do SAMU 192
Participantes:
- Enf. Marisa Malvestio (Consultora Técnica do Ministério da Saúde - São Paulo - SP)
- Enf. Liliana Amaral (Hospital Alemão Oswaldo Cruz - São Paulo - SP)
Coordenador: Dra Júnia Sueoka (Coordenadora do Sistema APH de São Caetano do Sul - SP)

10h às 10h40 - Palestra:
Requisitos para Ambulâncias e Tripulantes de Serviços de APH
Palestrante: Dr. Carlos Alberto Eid (ABRAMET - Associação Brasileira de Medicina de Tráfego - São Paulo - SP)

10h40 às 12h10 - Mesa:
Requisitos para a Capacitação de Instrutores em Emergência no APH
Participantes:
- Dra Denise Vilela (NEP do SAMU de SP - São Paulo - SP)
- Ten PM Diógenes Martins Munhoz (Escola Superior de Bombeiros da Policia Militar do Estado de São Paulo - ESB/CBPMESP - São Paulo - SP
- Ronaldo Furlan Tafuri (Fox Treinamentos - São Paulo - SP)
Coordenador: Waltecir Lopes (Laboratório de Treinamento e Simulação em Emergências Cardiovasculares/INCOR - São Paulo - SP)

12h10 às 13h30 - Sessão de Posters

13h30 às 14h20 - Conferência:
Plano de Operação de Emergência com Múltiplas Vítimas
Conferencista: Dr Edison Valle Teixeira Júnior (Diretor Médico do SIATE - Curitiba - PR)

14h20 às 15h - Palestra:
Experiência de APH no Desastre na Região Serrana do RJ
Palestrante: Representante do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Rio de Janeiro - CBMERJ - Rio de Janeiro - RJ

15h às 15h40 - Palestra:
Segurança de Cena no APH em Rodovias
Palestrante: Dr Antonio Onimaru (SBAIT - Sociedade Brasileira de Atendimento Integrado ao Traumatizado - São Paulo - SP)

15h40 às 16h20 - Palestra:
Saúde Ocupacional no APH
Palestrante: Dr. Dirceu Rodrigues Alves Júnior (Diretor do Departamento de Medicina Ocupacional da ABRAMET - Associação Brasileira de Medicina de Tráfego - São Paulo - SP)

16h20 às 17h - Palestra:
APH Tático: Da Ficção à Realidade
Palestrante: Jorge Alexandre Alves (Fire & Rescue College - Itatiba - SP)

17h às 17h40 - Palestra:
Analgesia no APH
Palestrante: Dr Samir Lisak (GRAU- Grupo de Resgate e Atendimento a Urgências - São Paulo - SP)

17h40 às 18h10 - Palestra:
Novas Tecnologias no APH
Palestrante: Dr Claus Robert Zeefried (SAMU SP - São Paulo - SP)

18h10 às 18h20 - Encerramento

INVESTIMENTO

Profissionais
R$ 380,00

Pacote 5 Profissionais
R$ 1.250,00

FAÇA SUA INSCRIÇÃO PELO SITE:

http://www.protecaoeventos.com.br/eventos/content/inscricao/index.php?id_menu=1619&id_eventopai=128

terça-feira, 5 de julho de 2011

Curso virtual sobre eletrocardiograma


O curso foi desenvolvido pela UNIFESP, aborda temas como: músculo cardíaco, eletrofisiologia, eletrocardiograma, patologias, drogas utilizadas, coração artificial.

O curso é somente on line, não tem como baixar o seu conteúdo, mas vale a pena, o conteúdo é muito bom.

para entrar no site acesse o link abaixo:

http://www.virtual.epm.br/material/tis/curr-bio/trab2003/g5/menu.html

Curso de Raio-X


Para realizar o download do material acesse o link abaixo:

http://www.4shared.com/get/tdIQ5Hrv/Curso_de_Raio-X_para_Fisiotera.html

KIT CONCURSO - PARA ENFERMAGEM

Senha: Enfermagem

Arquivo: RAR
Tamanho: 27, 4 MB
Para utilizar o arquivo é preciso descompactá-lo através do programa WinRar.

PARA REALIZAR O DONWLOAD ACESSE O LINK ABAIXO:

http://www.4shared.com/get/A4NMCTlq/KIT_CONCURSO_-_ENFERMAGEM.html

Escola de Enfermagem da Santa Casa de São Paulo – Resgate Aeromédico com Asas Rotativas para Enfermeiros


Data: 30 e 31 de julho de 2011
Horário: dia 30, das 8h às 18h e dia 31, das 8h às 12h (visita técnica ao Grupamento de Rádio Patrulha Aéreo – Campo de Marte
Local: Rua Major Quedinho, 346, Bela Vista, São Paulo – SP
Informações e inscrições: (11) 2821 6050

OBJETIVO: O CURSO VISA INSTRUMENTALIZAR O PROFISSIONAL OU ESTUDANTE DE ENFERMAGEM ACERCA DOS ASPECTOS RELACIONADOS À ATIVIDADE DE RESGATE COM A UTILIZAÇÃO DE AERONAVES ASAS-ROTOR (HELICÓPTERO).
NO CURSO, SERÃO DISCUTIDOS TEMAS LIGADOS A SEGURANÇA DE VÔO, SINALIZAÇÃO, FISIOLOGIA DE VÔO, ESTRESSES DE VÔO, REGISTRO E DOCUMENTAÇÃO, LEIS FÍSICAS GASOSAS E A ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM NO TRANSPORTE AEROMÉDICO DE PACIENTES GRAVES, INDICAÇÕES PARA UTILIZAÇÃO DE HELICÓPTERO OU AVIÃO NO TRANSPORTE DE PACIENTES CRÍTICOS, TRANSPORTE INTERHOSPITALAR DE PACIENTES CRÍTICOS COM A UTILIZAÇÃO DE HELICÓPTERO.
 CONTEÚDO PROGRAMÁTICO:
 DEFINIÇÃO DE SERVIÇO AEROMÉDICO (TIPOS E DIFERENÇAS), EVOLUÇÃO HOSTÓRICA, INSTITUIÇÕES PÚBLICAS E PRIVADAS ENVOLVIDAS NO SERVIÇO E COMPETÊNCIAS, LEGISLAÇÃO, TIPOS DE AERONAVES EMPREGADAS – ASA FIXA E ROTATIVA, CONFIGURAÇÕES DAS AERONAVES, COMPOSIÇÃO DA EQUIPE, MATERIAIS E EQUIPAMENTOS, EPIDEMIOLOGIA, PAPEL DA EQUIPE DE ENFERMAGEM NO SERVIÇO AEROMÉDICO, SAE E DINÂMICA DO SERVIÇO AEROMÉDICO.
PÚBLICO ALVO: ESTUDANTES E PROFISSIONAIS DE ENFERMAGEM.
PERÍODO: DIAS 30 E 31 DE JULHO.
CARGA HORÁRIA: PRIMEIRO DIA: 10 HORAS - DAS 08:00 ÀS 18:00 HORAS. SEGUNDO DIA: 4 HORAS: DAS 08:00 ÀS 12:00 HORAS – VISITA TÉCNICA AO GRPAE – GRUPAMENTO DE RÁDIO PATRULHA AÉREO – CAMPO DE MARTE.
CARGA HORÁRIA TOTAL: 14 HORAS.
INVESTIMENTO: R$ 300, 00 REAIS (TREZENTOS REAIS) EM DUAS PARCELAS, A PRIMEIRA 30 DIAS ANTES DO CURSO E A SEGUNDA PARCELA ATÉ A DATA DE REALIZAÇÃO DO CURSO, PAGOS NA SECRETARIA DA ESCOLA DE ENFERMAGEM DA SANTA CASA DE SÃO PAULO OU COM UM DOS INSTUTORES DIRETAMENTE.
CERTIFICAÇÃO: O CERTIFICADO SERÁ EXPEDIDO PELA ESCOLA DE ENFERMAGEM DA SANTA CASA DE SÃO PAULO, COM ENTREGA AO TÉRMINO DO CURSO DE ACORDO COM A PRESENÇA MÍNIMA DE 75%.
INSTRUTORES:
ALFREDO DE SOUZA DOMINGUES NETO, PÓSGRADUADO EM EMERGÊNCIA E UTI, ENFERMEIRO DE BORDO DO GRPAe (ÁGUIA) E ENFERMEIRO EM APH E RESGATE DO RODOANEL.
MARCELO GOMES DE CARVALHO, MESTRE EM CARDIOLOGIA, FOI ENFERMEIRO DA AMIL RESGATE SAÚDE E TRANSPORTE AEROMÉDICO NOS JATOS DA TAM, ENFERMEIRO DO RESGATE RODOANEL.
ROGÉRIO REGINALDO RIBEIRO, PÓSGRADUADO EM EMERGÊNCIA, ENFERMEIRO DE BORDO DO GRPAe E ENFERMEIRO EM APH DO RODOANEL, ENFERMEIRO LOTADO NO TRANSPORTE AEROMÉDICO NA BEM EMERGÊNCIAS (ATÉ ABRIL DE 2011).
CONTATO E LOCAL: RUA MAJOR QUEDINHO, 346 – BELA VISTA – CEP: 01050-030. TELEFONE: 28216050 – FALAR COM SANDRA. PRÓXIMO AO METRÔ ANHANGABAÚ.

sábado, 2 de julho de 2011

Sistema de aquecimento de cristaloides sob medida para APH


Definimos como hipotermia o estado no qual a temperatura corpórea apresenta valores reduzidos, ou seja, igual ou abaixo de 35ºC, secundária a um déficit neurológico em que a vítima encontra-se incapaz de produzir calor suficiente para manter a homeostasia corpórea normal.
A redução da temperatura corpórea é desencadeada pelo hipotálamo por meio da termogênese muscular e liberação de catecolaminas pelo sistema nervoso simpático e glândulas suprarrenais. A resposta mediada pelas catecolaminas, numa fase inicial, ocorre no sentido de contrapor a hipotermia, identificada pelo aumento da frequência cardíaca e da pressão arterial média. Com a evolução do quadro, esta resposta é bloqueada pelos efeitos inotrópicos e cronotrópicos negativos, mediados pela hipotermia, ocasionando, assim, a diminuição do débito cardíaco e da perfusão tecidual, além de abrandamento da atividade enzimática, vasoconstrição periférica e alterações das vias metabólicas dependentes da perfusão de oxigênio (redução de 6% no consumo de O2 para cada diminuição de 1ºC). Com a evolução da hipotermia, constatamos a presença de taquipneia (respiração acelerada) seguida de depressão do centro respiratório com redução da ventilação alveolar e, consequentemente, da PaO2 (Pressão Arterial de Oxigênio), aumentando, assim, o sofrimento celular até que ele atinja um estado irreversível, evoluindo para uma falência multiorgânica.
Uma característica importante da hipotermia são as alterações eletrocardiográficas observadas durante a evolução do quadro, traduzidas em: bradicardia e comprometimento da função miocárdica, agravando-se durante a hipotermia severa.

Trauma

A hipotermia é uma situação frequente em paciente politraumatizado ou gravemente ferido, observada tanto no cenário do acidente quanto ao se dar entrada em sala de choque ou serviços de emergência hospitalar.
A origem da hipotermia se encontra focada na ação do trauma sobre o sistema termorregulador central, impedindo, assim, a produção de tremores que é o me­canismo primário e disparador para a produção do calor corpóreo. A hipotermia constitui uma das principais causas de mortalidade em politraumatizados principalmente quando associadas à "Tríade letal" (hipotermia, acidose e coagulopatia).
A maneira mais eficaz de restaurar o débito cardíaco e a perfusão aos órgãos alvos é o restabelecimento do retorno venoso aos padrões fisiológicos normais por meio da reposição volêmica, evitando, assim, o desenvolvimento da "Tríade letal" que pode estar associada a uma condição de risco de vida irreversível num quadro de hipotermia.
Os sinais de tremores, bem como o es­tado mental, vão depender dos níveis de temperatura corporal retal. ­Pacientes com hipotermia leve (temperatura central > 34ºC) irão apresentar tremores e alguma alteração em nível de consciência, sendo as principais a confusão e a lentidão. Quando a hipotermia presente cai de 34ºC a 30ºC, definida como mo­derada, os tremores poderão estar ausentes e o nível de consciência estará mui­to diminuído (inconsciente ou coma­toso). Nesta fase, poderá apresentar mi­dríase fixa, pulsos diminuídos ou ausentes e PAS (Pressão Arterial Sistólica) ­bai­xa ou inaudível. Poderá cursar com e­pisódios súbitos de arritmias, sendo a fibrilação atrial a mais frequente. Já abaixo de 30ºC, a fibrilação ventri­cular po­de estar presente junto ao de­senvolvi­mento da "Tríade letal", conse­quente­mente, resultando em óbito.
Um dos principais cuidados ao pacien­te hipotérmico durante o período pré-hos­pitalar consiste na prevenção da perda adicional de calor pelo corpóreo. Em pa­cientes hipotérmicos com rebaixamento de nível de consciência ou não responsivos após as medidas de ­Suporte Básico ou Avançado de Vida, a solução fisiológica com glicose a 5% deverá ser ad­ministrada de forma aquecida, ou seja, entre 40ºC a 43ºC com o paciente imóvel. Isto torna-se um desafio aos socorristas, pois, muitas vezes, o processo de aquecimento imediato da solução en­contra-se dificultado, agravando, assim, a condição do paciente. A maneira mais eficiente e fácil de prevenir uma hipo­ter­mia é a infusão de grandes volumes de cristaloides aquecidos com início de ime­diato em atendimento pré-­hospitalar.

João Roberto Mano, Marcello Luiz Carbonieri, João Marcos Encide e Ricardo Luis Portilho

fonte:http://www.revistaemergencia.com.br/site/content/noticias/noticia_detalhe.php?id=J9jaJ9jy&utm_campaign=Emerg%25EAncia%2BNews%2BEd.%2B25%252F11&utm_medium=email&utm_source=clients

COFEN contesta informação de entidades médicas veiculada na Internet

O Conselho Federal de Enfermagem – COFEN, em nota publicada em seu site (www.portalcofen.gov.br), contesta a informação que vem sendo divulgada por entidades de profissionais da saúde a respeito de uma suposta proibição do Tribunal Regional Federal (TRF), 1º Região (Brasília) à prescrição de medicamentos e solicitação de exames por enfermeiros.
Na nota, as entidades afirmam que a Resolução COFEN 272/2002 foi tornada sem efeito pelo TRF. A nota do COFEN rebate esta informação, esclarecendo que a Resolução 271/2002 – e não a 272/2002, como erroneamente informam -, foi revogada pelo próprio Conselho Federal de Enfermagem, em 2007, por meio da publicação da Resolução 317/2007.

A Resolução 272/2002, à qual equivocadamente se referem, trata da Sistematização da Assistência de Enfermagem, e também não foi revogada pelo TRF. Na verdade, esta Resolução foi igualmente revogada pelo COFEN, por meio da Resolução 358/2009.

Para conhecer o inteiro teor da nota de esclarecimento do COFEN, acesse http://site.portalcofen.gov.br/node/7151