Sabemos que Deus age em todas as coisas para o bem daqueles que o amam, dos que foram chamados de acordo com o seu propósito.
Romanos 8:28

quinta-feira, 14 de abril de 2011

Conheça Como Ocorre a Cicatrização


O que é Ferida?

A ferida é uma lesão que ocasiona a interrupção da continuidade corpórea, da estrutura anatômica ou fisiofuncional do tecido, independentemente do tecido envolvido e da intensidade da lesão. (SILVA, MOCELIN, 2007).

Como é o processo de Cicatrização?

O processo de cicatrização ocorre em três fases principais: inflamatória, proliferativa e de maturação. (TAZIMA, VICENTE, MORIYA, 2008).

Fase inflamatória:
Inicia-se logo após a ocorrência da lesão. Começa com coagulação inicial importante, que protege o leito da ferida de contaminação, e, logo em seguida a vasodilatação, que dá início ao processo inflamatório, podendo ocasionar calor, rubor e edema local. Os monócitos e neutrófilos são as primeiras células inflamatórias a chegar ao local da ferida com a função de desbridar a superfície e fagocitar corpos estranhos. Essa fase dura cerca de três dias.

Fase proliferativa:
Caracterizada pelo aparecimento do tecido de granulação. Inicia-se com a formação de novos vasos sanguíneos essenciais para manter o ambiente de cicatrização da ferida. Ocorre também a síntese de colágeno, responsável pela sustentação e pela força tênsil do tecido adjacente. As células epiteliais começam a migrar das bordas para o leito da ferida, diminuindo sua extensão. Esta fase inicia-se por volta do terceiro dia de lesão e dura aproximadamente duas à três semanas.

Fase de maturação:
Inicia-se após à terceira semana e caracteriza-se pelo aumento da resistência do tecido, porém, sem aumentar a produção de colágeno, apenas remodelando-o. A ferida passa por um processo de contração que reduz a quantidade e o tamanho da cicatriz.

Pode haver algum fator que interfira no processo de cicatrização?

Há fatores que podem interferir na cicatrização, os quais são divididos em locais e gerais. Os locais incluem a técnica cirúrgica, uso de medicação tópica, formação de hematomas, ressecamento durante a cicatrização, infecção e reação a um corpo estranho. Dos fatores gerais, interferem as doenças pré-existentes (tais como diabetes, alterações no sistema circulatório e nos fatores de coagulação, aterosclerose, sepse, entre outras), além de idade, estado nutricional e uso de drogas sistêmicas. (MANDELBAUM, SANTIS, MANDELBAUM, 2003)

fontes:

MANDELBAUM, S. H.; SANTIS, E. P.; MANDELBAUM M. H. S. Cicatrização: conceitos atuais e recursos auxiliares – parte I. An bras Dermatol, Rio de Janeiro, v. 78, n.4, p.393-410, jul./ago. 2003. Disponível em: < http://www.scielo.br/pdf/abd/v78n4/16896.pdf > Acesso em: 24 mar. 2011.

TAZIMA, M. F. G. S.; VICENTE, Y. A. M. V. A.; MORIYA, T. Biologia da ferida e cicatrização. Medicina, Ribeirão Preto, v. 41, n. 3, p.259-64, 2008. Disponível em: < http://www.fmrp.usp.br/revista/2008/VOL41N3/SIMP_2Biologia_ferida_cicatrizacao.pdf> Acesso em: 24 mar. 2011.

SILVA, D. M.; MOCELIN, K. R. O cuidado de enfermagem ao cliente portador de feridas sob a ótica do cuidado transcultural. Nursing (São Paulo); v. 9, n. 105, p. 81-88, fev. 2007

http://www.jornadaead.com.br/Atualizacao_19-A-cicatrizacao-e-a-escolha-do-curativo-no-tratamento-de-feridas-cronicas-NT1-UE3.html