Sabemos que Deus age em todas as coisas para o bem daqueles que o amam, dos que foram chamados de acordo com o seu propósito.
Romanos 8:28

sábado, 5 de março de 2011

Dengue é considerada agravo de notificação imediata


No dia 13 de Janeiro publicamos na seção de Notícias do Programa Proficiência o novo mapa de Risco da Dengue, o qual identificou 16 estados brasileiros com risco muito alto de epidemia. O ministro da Saúde, Alexandre Padilha, reuniu-se na quarta-feira (19), em Brasília, com os secretários de Saúde de 15 desses 16 estados. O encontro teve o objetivo de reforçar as ações de controle da doença e de preparação de toda a rede de saúde para atendimento aos pacientes.
De acordo com o Ministério da Saúde, nesse encontro foi anunciado que as formas graves da doença e os óbitos suspeitos por dengue terão de ser informados ao Ministério da Saúde em um prazo de 24 horas. É o que diz a Portaria 104, de 25 de janeiro de 2011, uma vez que a dengue foi incluída na Lista de Notificação Compulsória Imediata (LNCI).
A partir dessa data todas as unidades de saúde da rede pública ou privada deverão informar casos graves e mortes suspeitas às Secretarias Estaduais e Municipais de Saúde, no prazo máximo de 24 horas após levantada a suspeita. Todos esses dados serão repassados ao Ministério da Saúde com o objetivo de identificar, de maneira precoce, alterações na letalidade da dengue, permitindo uma melhor investigação epidemiológica e a adoção de mudanças na rede assistencial para evitar novas mortes.
A notificação imediata pode ser feita por telefone, e-mail ou pelo site da Secretaria de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde (SVS/MS), de acordo com ferramentas e fluxos já utilizados. A regra vale, inclusive, para casos ocorridos em finais de semana e feriados.

Clique no link abaixo para ter acesso à publicação do Diário Oficial da União

http://portal.saude.gov.br/portal/arquivos/pdf/portaria_104_26_2011_dnc.pdf