Sabemos que Deus age em todas as coisas para o bem daqueles que o amam, dos que foram chamados de acordo com o seu propósito.
Romanos 8:28

sábado, 5 de março de 2011

Brasil produzirá versão genérica de medicamento para AIDS e Hepatites


Mais uma aposta na produção nacional de medicamentos para a AIDS e as hepatites acaba de se concretizar.
A partir do mês de março, o medicamento Tenofovir passará a ser fabricado no Brasil pelo Laboratório oficial Fundação Ezequiel Dias (Funed – Governo do Estado de Minas Gerais). Com isso, cerca de 64 mil pacientes portadores do vírus HIV e 1,5 mil diagnosticados com algum tipo de vírus da hepatite começarão a fazer uso da versão genérica do medicamento.
Essa produção tornou-se uma realidade em função de parceria público-privada, viabilizada pela Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos (SCTIE) do Ministério da Saúde.
O registro de comercialização do medicamento foi concedido pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), por meio da Resolução nº 487/2011. Desde 2008, o Ministério da Saúde alegou interesse público do Tenofovir, para fins de análise do pedido (Portaria nº 681/2008), porém, meses após, o pedido de patente foi indeferido. A partir de então, o Brasil começou a investir na produção nacional do medicamento e o produto foi aprovado em todas as etapas de qualidade exigidas pela ANVISA.
Estima-se que o primeiro lote nacional do medicamento estará disponível para os pacientes a partir do final de março desse ano. Com a produção brasileira do Tenofovir, metade dos 20 medicamentos do coquetel de antirretrovirais fornecidos publicamente passam a ser produzidos no país.
Isso representa uma conquista para o governo e para a sociedade civil. Em 2010, foram investidos cerca de R$ 577,6 milhões na compra de antirretrovirais importados e R$ 224,9 milhões na fabricação dos medicamentos nacionais. A Funed entregará ao Ministério da Saúde, até o fim de 2011, 36 milhões de comprimidos, distribuídos em quatro etapas. Essa parceria com a Funed resultará em uma economia para o Governo Federal de R$ 410 milhões até 2015.

Fonte:http://www.programaproficiencia.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=188

Ministério da Saúde