Sabemos que Deus age em todas as coisas para o bem daqueles que o amam, dos que foram chamados de acordo com o seu propósito.
Romanos 8:28

sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

CLASSIFICAÇÃO PARA OS RESÍDUOS DE SERVIÇOS DE SAÚDE - COM BASE NA RESOLUÇÃO CONAMA 005/93 E


Grupo A - Resíduos Biológicos e/ou Infectantes

São aqueles que possuem agentes biológicos ou se apresentam contaminados por eles,
causando riscos potenciais à saúde pública e ao meio ambiente. Esses
resíduos podem ser: · Bolsas de sangue, sangue e hemocomponentes;
· Peças anatômicas: produto de fecundação sem sinais vitais, com peso menor
que 500 gramas; animais mortos de experimentação, carcaças e vísceras;
· Todos os resíduos provenientes de pacientes em estado de isolamento;
· Material perfurante e cortante;
· Materiais descartáveis que tenham entrado em contato com quaisquer fluidos orgânicos.

Grupo B - Resíduos Químicos

São os que apresentam risco à saúde pública e ao meio ambiente devido às suas características químicas. São eles:
· Resíduos perigosos (ver ABNT-NBR 10.004/87 - Resíduos Sólidos - Classificação);
· Medicamentos vencidos, contaminados, interditados e demais medicamentos impróprios para consumo;
· Objetos perfurantes e cortantes contaminados com quimioterápicos ou por outro produto químico perigoso;
· Mercúrio e outros resíduos com metais pesados: amálgamas, lâmpadas, termômetros,
esfignomanômetros de coluna de mercúrio, pilhas, baterias, saneantes e domissanitários, dos reveladores de filmes;
· Quaisquer resíduos contaminados por agentes químicos.

Grupo C - Rejeitos Radioativos

São quaisquer materiais resultantes de atividades humanas que contenham radionuclídeos em quantidades superiores aos limites de eliminação
especificados na Norma CNEN-NE-6.02 - Licenciamento de Instalações Radiativas - publicada do DOU de 02 de junho de 1998.
Enquadram-se neste Grupo todos os resíduos que tenham sido contaminados.

Grupo D - Resíduos Comuns

São todos os resíduos semelhantes aos resíduos domésticos e que não mantiveram contato com os resíduos classificados nos grupos anteriores.
Subdivididos em:
· Resíduo de Cozinha: é todo resíduo do preparo de alimentos de pacientes
e/ou de funcionários;
· Resíduos Finais: são resíduos que não têm mais utilidade, e que por isso
devem ser encaminhados para aterro sanitário, como resto alimentar, papel de
uso sanitário de funcionários e pacientes que não estejam em estado de isolamento;
· Resto Alimentar: é todo resto alimentar de paciente e/ou restaurante de EAS
que não pode ser reaproveitado, devendo ser desprezado. Se proveniente de paciente
em estado de isolamento, deve ser considerado como resíduo do Grupo A. Se proveniente de outras áreas, deve ser considerado como Resíduos Finais;
· Material Reciclável: são materiais que, devido a sua natureza, podem ser
reutilizados ou ser transformados em matériaprima para fabricação de
novos produtos, como papel, papelão, vidros, alumínios, plásticos etc.;
· Entulho de Obras: é a sobra de material do material utlizado nas obras.

fonte: Manual higienização de estabelecimentos de saúde e gestão de seus resíduos / Carla Assad, Gloria Costa, Sergio Rodrigues Bahia. - Rio de Janeiro: IBAM/COMLURB, 2001. 44 p.; 21cm
1-lixo. 2-saúde pública. 3- hospitais. 4- limpeza. I- Costa, Gloria.
II- Bahia, Sergio Rodrigues. III- Instituto Brasileiro de Administração Municipal. IVCompanhia Municipal de Limpeza Urbana. 614 (CDD 15.ed.)

DIFERENÇAS ENTRE ÁREA CRÍTICA, ÁREA SEMICRÍTICA E ÁREA NÃO CRÍTICA


Área crítica
É aquela que oferece um risco maior de transmissão de infecção porque se destina aos pacientes graves, imunodeprimidos, com doenças infecciosas cujo patógeno é de alta transmissibilidade e local onde se realizam procedimentos invasivos ou manuseio de peças de material contaminado.

São exemplos de área crítica:
UTI neonatal
Unidade de queimados
Bloco cirúrgico
Unidade de isolamento
Sala de hemodiálise
Central de material e esterilização – CME
Banco de sangue
Área suja da lavanderia
Farmácia – local de preparo de Nutrição Parenteral Total
Serviço de nutrição e dietética – preparo de nutrição enteral
Laboratório de patologia clínica.


Área semicrítica
É aquela que apresenta menor risco de transmissão de agentes de infecção em relação às áreas críticas e que, normalmente, são ocupadas por pacientes que não são portadores de doenças infecciosas ou infecciosas de baixa transmissibilidade.

São exemplos de área semicrítica:
Enfermarias
Farmácia – diluição
Banheiros
Ambulatórios.

Área não crítica:
É aquela onde não existe risco de transmissão e não são ocupadas por nenhum paciente.

São exemplos de área não crítica:
Serviço administrativo
Almoxarifado
Secretaria
Serviços de apoio de raio X, ultrassom, etc.

Diferenças entre Desinfecção, higienização do ambiente hospitalar e limpeza


Desinfecção: remoção ou destruição de agentes infecciosos de mera superfície mais concreta e quantitativa com aplicação de um germicida. (OLIVEIRA, 2005)


Higienização do ambiente hospitalar: também denominada limpeza técnica hospitalar, envolve a limpeza e a desinfecção das superfícies fixas, equipamentos e mobiliários que compõem as unidades de saúde. (OLIVEIRA, 2005)


Limpeza:
consiste na remoção de sujidades e detritos com utilização de água e sabão. (OLIVEIRA, 2005)

TIPOS DE LIMPEZA


1. Limpeza concorrente: aquela realizada com o paciente na unidade, feita regularmente todos os dias, de acordo com a rotina da instituição; compreende a limpeza e desinfecção de pisos, sanitários, superfícies de mobiliários e equipamentos, recolhimento de resíduos e roupas sujas, assim como arrumação dos leitos.

2. Limpeza terminal: é efetuada após a saída do paciente no ato da alta, transferência ou óbito. Você deve entender que esta apresenta maior complexidade, com abrangência não só na limpeza, mas na desinfecção de pisos, paredes, janelas, tetos, equipamentos e mobiliários, incluindo-se leitos, bancadas e grades de ar-condicionado.

3. Limpeza de manutenção: está destinada às áreas de grande rotatividade, tendo por finalidade manter o ambiente limpo durante todo o período de trabalho.

PRECAUÇÃO PARA GOTÍCULAS

PRECAUÇÃO PARA AEROSSÓIS

PRECAUÇÃO DE CONTATO

PRECAUÇÃO PADRÃO

quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

Curso de Transporte Aeromédico será realizado em SP - 19 e 20 de março


O Instituto de Ensino e Saúde de São Paulo (IESSP) estará promovendo o curso de Transporte Aeromédico, nos dias 19 e 20 de março.

O curso tem como objetivo treinar para noções de aeronáutica, teoria de vôo, regulamento der tráfego aéreo, conhecimentos técnicos, terminologia aeronáutica, legislação, cargas perigosas, características dos vôos de helicóptero, principais patologias e alterações psicológicas, característica do vôo em avião pressurizado, fisiologia de vôo, protocolo de transporte do paciente crítico, sobrevivência na selva/mar, prevenção e combata a incêndio, resgate aeromédico e visita ao aeroporto de Congonhas.

Data do curso: 19 e 20 de março
Local: Travel in Q.I. Intelligent Flat - Av. Ibijaú, 368, Moema, São Paulo/SP. (Travessa da Av. Ibirapuera)

Para mais informações acesse:
www.iessp.com.br
ou entre em contato pelo telefone: (11) 27735661

Curso de atendimento pré hospitalar gratuito em SP - 5 e 6 de março e 2 e 3 de abril


O Grupo Salvatagem Resgate service oferece o curso de Atendimento Pré Hospitalar gratuito nos dias 5 e 6 de março, em Itatiba e nos dias 2 e 3 de abril em Morungaba. Os assuntos abordados serão: Abordagem do paciente, remoções de vítimas, intervenção específica e tipos de traumas.

Data do curso: 5 e 6 de março ou 2 e 3 de abril
Local: São Paulo
Carga Horária: 14 horas

Para maiores informações acesse
www.salvatagemresgate.site.com.brou entre em contato pelos fones (11) 8240 6800 e (11) 4014 6927

Programa Saúde Não Tem Preço

Com o programa Saúde Não Tem Preço, a população brasileira que sofre com hipertensão ou diabetes passa agora a ter acesso gratuito aos medicamentos para o tratamento destas doenças. Esta oferta de medicamentos gratuitos na rede Aqui Tem Farmácia Popular é resultado de um acordo do Ministério da Saúde com sete entidades da indústria e do comércio. O acordo beneficia 33 milhões de brasileiros hipertensos e 7,5 milhões de diabéticos. Além de ajudar no orçamento das famílias mais humildes, que comprometem 12% de suas rendas com medicações. Farmácia Popular O Farmácia Popular foi criado em 2004 com unidades próprias para oferecer à população mais uma forma de acesso aos medicamentos. Em 2006 a iniciativa cresceu e alcançou a rede privada sendo chamado de “Aqui Tem Farmácia Popular”. Hoje, mais de 2,5 mil municípios possuem estabelecimentos do programa e cerca de 1,3 milhão de brasileiros por mês são beneficiados. Sendo aproximadamente 660 mil hipertensos e 300 mil diabéticos. Com o programa, os brasileiros passaram a ter acesso a 24 tipos de medicamentos para hipertensão, diabetes e outras cinco doenças incluindo asma, rinite, mal de Parkinson, osteoporose e glaucoma, além de fraldas geriátricas. Os medicamentos estão disponíveis na rede de farmácias e drogarias conveniadas à rede Aqui Tem Farmácia Popular. Com exceção dos medicamentos para diabetes e hipertensão que são gratuitos, o programa Aqui Tem Farmácia Popular oferece os medicamentos com descontos de até 90%. Mais Informações acesse: http://www.saudenaotempreco.com/o_programa.php
video

segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

Sons Cardíacos e Pulmonares - Material para download


Nome do arquivo: Sons Cardíacos e Pulmonares
Formato: WMV e outros
Tamanho do arquivo: 14,4 MB

Uma dica é ouvir a reprodução do som usando um estetoscópio a uns 10cm da caixa de som.

Para realizar o donwload, acesse o link abaixo:

http://hotfile.com/dl/67937036/40b998e/Sons_Cardiacos_e_Pulmonares.rar.html

sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

Compatibilidade para Transfusão de Concentrado de Hemácias


fonte: http://www.hse.rj.saude.gov.br/profissional/clin/hemo.asp

Trabalho da Enfermagem da Equipe Transfusional


•Perguntar ao paciente seu nome completo (caso tenha condições de responder) ou a enfermagem do andar.

•Conferir o nome relatado com os dados do rótulo da bolsa e da prescrição.

•Certificar a indicação da transfusão na prescrição médica.

•Aferir e anotar os sinais vitais pré e pós transfusão.

•Anotar horário do início e término da transfusão.

•Instalar o hemocomponente, mantendo íntegro o sistema até o final do procedimento.

•Instruir a equipe de enfermagem do andar para não infundir nenhum tipo de medicamento concomitantemente com a transfusão (exceto solução fisiológica 9%).

•Atentar para que o início da transfusão não exceda 30 minutos após o recebimento da bolsa.

•Controlar a transfusão para que seu tempo máximo não ultrapasse 4 horas.

•Permanecer os primeiros 15 minutos da transfusão observando o paciente.

•Atentar para sinais de Reação Transfusional.

•Relatar a evolução da Reação Transfusional apresentada.

•Preferir, sempre que possível , transfundir no período diurno.

•Assinar e carimbar no término da evolução transfusional.

•Colar etiqueta referente ao hemocomponente no prontuário do paciente.

•Conferir se a contra-capa do pontuário já tem a etiqueta de tipagem do paciente (grupo sanguíneo e fator Rh).

•Devolver o hemocomponente ao Serviço de Hemoterapia caso o mesmo não tenha sido utilizado.

•Após concluída a transfusão recolher a bolsa e encaminhar para o serviço de Hemoterapia para ser autoclavada.


Conduta da Enfermagem frente à Intercorrência na Transfusão:

•Parar imediatamente a transfusão.

•Ocluir a extremidade do equipo da transfusão do hemocomponente.

•Manter o acesso venoso com solução salina 0,9 % com gotejamento moderado.

•Verificar sinais vitais e anotar no prontuário do paciente.

•Comunicar ao médico de plantão e ao Serviço de Hemoterapia.

•Fazer relato da Reação Transfusional e conduta adotada pelo médico.


Conduta Imediata, após assistir ao paciente:

1 - Equipe que prestou a assistência ao paciente - Enfermagem:

•Coletar amostra de sangue do paciente para reavaliação / retestagem.

•Coletar amostra de urina do paciente para pesquisar presença de elementos anormais (hemoglobinúria).

•Encaminhar o hemocomponente com o equipo (na caixa térmica apropriada) ao Serviço de Hemoterapia.

•Manter amostra de urina fora da caixa térmica e encaminhá-la ao Laboratório Central.

•Anotar no prontuário do paciente todos estes dados.

2 – Pelo Banco de Sangue (Imunohematologia):

•Receber a bolsa de sangue e equipo enviados para análise.

•Realizar os exames imunohematológicos e hemocultura.

•Comunicar os resultados dos exames solicitados, tão logo os tenha, ao médico assistente, ao responsável Técnico do Serviço de Hemoterapia e ao responsável pela Hemovigilância (que fará relatório para a Gerência de Risco e para a ANVISA).

fonte: http://www.hse.rj.saude.gov.br/profissional/clin/hemo.asp

O QUE É TRANSFUSÃO AUTÓLOGA?


Binômio receptor/doador é constituído pela mesma pessoa

Existem três tipos

•Pré-depósito: coletado antes da cirurgia e estocado para utilização posterior.
•Fazer suplementação com ferro oral.
•Receptor/doador precisa ter no mínimo Hb: 11 g/dl, Ht: 33 %.
•Intervalo entre as doações é de 7 (sete) dias.
•Indicado em cirurgias de ortopedia, ginecologia, cirurgia plástica
•Recuperação intra-operatória: coletado da
ferida cirurgia por equipamento específico
•Hemodiluição normovolêmica aguda pré- operatoria: sangue é coletado no início do ato cirúrgico, infundido substância cristalóide e/ou colóide e transfusão do sangue no final da cirurgia

Contra indicações da transfusão autóloga: infecção e neoplasia.

fonte: http://www.hse.rj.saude.gov.br/profissional/clin/hemo.asp

DICAS DE EMERGÊNCIA - KIT DE PRIMEIROS SOCORROS AVANÇADO


fonte: www.revistaemergencia.com.br

quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

A Importância do Sono e do Lazer



A importância do repouso

Atualmente há grande interesse das pessoas no rejuvenescimento da pele e, para isso, procuram procedimentos cosméticos mais ou menos agressivos, desde o simples uso de cremes até cirurgias plásticas. Poucas se lembram, porém, de que o aspecto viçoso é resultado de um conjunto de fatores, não só dos cuidados externos, e que vem basicamente das condições internas que a pessoa cria no seu organismo.
Entre esses fatores tem papel importante o repouso, para o qual, há certas recomendações a serem observadas, a fim de que ele funcione não só como renovador das energias, mas principalmente como rejuvenescedor.

O sono

Quando falamos em repouso, lembramos de sono. Efetivamente, essa é a forma fisiológica que praticamos diariamente, forçados pela Natureza, pois, quando a atividade ultrapassa determinado limite, o sono se impõe e a pessoa é forçada a repousar. Exceto em situações excepcionais, de estresse elevado, o sono se apresenta automaticamente e indica que há necessidade de recuperar energias.
O repouso imposto pelo sono é o meio natural de o organismo refazer suas forças e reorganizar os sistemas para se preparar para nova jornada de atividades. Isso ocorre todos os dias, seguindo um ritmo que se renova a cada 24 horas. Esse ritmo faz parte de um conjunto de ritmos a que estamos submetidos. Parece que todo o Universo é rítmico e os eventos vêm e voltam de tempos em tempos.
Vemos que as estações do ano se sucedem a cada três meses, as fases da Lua a cada 28 dias, as marés a cada seis horas. No organismo humano temos o ciclo menstrual, com a mesma duração que o ciclo lunar, o ciclo da fome/ingestão/digestão, que dura mais ou menos oito horas.
O próprio sono tem fases superficiais e profundas, uma delas sendo aquela em que ocorrem os sonhos, chamada fase REM (de Rapid Eye Movement). Durante o período de oito horas de sono, podem ocorrer 35 alterações fásicas, ocupando cada ciclo cerca de 90 minutos. Ao final do período de sono, há uma mudança completa no organismo, que se traduz por disposição para as ações diárias, capacidade de pensar e sensação de energia em todo o corpo. As células da pele foram renovadas aceleradamente e o sistema imunitário encontra-se ativado.

Horas e horários

A quantidade de horas de sono é variável conforme a pessoa e conforme sua idade. É geralmente aceito que a média de seis a oito horas de sono é comum para a maioria das pessoas. Quando o organismo é forçado a encurtar suas horas de repouso pelo sono, cria-se estresse, que afeta, em primeiro lugar, a função imunitária e subseqüentemente todos os outros sistemas e órgãos. É conhecida a manifestação cutânea, vulgarmente chamada olheiras, que indica cansaço, falta de repouso ou esgotamento físico. Esse é apenas um dos sintomas que a falta de repouso adequado cria na pele.
Para que o sono cumpra suas funções é preciso que se atente para certas características de seu ritmo. Diz a tradição ayurvédica que, para obter o melhor rendimento das horas de sono, convém observar seu ritmo, ter hora certa para dormir e para acordar e manter um intervalo de três horas entre a última refeição e o adormecer. Isso é explicado pela sucessão dos agentes dominantes fundamentais, chamados doshas, que são em número de três: Vata, Pitta e Kapha.
Vata controla o movimento, Pitta controla o metabolismo e a digestão, Kapha controla a estrutura física e o equilíbrio dos fluidos. A hora mais adequada de ir dormir, conforme explica o Dr. Deepak Chopra, famoso médico e escritor indiano radicado nos EUA, maior divulgador no mundo do conceito de medicina mente-corpo, é no ponto de conexão dos períodos Kapha e Pitta da noite, às 22 horas. A partir dessa hora até as duas horas da madrugada ocorreria uma ativação rejuvenescedora dos tecidos. Dormir muito além desse horário significa perder o descanso rejuvenescedor, que começa no final do período Kapha. O momento melhor de levantar está no final do período Vata da manhã e início do período Kapha, ou seja, às 6 horas.

Sono x rejuvenescimento

As pesquisas científicas têm confirmado essas afirmações antigas. Descobriu-se que o hormônio melatonina, que neutraliza radicais livres, promove o relaxamento geral e favorece o rejuvenescimento, talvez pela facilitação da produção do hormônio de crescimento, começa a ter sua produção aumentada pela glândula pineal a partir do pôr do sol e atinge o máximo de sua atividade entre as 22 e as 2 horas, declinando daí para a frente para chegar ao nível mínimo ao clarear o dia.
Embora a necessidade de sono seja inteiramente individual, parece que estar dormindo nesse intervalo de tempo beneficia a maioria das pessoas. Quem pretende manter a pele sem estresse e rejuvenescê-la deveria estar dormindo nesse horário e levantar ao clarear do dia.

Lazer também é repouso

Este é um aspecto do descanso muitas vezes negligenciado. Na sociedade consumista e competitiva estimulada pela idéia exclusiva de lucro e vantagens, que devem ser obtidos a qualquer preço, o lazer é colocado em segundo plano e até menosprezado como se fosse vadiagem.
Entretanto, o lazer é essencial para um bom rendimento no dever. Lazer significa desligar-se das obrigações e, por algum tempo, dedicar-se a atividades que causem prazer, nas quais não haja compromissos de horário nem de metas a atingir. Podem ser férias, passeios, cinema, dança, ler, escrever, caminhar, correr, fazer ginástica, conversar ou estar com pessoas. Isso leva a descontração e aumento dos hormônios que produzem relaxamento, calma e euforia, diminuindo, assim, o estresse das atividades profissionais.
É importante preservar o espaço para o lazer na agenda diária evitando que ele seja contaminado por obrigações, como sair a passear com a família na expectativa de ser chamado para solucionar um defeito numa central de computação. Parafraseando o recentemente falecido jogador de futebol Didi, que dizia que treino é treino, jogo é jogo, pode-se tomar como princípio que trabalho é trabalho, lazer é lazer, cada um no seu tempo.

Fazer nada...

Uma forma aparentemente estranha de repouso é dar uma parada eventual nas atividades, por curto período de tempo, como um ou dois minutos, e fazer nada. Uma parada, que não esteja na agenda, é um momento para respirar, centrar-se, reorganizar idéias e relaxar a musculatura.

Benefícios para a pele

Quem deseja, pois, rejuvenescer a pele ou mantê-la com viço deve ter em mente que os procedimentos externos, como os peelings e preenchimentos cutâneos, entre outros, precisam ser alicerçados na redução do estresse ao mínimo nível possível.
Para isso, a observância da regularidade e da quantidade de sono, a preservação do tempo para o lazer e a descontração momentânea em diversas ocasiões contribuem essencialmente para a vitalidade dos componentes cutâneos pela produção dos mediadores cerebrais do estado de calma. Pele descansada é pele mais bonita e saúdavel.

fonte: http://www.dermatologia.net/novo/base/psiquismo/repouso.shtml

Dicas - Como se bronzear sem se queimar...



Antes de mais nada, nunca tente adquirir a cor de um verão inteiro no primeiro dia de férias. Você deve entender que o bronzeado só vai começar a aparecer 48 a 72 horas após a primeira exposição solar. Este é o tempo necessário para que a melanina (pigmento que dá cor à pele) seja produzida e liberada pelas células. É um processo gradual e não adianta exagerar no sol para tentar apressá-lo.
Proceda assim: durante a primeira semana, chegue na praia antes das 9 horas, exponha-se por 20 minutos ao sol e então aplique generosamente o protetor solar, sempre com FPS 15 ou maior. Lembre-se de que o protetor leva de 20 a 30 minutos para atingir sua proteção máxima e de que, mesmo com filtro solar, uma parte da radiação ultravioleta está atingindo sua pele e estimulando o bronzeamento. Reaplique o protetor a cada 2 horas ou sempre que mergulhar ou suar muito. Não esqueça de usar bonés e barraca de praia, principalmente no horário entre 10 e 16 horas.
Se você não consegue acordar cedo nas férias, e chega na praia sempre no pior horário, aplique o filtro solar assim que chegar. Como ele vai levar 20 a 30 minutos para agir e a intensidade de radiação solar neste horário é muito maior, você já estará recebendo estímulo suficiente para o bronzeamento, que vai aparecendo aos poucos.
Acredite e experimente, em poucos dias você estará com a cor desejada e sem queimaduras. É fácil ver se está funcionando. A partir do terceiro dia, verifique sua marca de biquini ou calção, você vai ver a diferença. Uma vez que você adquiriu seu bronzeado, basta continuar o esquema acima para manter a cor e sua pele estará mais saudável, sem o sofrimento das queimaduras e sem descascar.
Mas veja bem, se você tem fototipos I e II (conheça o seu fototipo), dificilmente você se bronzeará, portanto, não adianta insistir, você só vai danificar a sua pele. No seu caso, você deve assumir sua condição e buscar outro padrão de beleza, que já começa a ganhar força no meio artístico e da moda, a pele branca, sem manchas.

Auto-bronzeadores: uma opção para o bronzeamento

Os auto-bronzeadores, são cremes ou locões com dihidroxiacetona, substância que provoca uma reação química na pele, escurecendo-a. Esta reação provoca a pigmentação da camada mais externa da pele (camada córnea), dando uma cor semelhante à do bronzeamento. Os produtos não estimulam a produção da melanina, pigmento que dá a cor natural da pele portanto, na verdade, não estão bronzeando, apenas tingindo a camada córnea.
Não causam mal algum, a não ser naqueles que tenham alergia ao produto. O inconveniente é que, em algumas pessoas, a coloração resultante não fica muito natural, por isso recomenda-se experimentar o produto em uma pequena parte da pele para ver se a cor fica boa e aí então aplicar no resto do corpo. O produto deve ser reaplicado em intervalos que variam de 2 a 5 dias para se manter a cor, e são uma boa opção para aqueles que não dispensam uma "corzinha" no verão mas querem manter a pele saudável.
Os auto-bronzeadores não devem, entretanto, ser confundidos com protetores solares pois a coloração resultante do seu uso nao confere proteção contra o sol.

Se você não abre mão do bronzeado

São poucos os que resistem a ganhar uma corzinha durante as férias de verão. Sair da praia com a mesma cor que chegou dá a sensação de que ficou faltando algo. Este conceito é resultado do culto ao bronzeamento, muito comum no Brasil, onde o encontro social acontece nas praias e piscinas, principalmente durante o verão, e muitos acham que a pele bronzeada tem um aspecto mais saudável...
Se você não quer abrir mão do sol de jeito nenhum, vamos ajudá-lo a sair das férias bronzeado, mas sem descascados e ardidos, prejudicando menos a sua pele. Compreenda que, para se bronzear, você não precisa se queimar! Queimaduras repetidas ao longo dos anos podem levar ao câncer e devem ser evitadas. Entre 10 e 16 horas aumenta muito o ultravioleta B, causador das queimaduras solares, portanto, neste horário, proteja-se sempre!
Já o ultravioleta A, o mesmo usado nas câmaras de bronzeamento, não causa queimaduras, mas bronzeia. Está disponível antes das 10 e após as 16 horas em grande intensidade. No entanto, lembre-se de que esta radiação, além de envelhecer sua pele precocemente causando manchas e rugas, também predispõe ao surgimento do câncer. Expor sua pele ao sol em demasia é um risco que pode trazer consequências sérias futuramente e o prejudicado será você.

fonte: http://www.dermatologia.net/novo/base/manual/m_bronze.shtml

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

DICAS DE EMERGÊNCIA - COMO PREVENIR AFOGAMENTOS


fonte: www.revistaemergencia.com.br

Eletrocardiogramas são destaque no APH brasileiro


O projeto Tele-Eletrocardiografia Digital, uma parceria entre o Ministério da Saúde e Hospital do Coração de SP (HCor), completa um ano de atuação no país, com resultados positivos. Desde novembro de 2009, contabiliza 4.621 eletrocardiogramas em mais de cem municípios de todas as regiões do Brasil, por meio do SAMU (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência), coordenado pelo Governo Federal.
Com 247 ambulâncias com aparelhos de eletrocardiograma, o atendimento do SAMU, que tem média de tempo estimada em 15 minutos para socorro, conta com tecnologia do HCor, para identificar problemas cardíacos ainda no atendimento pré-hospitalar. Neste primeiro ano de parceria, foram produzidos mais de 1.050 laudos sobre alterações cardiológicas de pequena, média e alta gravidade. As principais ocorrências foram infarto, fibrilação atrial, arritmias cardíacas, taquicardias e bradicardias.
Ao todo, 22 estados, de todas as regiões do país, contam com a tecnologia de tele-eletrocardiograma digital. Os estados pioneiros no serviço são Paraná, Brasília, Goiás, Alagoas, Pernambuco, Rio Grande do Sul, Paraíba, Rio Grande do Norte e São Paulo (Campinas). Os estados de Rondônia, Amapá e Acre, além do município de Guarulhos (SP) estão discutindo a implantação do projeto.
"A Tele-Eletrocardiografia é uma relevante ferramenta que auxilia e aprimora a rede de atendimento do SAMU 192", afirma Clésio Castro, coordenador nacional do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência.

Funcionamento

O Sistema de Tele-Eletrocardiografia Digital possibilita ao profissional um diagnóstico preciso do paciente com sintomas de problemas cardíacos. Isso se deve ao Tele-Eletrocardiógrafo Digital Portátil, que envia o eletrocardiograma - via celular ou telefone fixo, pela internet - para a central de Telemedicina do HCor. No hospital, o exame é analisado e o resultado encaminhado diretamente para a equipe do SAMU.

Destaque no APH

As novas tecnologias têm tido um grande destaque na Medicina, como se pode verificar pela matéria da Revista Emergência da edição 25, de fevereiro/março de 2011, que traz uma reportagem especial sobre a modernização do atendimento pré-hospitalar brasileiro. De acordo com a reportagem, o atendimento pré-hospitalar brasileiro está com o mercado aberto a investimentos para tentar superar um déficit tecnológico. Se, por um lado, há serviços que ainda esbarram na fase de implantação, outros buscam equiparar-se ao que há de mais moderno no mundo em gestão e atendimento. O hiato entre o Brasil e os países mais desenvolvidos em atendimento pré-hospitalar é expressivo, mas a realidade começa a ser modificada com soluções que chegam para salvar mais vidas.
As principais novidades estão relacionadas ao conceito de Telemedicina, com o diagnóstico à distância, acredita Claus Robert Zeefried, diretor médico da Divisão de Pesquisa e Modernização do SAMU São Paulo/SP. Ele destaca a tecnologia que permite realizar o ECG (Eletrocardiograma) nas ambulâncias, enviar o resultado a uma central de especialistas e, de lá, devolvê-lo devidamente interpretado.
"Existem no mercado vários modelos de transmissão de ECG à distância e todos têm por objetivo fazer um diagnóstico de maior precisão do eventual quadro de urgência cardiológica. Isso muda substancialmente, em certas situações, a definição do atendimento e o destino final de algumas vítimas", pondera.


fonte: http://www.revistaemergencia.com.br/site/content/noticias/noticia_detalhe.php?id=JajgAQjj

Redação Revista Emergência
Foto: Luís Oliveira/MS

segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

SAIBA MAIS - O QUE É LEPTOSPIROSE?


O que é leptospirose?

A leptospirose é uma doença causada por uma bactéria presente na urina do rato que normalmente se espalha pela água suja de enchente, lama e esgoto.

Como as pessoas se contaminam?

As pessoas podem ficar doentes quando entram em contato com água ou lama contaminadas pela urina de roedores (ratazanas, ratos de telhado e camundongos).
A bactéria entra na pele, com ou sem ferimentos, quando em contato com águas contaminadas.

Alguns cuidados para se prevenir da doença:

Evite o contato com água ou lama de enchentes ou esgotos. Impeça que crianças nadem ou brinquem nesses locais, que podem estar contaminados pela urina dos ratos.
Pessoas que trabalham na retirada da lama e entulho devem usar botas e luvas de borracha para evitar o contato da pele com água e lama contaminadas (se isso não for possível, usar sacos plásticos duplos amarrados nas mãos e nos pés). usar também um pano ou lenço limpo para cobrir a boca e o nariz.
Após as águas baixarem, será necessário retirar a lama e desinfetar o local (sempre se protegendo). Lave o chão, paredes e objetos caseiros, desinfetando com água sanitária na proporção de 400 ml ou duas xícaras de hipoclorito de sódio (2,5%) ou água sanitária para 20 litros de água, deixando agir por 30 minutos.

SINTOMAS

Se, apesar dessas orientações, você apresentar febre, dor de cabeça e dores no corpo até 40 dias depois de ter entrado em contato com as águas de enchente ou esgoto, procure imediatamente a unidade de saúde mais próxima. Não se esqueça de contar ao médico o seu contato com água ou lama de enchente.

ALGUMAS DICAS PARA EVITAR A PRESENÇA DOS ROEDORES:


Manter os alimentos guardados em recipientes bem fechados e à prova de roedores (latas de vidro, alumínio), em locais elevados do solo. manter a cozinha limpa sem restos de alimentos para evitar a presença de roedores.

Retirar as sobras de alimento ou ração de animais domésticos antes do anoitecer
e manter limpos os vasilhames de alimentação, evitando restos alimentares que atraem os roedores.

Acondicionar o lixo em sacos plásticos ou em latões de metal com tampa, armazenando-o
em locais altos até que seja coletado. Colocar o lixo pouco antes da coleta realizada pelo Serviço de Limpeza urbana.

manter os terrenos baldios e as margens de córregos limpos e capinados e não jogar
lixo nesses locais.
Evitar entulhos e acúmulo de objetos nos quintais, como telhas, madeiras e materiais
de construção, pois servirão de abrigo ao roedor.

Fechar buracos e vãos nas paredes e rodapés para evitar a entrada de roedores nas casas. manter ralos e vasos sanitários bem tampados.

fonte: Elaboração: Secretaria de Vigilância em Saúde www.saude.gov.br

SAIBA MAIS - COMO EVITAR O TÉTANO ACIDENTAL


O que é e como se contamina?

Tétano é uma doença grave causada por uma bactéria que pode estar presente
em objetos de metal (mesmo que não esteja enferrujado), de madeira, de vidro ou
mesmo no solo (pregos, latas, ferramentas agrícolas, cacos de vidro, galho de árvore,
espinhos, pedaços de móveis e outros).
As pessoas podem adoecer quando, acidentalmente, sofrem lesões na pele
(ferimentos, cortes, perfurações) por objetos contaminados deixados no ambiente e
contaminados pela bactéria.
O contato com os entulhos e os destroços podem provocar lesões na pele e,
consequentemente, o adoecimento por tétano acidental.


Quais os sintomas da doença?

• Contrações excessivas de alguns músculos faciais (riso sardônico).
• Contrações excessivas dos músculos do pescoço (rigidez de nuca).
• Contração muscular da região dorsal e rigidez muscular progressiva, atingindo os
músculos abdominais (abdômen em tábua, barriga dura) e o diafragma.
• Insuficiência respiratória podendo evoluir para contraturas generalizadas. As crises
de contraturas (músculo duro), geralmente, são desencadeadas por estímulos
luminosos ou sonoros (luzes intensas e volume de som alto).
• Dificuldade de engolir o alimento.

Como evitar o tétano?

A melhor e mais segura forma de prevenção e proteção é por meio da vacinação
disponível no posto de saúde.
• O esquema de vacinação atual é feito aos dois, quatro e seis meses de idade com a
vacina tetravalente e dois reforços com a tríplice bacteriana (DTP). O primeiro reforço
aos 15 meses e o segundo entre quatro e seis anos. Adolescente que já recebeu
anteriormente três doses ou mais das vacinas DTP, DT ou dT, aplicar uma dose de reforço.
• São necessárias doses de reforço da vacina a cada 10 anos. Em caso de ferimentos
graves, antecipar a dose de reforço para cinco anos após a última dose. O intervalo
mínimo entre as doses é de 30 dias.
• Mulher grávida que esteja com a vacina em dia, mas recebeu sua última dose há mais
de cinco anos, precisa receber uma dose de reforço. A dose deve ser aplicada no
mínimo 20 dias antes da data provável do parto. Em caso de ferimentos graves, a dose
de reforço deverá ser antecipada para cinco anos após a última dose.
• Se você não se lembra se foi vacinado, ou caso possua outras dúvidas, procure o
serviço de saúde mais próximo, levando seu cartão de vacinação. Caso não possua
esse cartão, informe ao profissional de saúde.

Você tem dúvida se está vacinado?

Se você não se lembra se foi vacinado, ou caso possua outras dúvidas, procure o
serviço de saúde mais próximo, levando seu cartão de vacinação. Caso não possua esse
cartão, informe ao profissional de saúde e vacine-se.


O que fazer quando se acidentar e tiver uma lesão na pele?

Procure com urgência o serviço de saúde mais próximo e comunique os detalhes
do acidente ao profissional de saúde (não se esqueça de dizer com qual objeto
você se acidentou).
O melhor a fazer é prevenir-se tomando a vacina antes da possibilidade de um acidente.

ATENÇÃO

VACINE-SE CONTRA O TÉTANO. A VACINA É um direito seu! NÃO TEM CONTRAINDICAÇÃO E ESTÁ DISPONÍVEL EM TODA A REDE DO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE.

fonte: Elaboração: Secretaria de Vigilância em Saúde www.saude.gov.br

SAIBA COMO AGIR EM CASO DE ENCHENTES - material para download


Páginas: 20
Ano: 2011
Arquivo: PDF
Tamanho: 3, 58 MB

Para realizar o download acesse o link abaixo:


http://www.4shared.com/get/I02QIseH/SAIBA_COMO_AGIR_EM_CASO_DE_ENC.html;jsessionid=F991AF16A65719E21929D5EEAA3F4C0F.dc285

sábado, 12 de fevereiro de 2011

MODELO DA SISTEMATIZAÇÃO DA ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM (SAE), PASSO/PASSO



Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE):
É a dinâmica das ações sistematizadas e inter-relacionadas, visando a assistência de melhor qualidade ao ser – humano.
é composta por cinco etapas:
Histórico de enfermagem
Diagnóstico de enfermagem
Planejamento da assistência de enfermagem
Implementação da assistência de enfermagem
Avaliação e/ou Evolução de enfermagem


HISTÓRICO DE ENFERMAGEM
I.Z.P., sexo masculino, 66 anos, branco, casado, residente em São José do Rio Preto, aposentado. Internado no setor de emergência do H.E.E.C. com queixa de precordialgia, algia em MMSS, sensação de morte iminente e náusea. Possui H.A.S., nega ser alérgico a medicamentos, faz uso de Captopril, antecedentes familiares de H.A.S. (pai, tios) e infarto do miocárdio ( irmão). Não pratica atividade física; tabagista por 30 anos com interrupção há 10 anos; nega etilismo com uso de bebidas alcoólicas apenas aos finais de semana. Ao exame físico verificado SSVV: PA: 180x100, P: 110 bpm, R: 28 mrpm e T: 36,6 º C. Paciente orientado, ansioso, com expressão facial triste, postura cabisbaixa, com memória preservada e relata fadiga. Apresenta marcha regular, pele fria, sudorese, edema em MMII; estase jugular a D; bulhas hipofonéticas em foco mitral, tricúspide, aórtico e pulmonar. Tórax sem alterações, respiração com uso da musculatura acessória e dispnéia. Abdome arredondado com ruídos hidroaéreos hiperativos nos quatro quadrantes; sons timpânicos e submaciços à percussão; à palpação semi-rígido. Paciente apresenta oligúria e eliminação intestinal sem alterações.


DIAGNÓSTICO DE ENFERMAGEM

CATEGORIZAÇÃO DOS PROBLEMAS DOMÌNIOS E CLASSES AFETADOS DIAGNÓSTICO DE ENFERMAGEM
- H.A.S,
- precordialgia,
- algia em MMSS,
- antecedentes de infarto do miocárdio,
- dispnéia,
- taquicárdico,
- fadiga,
- pele fria,
- sudorese,
- edema de MMII,
- estase jugular á direita,
- bulhas hipofonéticas em focos: mitral, tricúspide, aórtico e pulmonar,
- oligúria,
- sedentário,
- ex. fumante. Domínio: 04 ou Atividade/Repouso.

Classe: 04 ou Resposta Cardiovasculares/Pulmonares. Débito Cardíaco diminuído, relacionado á freqüência cardíaca alterada, contratilidade alterada, pós-carga alterada, pré-carga alterada, caracterizado por taquicardia, distensão de veia jugular, edema, fadiga, dispnéia, oligúria, pele fria.
- Dispnéia,
- Precordialgia,
- sensação de morte iminente,
- uso de musculatura acessória para respirar,
- fadiga,
- pele fria,
- taquicárdico,
- ex. fumante,
- ansioso,
- sedentário. Domínio: 04 ou Atividade/Repouso.

Classe: 04 ou Resposta Cardiovasculares/Pulmonares. Perfussão Tissular ineficaz cardiopulmonar, relacionado á transporte prejudicado do oxigênio, caracterizado por dispnéia, dores no peito, freqüência respiratória alterada, fora dos parâmetros aceitáveis, sensação de “morte iminente”, uso de musculatura acessória.
- Ansioso,
- expressão facial triste,
- dispnéia,
- postura cabisbaixa,
-H. A. S,
- taquicárdico,
- fadiga,
- náusea.
- sudorese. Domínio: 09 ou Enfrentamento/Tolerância ao Estresse.

Classe: 02 ou Resposta de Enfrentamento. Ansiedade, relacionado á ameaça-ao estado de saúde, estresse, mudança: - no meio ambiente, - no estado de saúde, caracterizado por preocupações expressas em razão de mudança em eventos da vida, pesaroso, ansioso, respiração aumentada, tensão facial, aumento da pressão sanguínea, dificuldades respiratórias, pulso aumentado, fadiga , náuseas.

- Algia em MMSS,
- ansioso,
- dispnéia,
- fadiga,
- uso de musculatura acessória para respirar. Domínio: 04 ou Atividade/Repouso.

Classe: 04 ou Resposta Cardiovasculares/Pulmonares. Padrão Respiratório ineficaz, relacionado á ansiedade, dor, fadiga, caracterizado por dispnéia, uso de musculatura acessória para respirar.


PLANEJAMENTO DA ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM


DIAGNÓSTICO DE ENFERMAGEM META/OBJETIVO

Débito Cardíaco diminuído. Melhorar o débito cardíaco.
O cliente deverá apresentar melhora de P.A em 2 dia.
O cliente deverá apresentar melhora de precordialgia em 1 dia.
O cliente deverá apresentar melhora de taquicardia em 1 dia.
O cliente deverá apresentar melhora em ausculta cardíaca em 2 dias.
O cliente deverá apresentar melhora de edema de MMII em 5 dias.
O cliente deverá apresentar melhora de algia em MMSS em 1 dia.

Perfussão Tissular ineficaz cardiopulmonar. Melhorar perfussão tissular cardiopulmonar.
O cliente deverá apresentar-se livre de sensação de morte em 1 dia.
O cliente deverá apresentar melhora da temperatura da pele em 1 dia.
O cliente deverá apresentar melhora de sudorese em 1 dia.

Ansiedade. Diminuir á ansiedade.
O cliente deverá apresentar melhora de ansiedade em 1 dia.
O cliente deverá apresentar melhora da auto estima em 5 dias.
O cliente deverá apresentar-se livre de náusea em 1 dia.
Padrão Respiratório ineficaz. Restabelecer o padrão respiratório. O cliente deverá apresentar melhora de dispnéia em 1 dia.
O cliente deverá apresentar-se livre de uso de musculatura acessória para respirar em 2 dias.
O cliente deverá receber ar úmidificado em 1 dia.






PRESCRIÇÃO DE ENFERMAGEM

HORÁRIOS


- Realizar ausculta cardíaca e comunicar o médico a qualquer sinal de anormalidade. 10------------14-------------22-------------06
- Observar, comunicar e anotar providência e evolução:
- diminuição ou asência de perfusão periférica,
- queixa de dormência,
- extremidade fria.


M----------------------T-------------------------N

- Proporcionar ambiente calmo e seguro. M----------------------T-------------------------N
- Manter monitorização com P.A.M não invasivo, monitor cardíaco e oxímetro de pulso.
M----------------------T-------------------------N

- Observar, comunicar relato/ expressão de dor e anotar providência e evolução.
M----------------------T-------------------------N

- Verificar sinais vitais de 4/4 h. 08—12—16—20—24—04—08
- Observar e comunicar enfermeiro , em caso de (x) sangramento,(x) hematoma, (x) edema, (x) hipotensão e hipertensão arterial.
M----------------------T-------------------------N


- Comunicar enfermeiro , em caso de queixa de desconforto respiratório, dilatação nasal e alteração do padrão e freqüência respiratória e saturação com O2 < 90%.

M----------------------T-------------------------N


- Realizar balanço hídrico. 08—12—16—20—24—04—08
- Observar e manter água destilada do copo úmidificador. M----------------------T-------------------------N

- Manter decúbito com cabeceira do leito elevada.
M----------------------T-------------------------N

- Adiministrar oxigênio C.P.M. M----------------------T-------------------------N

- Manter repouso no leito. M----------------------T-------------------------N

- Avaliar as características da dor precordial: intensidade, localização, irradiação e duração.
S/N
- Oferecer dieta adequada ( hipossódica e hipocalórica ). M----------------------T-------------------------N

- Deixar a mão e orientar quanto ao uso de campainha para solicitar auxílio. M----------------------T-------------------------N




IMPLEMENTAÇÃO

02/06/08 – 10h, Cliente mantendo oxigenoterapia c.p.m, P.A.M não invasivo, monitor cardíaco e oxímetro de pulso, realizado balanço hídrico e ausculta cardíaca , permanece com decúbito elevado em 45°, aceitou dieta oferecida, diurese espontânea.




EVOLUÇÃO

02/06/08 – 18:30h, Evolui com dor precordial, medicado com item 03 da prescrição médica e traçado E.C.G com elevação do segmento ST, apresenta pele aquecida, relata melhora da ansiedade e fadiga.


publicado 8/03/2009 por Rildo Czorny
Fonte: http://www.webartigos.com/articles/15290/1/MODELO-DA-SISTEMATIZACAO-DA-ASSISTENCIA-DE-ENFERMAGEM-SAE-PASSOPASSO/pagina1.html#ixzz1DmMQc25q

DICAS DE EMERGÊNCIA - CUIDADOS COM QUEIMADURAS


fonte:www.revistaemergencia.com.br

DICAS DE EMERGÊNCIA - SAIBA MAIS SOBRE COLETE SALVA-VIDAS


fonte: www.revistaemergencia.com.br

Evento gratuito com simulação de parto será transmitido para auditórios em 8 municípios

No dia 17 de fevereiro, profissionais de oito municípios de São Paulo e também os internautas terão a oportunidade de acompanhar a realização de um parto normal simulado. A atividade faz parte da programação do seminário “Parto normal: desafios e perspectivas na assistência e a utilização da simulação”, que será realizado em São José do Rio Preto e terá sua programação transmitida pela internet e também para auditórios nas cidades onde o COREN-SP conta com subseções.
O seminário é o primeiro evento do programa CAPE no interior, iniciativa do COREN-SP que permite que os profissionais que não têm acesso aos laboratórios do Centro de Aprimoramento Profissional de Enfermagem, possam conhecer e beneficiar-se de alguns dos recursos de seu laboratório de simulação.
O evento é gratuito e as inscrições estão abertas. Para realizar sua inscrição e conhecer a programação completa do seminário,
visite http://inter.coren-sp.gov.br/node/5287.

Manual Dengue para Crianças - para download


Manual Dengue para Crianças. 2011. 56p.
MS lança novo manual de dengue específico para crianças.
Tamanho do arquivo: 470Kb
Baixe aqui:

http://portal.saude.gov.br/portal/arquivos/pdf/web_final_dengue18_01_11.pdf

quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

INTERPRETAÇÃO DA GASOMETRIA ARTERIAL - material para download



Interpretação da gasometria arterial.
Ótimo material, vale a pena conferir, para realizar o download acesse o link abaixo:

http://www.4shared.com/document/E2RZPglL/A_interpretao_de_Gasometria_Ar.html

Curso ACLS - CD do aluno - para download


ACLS. CD do aluno.

Tamanho do arquivo: 7,9Mb

Ótimo material para download, para quem gosta da área de urgência e emergência.
Para realizar o download acesse o link abaixo:

http://www.4shared.com/file/240381484/b8bc3eab/Apostila_-_Suporte_Avanado_de_.html

quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

Cuidados essenciais para evitar erros na enfermagem


A identificação do paciente (adesivo ou pulseira) garante a equipe de enfermagem acompanhar o andamento da assistência ao paciente: medicamentos tomados, exames e procedimentos realizados

Ter acesso ao prontuário médico do paciente para seguir os passos do atendimento

Higienização das mãos dos profissionais: evita transmissão de infecções

Saber como e quando se deve usar catéteres e sondas na hora de dar remédios ou passar alimentação

Em casos de cirurgia, cabe ao enfermeiro conferir o local da intervenção, se o prontuário está correto, se os materiais estão na sala cirúrgica, se o carrinho de emergência está correto

Garantir administração segura de injeções de sangue na veia: se o material e o sangue são compatíveis, assim como as condições de energia

Passar todas as informações sobre os pacientes, ao profissional que o substitui em troca de turnos. Isso impede repetição ou omissão de procedimentos

- Prevenir quedas, tanto em pacientes graves, quanto em não graves. Manter as grades da cama elevadas e cuidados na locomoção evitam a maioria dos casos

Prevenir lesões na pele, em pacientes que estão imobilizados, conhecidas como úlceras ou lesões por pressão. Essas feridas podem evoluir para sérios quadros infecciosos de pele

Fontes: Claudio Alves Porto, presidente do Conselho Regional de São Paulo; Ligia Canteras, enfermeira da Unifesp; e Lei nº 7.498/86 do exercício da enfermagem

http://noticias.r7.com/saude/noticias/entenda-as-funcoes-de-cadaprofissional-da-area-de-enfermagem-20120204.html

Entenda as funções de cada profissional da área de enfermagem - Enfermeiro, técnico e auxiliar de enfermagem



Enfermeiro, técnico e auxiliar de enfermagem fazem trabalhos diferentes
De acordo com a Lei nº 7.498, de 1986, que rege a área de enfermagem, suas três categorias de profissionais - enfermeiro, técnico de enfermagem e auxiliar de enfermagem - são complementares, mas têm funções diferentes.
Confundi-las é fácil, mas ao saber das diferenças, você pode se sentir mais seguro durante um atendimento. O enfermeiro, por exemplo, tem formação universitária e condições de acompanhar cirurgias e fazer procedimentos mais complexos. Já o técnico e o auxiliar têm capacidade de dar remédios, aplicar injeções, mas sempre com a supervisão de um enfermeiro do setor.

Profissionais de enfermagem
Para exercer a profissão:
Tem que ter feito curso superior por pelo menos 4 anos ou 4.000 horas
Ter diploma de instituição brasileira ou estrangeira, expedido de acordo com a legislação e registrado pelo órgão competente

Funções do Enfermeiro

Ele tem poder para dirigir e chefiar o órgão de enfermagem de uma instituição de saúde, pública ou privada
Deve organizar e dirigir os serviços de enfermagem e supervisionar as atividades de técnicos e auxiliares
É capaz de planejar, organizar, coordenar, executar e avaliar os serviços de enfermagem prestados
É responsável pelos cuidados diretos de enfermagem (nada cirúrgico) a pacientes graves, com risco de vida, e em Unidade de Terapia Intensiva
É capaz de dar cuidados de enfermagem de maior complexidade técnica, que exijam conhecimentos de base científica e demandem decisões imediatas
É capaz de prescrever medicamentos estabelecidos em programas de saúde pública e em rotina aprovada pela instituição de saúde
Deve atuar na prevenção e no controle de infecção hospitalar e de doenças transmissíveis em geral
Deve atuar na prevenção e no controle de danos que possam ser causados durante o atendimento
É capaz de prestar assistência de enfermagem à gestante, durante e depois do parto; e mesmo fazer o parto sem distocia (que envolva necessidade de intervenção cirúrgica)

Formação de técnico de enfermagem

Para exercer a profissão:
Tem que ter feito curso técnico de pelo menos dois anos ou 1.200 horas
Ter diploma ou certificado de técnico de enfermagem, expedido de acordo com a legislação e registrado pelo órgão competente

Funções do técnico de enfermagem

É capaz de dar cuidados de nível médio, ou seja, em pacientes semicríticos, que podem estar em estágio quase grave
Pode dar remédios de via oral ou não oral, fazer cateterismo por via gastroesofágica ou nasal, mas sempre com supervisão de um enfermeiro

Formação de auxiliar de enfermagem

Para exercer a profissão:

Tem que ter certificado de auxiliar de enfermagem conferido por instituição de ensino nos termos da lei e registrado no órgão competente
Ter feito curso fundamental de pelo menos um ano ou 900 horas

Funções do auxiliar de enfermagem

É capaz de dar cuidados básicos, sem presença de risco e complexidade, sempre com a supervisão de um enfermeiro
Pode fazer curativos simples, administrar remédios simples e dar injeções na veia e no músculo em pacientes sem gravidade
É capaz de observar, reconhecer e descrever sinais e sintomas e prestar cuidados de higiene e conforto ao paciente

Fontes: Claudio Alves Porto, presidente do Conselho Regional de São Paulo; Ligia Canteras, enfermeira da Unifesp; e Lei nº 7.498/86 do exercício da enfermagem
http://noticias.r7.com/saude/noticias/entenda-as-funcoes-de-cadaprofissional-da-area-de-enfermagem-20120204.html

segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

DICAS DE EMERGÊNCIA - CUIDADOS COM FOGOS DE ARTIFÍCIO


Fonte: www.revistaemergencia.com.br

DICAS DE EMERGÊNCIA - CUIDADOS COM RAIOS


Fonte: www.revistaemergencia.com.br

DICAS DE EMERGÊNCIA - COMO AGIR EM ENGASGAMENTO


Fonte: www.revistaemergencia.com.br

APOSTILA DE APH (ATENDIMENTO PRÉ-HOSPITALAR) para download


Nessa apostila você encontra:

LINGUAGEM DE COMUNICAÇÃO VIA RÁDIO
CÓDIGO Q
PAPEL DO ENFERMEIRO NO APH
TIPOS DE AMBULÂNCIA
Dez mandamentos do bom atendimento
FOTOS DE ACIDENTES

Para realizar o download acesse o link abaixo:

http://www.4shared.com/get/0boM6mBh/APH.html;jsessionid=6B52ACD868271B9BE3BD00DADEFDEB92.dc285

quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

Dê sugestões para o Seminário APH 2011


O APH 2011 - 3º Seminário Nacional de Atendimento Pré-Hospitalar de Emergências e Resgate de Acidentados acontecerá dias 11 e 12 de agosto, em São Paulo, paralelamente à feira Expo Emergência. O evento reunirá cerca de 800 profissionais ligados ao sistema de atendimento pré hospitalar e de resgate de acidentados. Este ano haverá a possibilidade de apresentação de trabalhos técnicos e pôsteres durante o evento. Os trabalhos deverão ser inscritos pelo site do Seminário e abordar as questões relativas ao APH brasileiro. As normas para inscrição de trabalhos técnicos e pôsteres estarão disponível no site da Expo Emergência (www.expoemergencia.com.br) a partir do próximo dia 20 de fevereiro.
O comitê técnico que discute a programação do Seminário reúne-se mensalmente desde dezembro em São Paulo e está recebendo também sugestões de temas, palestras e palestrantes para compor a programação do evento. A programação deverá tratar de temas como a integração entre as diferentes instituições envolvidas no APH, legislação e normatização do sistema de atendimento, capacitação e treinamento dos profissionais, inovações tecnológicas e as tendências nas ações operacionais, além dos apectos ligados à gestão do sistema. A próxima reunião acontecerá dia 15 de fevereiro às 14h, na sede do Comando do Corpo de Bombeiros de São Paulo, na Praça da Sé. Interessados em participar da reunião ou em enviar suas sugestões de temas e palestras para o Seminário podem remeter e-mail para: protecaoeventos@protecaoeventos.com.br.
Data: 01/02/2011 / Fonte: Redação Revista Emergência

http://www.revistaemergencia.com.br/site/content/noticias/noticia_detalhe.php?id=JajiAQji&utm_campaign=Emerg%EAncia+News+Ed.+04%2F11&utm_medium=email&utm_source=clients

Perguntas frequentes sobre doação de sangue


- Doar sangue engorda ou faz emagrecer?
Ao doar sangue você não engorda nem emagrece.

- Doar sangue engrossa ou afina o sangue?
Não engrossa nem afina o sangue, é apenas um mito.

- Doar sangue vicia?
Não. A doação de sangue não está relacionada a nenhuma dependência.

- É preciso algum documento de identidade?
Sim. O candidato deve apresentar documento original com foto, expedido pelo órgão oficial. Exemplos: Carteira de Identidade (RG ou RNE), passaporte, Carteira de Trabalho, Carteira de Identidade de Profissional, Carteira Nacional de Habilitação com foto e Certificado de Reservista.

- Fiz uma tatuagem há um ano. Posso doar?
Sim. Quem fez tatuagem há mais de um ano pode doar sangue.

- Há substituto para o sangue?
Não. Ainda não há nenhum substituto do sangue.

- O que é sangue universal?
Hoje sabemos que não existe sangue universal. Todas as pessoas têm características diferentes e por isso, quando necessitam de transfusão de sangue, precisamos fazer exames pré-transfusionais independente do grupo sanguíneo do doador e do receptor.

- O que é feito com o sangue que doamos?
Após a coleta, a bolsa coletada é fracionada em componentes sangüíneos (concentrado de hemácias, de plaquetas e plasma). Esses componentes são liberados para uso somente após o resultado dos exames. As unidades que apresentam reatividade sorológica são descartadas. Uma única unidade doada pode beneficiar três pacientes.

- O que é sangue raro?
É um sangue com característica especifica de baixa frequência na população e algumas vezes, pode ser uma característica familiar.

- O que se consegue em troca da doação de sangue?
A satisfação de beneficiar pessoas que não têm outra opção e dependem do gesto de pessoas como você para se sentir melhor.

- Tomei vacina para Hepatite B. Posso doar sangue?
A vacinação para Hepatite B impede a doação por 48 horas.

- A mulher pode doar sangue durante o período menstrual?
Sim.

- Doar sangue dói?
Não.

- O que acontece se uma pessoa que não sabe se está anêmica quiser doar sangue?
O candidato à doação é atendido por um profissional do Serviço de Hemoterapia, que realiza um teste rápido para verificar se o doador está ou não anêmico.

- O que são situações de risco acrescido para se transmitir doenças através da doação de sangue?
Ter múltiplos parceiros sexuais ocasionais ou eventuais sem uso de preservativo, usar drogas ilícitas, ter feito sexo em troca de dinheiro ou droga, ter sido vítima de estupro, ser parceiro sexual de pessoa que tenha exame reagente para infecções de transmissão sexual e sangüínea, ter parceiro sexual que pertença a alguma das situações acima, dentre outras.

- O uso de medicamento pode impedir alguém de doar?
O uso de medicamento deve ser analisado caso a caso. Portanto, antes de doar consulte o Serviço de Hemoterapia.

- Quanto tempo dura a doação?
O procedimento todo (cadastro, aferição de sinais vitais, teste de anemia, triagem clínica, coleta do sangue e lanche) leva cerca de 40 minutos.

- Quanto tempo leva para o organismo repor o sangue doador?
O organismo repõe o volume de sangue doado nas primeiras 24 horas após a doação.

- Quem está fazendo regime para emagrecer ou dieta pode doar sangue?
Sim. Dietas para emagrecimento não impedem a doação de sangue, desde que a perda não tenha comprometido a saúde.

- Quem estiver fazendo tratamento homeopático pode doar sangue?
Sim.

- Quem estiver fazendo tratamento com algum antibiótico pode doar sangue?
Depende do porquê a pessoa está tomando antibióticos. Em linhas gerais, para infecções simples e sem complicações, o doador deve aguardar 15 dias após a última dose do antibiótico para doar sangue. Infecções mais graves como pneumonia, meningite, entre outras, podem necessitar de um tempo maior para liberação do candidato à doação.

- Quem estiver fazendo tratamento com algum anti-inflamatório pode doar sangue?
Dependendo do motivo, a doação pode ser realizada normalmente. Não se esqueça de informar o nome do anti-inflamatório que você esta tomando.

- Quem faz tratamento para acne pode doar sangue?
Depende do tipo de tratamento. Caso o tratamento inclua o uso de antibióticos ou outros remédios de uso oral, não será posspivel doar.

- Quem tomou analgésico pode doar sangue?
Pode, mas é importante que no dia da doação o doador esteja sem dores.

- Grávidas podem doar sangue?
Não. Mas se o parto for normal, a mulher pode doar depois de três meses. Em caso de cesariana, após seis meses. Se estiver amamentando, aguardar 12 meses após o parto.

- É necessário estar em jejum para doar sangue?
O doador não deve estar em jejum. Tem que estar alimentado e descansado, evitar alimentação gordurosa nas quatro horas que antecedem a doação.

- Quem está gripado pode doar sangue?
Recomenda-se aguardar sete dias após a cura para poder doar.

- Quem tem diabete pode doar sangue?
Se a pessoa que tenha diabetes estiver controlando apenas com alimentação ou hipoglicemiantes orais e não apresente alterações vasculares, poderá doar. Caso ela tenha utilizado insulina uma única vez, não poderá doar.


fonte: http://www.inca.gov.br/conteudo_view.asp?id=2013
Instituto Nacional de Câncer - INCA

terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

DICAS DE EMERGÊNCIA - COMO UTILIZAR EXTINTORES VEICULARES



Fonte: www.revistaemergencia.com.br

DICAS DE EMERGÊNCIA - ACIDENTES COM ELETRICIDADE



Fonte: www.revistaemergencia.com.br

DICAS DE EMERGÊNCIA - PRECAUÇÕES COM O GÁS DE COZINHA



fonte: www.revistaemergencia.com.br

São Paulo: Proíbe comprar equipamentos com mercúrio


A partir do ano 2012 não serão mais usados insumos com mercúrio nas unidades da Secretaria da Saúde do Estado de São Paulo.
"O uso de dispositivos contendo mercúrio implica risco para a saúde dos trabalhadores e dos pacientes em caso de acidentes, como também potenciais impactos no meio ambiente. Portanto estamos dando um primeiro passo para eliminar este componente dos hospitais paulistas, começando pelas unidades de saúde estaduais," explica Nilson Ferraz Paschoa, secretário da Saúde do Estado de São Paulo.

Veja a Resolução SS 239 de 07/12/10:

http://boletin.saludsindano.org/nro013p/resolucion_boletin_oficial_san_pablo.pdf

Fonte: Saúde Sem Dano

III CONGRESSO BRASILEIRO DE ENFERMAGEM EM EMERGÊNCIA 6 A 9 DE ABRIL 2011 - COBEEM

CURSO - Suporte Básico de Vida


WED Consultoria – Suporte Básico de VidaData: 27 de fevereiro de 2011
Local: Rua Cincinato Braga, 59 - 2º andar - Bela Vista – SP (Próximo ao Metrô Brigadeiro)
Informações e inscrições: (11) 4105 6131 // www.wedconsultoria.com.br // evelen@wedconsultoria.com.br

Curso com Certificação Internacional - BLS (RCP e DEA) + Primeiros SocorrosData e horário: 12 e 13 de fevereiro de 2011, das 8h às 18h

Curso Teórico-Prático de Imobilização no APHData e horário: 25 de fevereiro de 2011, das 8h às 17h

Local: Centro de Treinamento ELLU Brasil (Av. Paulista, 807 – 5º andar – cj 521 – São Paulo. Próximo ao Metrô Brigadeiro)
Inscrições: www.ellubrasil.com.brInformações: (11) 3721 9333 // atendimento@ellubrasil.com.br