Sabemos que Deus age em todas as coisas para o bem daqueles que o amam, dos que foram chamados de acordo com o seu propósito.
Romanos 8:28

segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

Cursos Oferecidos pela Secretaria Nacional de Defesa Civil


CURSO DE GESTÃO INTEGRADA EM DEFESA CIVIL - CGIDC

Este curso visa reforçar a responsabilidade e o protagonismo dos gestores de defesa civil no que concerne a agora chamada gestão integrada de risco e de desastres. O curso tem ênfase no estabelecimento de uma cultura de prevenção de risco em detrimento apenas às ações de resposta, embora também as contemple.

Com carga horária de 40 horas e uma semana de duração, é dividido em 04 unidades: 1) Conhecimentos Gerais sobre Defesa Civil; 2) Mobilização Social para as Ações de Defesa Civil; 3) Gestão Integrada de Riscos e 4) Gestão de Desastres.

O público alvo deve ser formado por gestores e técnicos estaduais e municipais dos órgãos de defesa civil e demais instituições do estado que atuam em ações de gerenciamento de riscos de desastres.

O CGIDC foi oferecido a todas as Coordenadorias Estaduais de Defesa Civil e aquelas que tiverem interesse em sua realização no seu estado deverão contatar o Departamento de Minimização de Desastre através do telefone (61) 3414-5672/5742, pelo fax (61) 3414-5858 ou ainda pelo e-mail sedecdmd@gmail.com

Mais informações acesse:

http://www.defesacivil.gov.br/capacitacao/cursos/cursos.asp

Defesa Civil deve ter planos emergenciais para situações de crise


Enquanto o sistema de prevenção e alerta de desastres naturais não estiver pronto, o ministro da Ciência e Tecnologia, Aloizio Mercadante, disse hoje, 20, que as defesas civis municipais devem montar planos de emergência para lidar com situações de crise, como inundações, deslizamentos de terra ou secas extremas.
"As defesas civis dos municípios têm de discutir um plano de contingência e buscar orientar a população em situações de crise com os recursos que têm. Os dados meteorológicos estão disponíveis na internet. As defesas civis já podem pensar suas iniciativas ", afirmou em entrevista ao programa Bom Dia, Ministro, produzido pela Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República, em parceria com a EBC Serviços.
Mercadante reafirmou que o sistema nacional de prevenção deve estar em pleno funcionamento em quatro anos. Segundo o ministro, o modelo permitirá às autoridades saber a ocorrência de chuvas fortes, por exemplo, com antecedência de seis horas. Para montar o sistema, o ministro estima a compra de 15 radares, sirenes de alerta e outros equipamentos, além do treinamento da população para situações de desastres naturais.
O ministro informou que vai se reunir hoje com representantes de outras pastas do governo federal para avaliar os custos do sistema.


fonte:

http://www.revistaemergencia.com.br/site/content/noticias/noticia_detalhe.php?id=JajiJ9y4&utm_campaign=Emerg%25EAncia%2BNews%2BEd.%2B03%252F11&utm_medium=email&utm_source=clients

Ministério da Saúde alerta para riscos de contaminações


O Ministério da Saúde emitiu um alerta para o risco provocado por água e alimentos contaminados e por animais peçonhentos, sobretudo neste período de alto índice de enchentes no país.
De acordo com a Pasta, o cuidado com a alimentação é uma das principais medidas para proteger a saúde durante e após a ocorrência de enchentes. Consumir alimentos que entraram em contato com a água ou a lama da enchente pode causar doenças e, até mesmo, levar à morte. A orientação é dar preferência a alimentos não perecíveis e evitar legumes, verduras e carnes.
Todos os alimentos que estiverem com cheiro, cor e aspecto fora do normal - úmidos, mofados ou murchos - devem ser descartados. Os alimentos em embalagens de plástico lacradas, mas que tiveram contato com água de enchente, também devem ser jogados fora. O mesmo se aplica aos que estiverem acondicionados em latas amassadas, enferrujadas ou semi-abertas.
Outra medida importante a ser tomada em situações de enchente é cuidar da qualidade da água a ser consumida, seja para ingestão, preparo de alimentos ou higiene. O ministério recomenda que métodos caseiros de purificação da água sejam adotados para que haja a eliminação de bactérias, vírus e parasitas.
A melhor forma de limpar a água e torná-la apropriada para o consumo humano é filtrá-la e, depois, fervê-la. Para filtrar a água, pode ser usado um filtro doméstico, um coador de papel ou um pano limpo. Depois, é preciso ferver a água. Caso não seja possível fervê-la, a água precisa ser tratada com hipoclorito de sódio (2,5%) ou água sanitária - duas gotas do produto para cada litro de água. Em seguida, deve-se deixar descansar por 15 minutos.
Em relação ao alerta para animais peçonhentos, o ministério explicou que os alagamentos fazem com que esses animais saiam de seus esconderijos naturais, procurando abrigo dentro das casas. A orientação é utilizar equipamentos de proteção individual como luvas, botas, calçados fechados e de estrutura rígida. É preciso ainda cuidado na limpeza da casa, durante o deslocamento de móveis e outros objetos.
Caso um animal peçonhento seja encontrado, a pessoa deve se afastar com cuidado, evitar assustar ou tocar o animal, mesmo que pareça morto, e procurar a Vigilância Ambiental. Caso a pessoa seja picada, é recomendado limpar o local com água e sabão e manter a vítima em repouso até a chegada de socorro.


fonte: http://www.revistaemergencia.com.br/site/content/noticias/noticia_detalhe.php?id=JajiAJjy&utm_campaign=Emerg%25EAncia%2BNews%2BEd.%2B03%252F11&utm_medium=email&utm_source=clients

quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

Livro - Destaques das Diretrizes AHA 2010 - para download


Material contendo as novas diretrizes de RCP (ressuscitação cardiopulmonar 2010)segundo a AHA (American Heart Association) a mais atual, quer ficar informado, faça o download e fique por dentro.

Para realizar o download acesse o link abaixo:

http://www.4shared.com/get/1HNwil8R/Livro_-_Destaques_das_Diretriz.html;jsessionid=1FAEB5A2F56DF8A1D44AA93BEBCE5AD8.dc214

Curso - Infecção Relacionada à Assistência à Saúde - Anvisa - material para download

Formato: PDF
Nº de slides: 274
Tamanho: 4.92 MB

O material contem:

INTRODUÇÃO À INFECÇÃO HOSPITALAR
O QUE É INFECÇÃO HOSPITALAR?
QUAIS AS CAUSAS DA INFECÇÃO HOSPITALAR?
LEIS E PORTARIAS REFERENTES AO CONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR
A SITUAÇÃO DO CONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR NO BRASIL
PROGRAMA DE CONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR (PCIH)
COMISSÃO DE CONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR (CCIH)
SERVIÇO DE CONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR (SCIH)
ROTEIRO DE INSPEÇÃO
Entre outros materiais

Para realizar o download acesse o link abaixo:

http://www.4shared.com/get/jmyNMnZs/Curso_-_Infeco_Relacionada__As.html

MANUAL DE SAÚDE DO IDOSO - para download



Páginas: 51
Ano: 2003
Arquivo: PDF
Tamanho: 762 KB

Para realizar o download acesse o link abaixo:

http://www.4shared.com/get/NZky3zGw/MANUAL_DE_SADE_DO_IDOSO.html;jsessionid=9FE782DF6686ABF7D1D309DE12FE49D2.dc211

segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

Expo Emergência 2011 – O maior evento de formação profissional em Emergência e SST do Brasil


10 a 12 de agosto de 2011 - Expo Center Norte - Pavilhão Verde - São Paulo
A maior cidade da América Latina, volta a ser o palco da Expo Proteção e Expo Emergência, o maior evento de saúde e segurança do trabalho, resgate e emergência no Brasil em 2011.
Em sua quinta edição, a Expo Emergência vem para comprovar seu ótimo desempenho anterior. Reúne profissionais e empresas do setor de emergência, resgate, atendimento pré-hospitalar, bombeiros militares e civis, membros da defesa civil, integrantes dos PAMs e especialistas em emergências químicas. Uma amostra de produtos, equipamentos e serviços, complementada por intensa programação técnica paralela, com apresentações de resgate e emergência são os grandes diferenciais do evento.
A Expo Emergência é a grande oportunidade para otimizar bons negócios e falar de perto com milhares de profissionais da área. Reserva logo a sua participação.

Mais de 25 horas de apresentações e simulações de:
- Produtos e Serviços
- Público qualificado
- Estrutura criada com exclusividade, permitindo demonstração com veículos, uso de equipamentos e de trabalho em
altura, entre outros.
- Entrada gratuita.

Para mais informações acesse o site www.expoemergencia.com.br, pelo fone (51)2131-0400 ou pelo e-mail atendimento@protecaoeventos.com.br


fonte: http://www.revistaemergencia.com.br/site/content/materias/materia_detalhe.php?id=AJjb

Seminário APH 2011 é lançado em São Paulo


O Comando do Corpo de Bombeiros do Estado de São Paulo foi palco, no dia 18 de janeiro, do lançamento do APH 2011 - 3º Seminário Nacional de Atendimento Pré-Hospitalar e de Resgate de Acidentados. O evento será realizado em 11 e 12 de agosto, paralelamente às feiras Expo Emergência e Expo Proteção na capital paulista, no Expo Center Norte.
Para o comandante do Corpo de Bombeiros de São Paulo, Luiz Humberto Navarro, o evento é importante para os bombeiros, ao abordar a necessidade de integração das instituições que fazem atendimento pré-hospitalar. "Isso afina as conversas para um foco maior nas vítimas, o que melhora o atendimento. Na feira e no seminário, há uma troca de tecnologia e de informações. Existe ali a realização de amizades que se perpetuam no campo de operação. Então, os Bombeiros participam de uma maneira muito forte para que tenhamos um atendimento cada vez melhor no pré-hospitalar", completa o comandante.
Os temas do APH 2011 estão centrados na integração, legislação e normatização, capacitação e treinamento, ações operacionais e gestão. A programação e as discussões específicas serão definidas em reuniões mensais na cidade de São Paulo com a participação de profissionais e empresas do segmento, instituições como o SAMU e o Corpo de Bombeiros, além de entidades associativas. "O grupo técnico vai formatar e definir a grade de palestras", explica coronel Edson Sampaio, coordenador do Seminário.
O seminário é uma realização das Revistas, Emergência, Proteção e Bombeiros em Emergências. Entre os apoiadores estão o Corpo de Bombeiros do Estado de São Paulo, o SAMU, a Abramet (Associação Brasileira de Medicina do Tráfego), a SBAIT (Sociedade Brasileira de Atendimento Integrado ao Traumatizado) e a CET (Companhia de Engenharia de Tráfego do Município de São Paulo).

fonte: http://www.revistaemergencia.com.br/site/content/noticias/noticia_detalhe.php?id=JajiJaji

Calendário de atividades 2011 – COREN-SP


Janeiro
17/01 a 19/01 – Curso – Informática Básica I – Sede do COREN-SP – São Paulo
24/01 – Reunião – Exercício Profissional Tutelado – Marília
24/01 – Reunião – Exercício Profissional Tutelado – Presidente Prudente
25/01 – Reunião – Exercício Profissional Tutelado – Araçatuba
26/01 – Reunião – Exercício Profissional Tutelado – São José do Rio
26/01 a 28/01 – Curso – Informática Básica I – Sede do COREN-SP – São Paulo
27/01 – Reunião – Exercício Profissional Tutelado – Ribeirão Preto
27/01 – Curso Preparatório – Premio COREN-SP Gestão com Qualidade Dimensão Hospitalar – São Paulo
28/01 – Reunião – Exercício Profissional Tutelado – São Paulo
31/01 – Curso Preparatório – Premio COREN-SP Gestão com Qualidade Dimensão Hospitalar – Marília
31/01 a 04/02 – Curso – Informática Básica II – Sede do COREN-SP – São Paulo


Fevereiro
01/02 – Reunião – Exercício Profissional Tutelado – Campinas
01/02 – Curso Preparatório – Premio COREN-SP Gestão com Qualidade Dimensão Hospitalar – Presidente Prudente
02/02 – Reunião – Exercício Profissional Tutelado – São José dos Campos
02/02 – Curso Preparatório – Premio COREN-SP Gestão com Qualidade Dimensão Hospitalar – Araçatuba
02/02 – Programa Portas Abertas (PPA) – Programas de Saúde – CAPE – São Paulo
02/02 – Programa Portas Abertas (PPA) – Assédio Moral – CAPE – São Paulo
03/02 – Reunião – Exercício Profissional Tutelado – Santos
03/02 – Curso Preparatório – Premio COREN-SP Gestão com Qualidade Dimensão Hospitalar – São José do Rio Preto
04/02 – Curso Preparatório – Premio COREN-SP Gestão com Qualidade Dimensão Hospitalar – Ribeirão Preto
07/02 – Curso Preparatório – Premio COREN-SP Gestão com Qualidade Dimensão Hospitalar – Campinas
08/02 – Curso Preparatório – Premio COREN-SP Gestão com Qualidade Dimensão Hospitalar – São José dos Campos
09/02 – Curso Preparatório – Premio COREN-SP Gestão com Qualidade Dimensão Hospitalar – Santos
14/02 a 18/02 – Curso – Informática Básica II – Sede do COREN-SP – São Paulo
15/02 – Programa Portas Abertas (PPA) – Programas de Saúde – Botucatu
15/02 – Programa Portas Abertas (PPA) – Assédio Moral – Botucatu
15/02 – Palestra – Práticas Integrativas e Complementares na Enfermagem – CAPE – São Paulo
17/02 – Treinamento – CAPE no Interior – São José do Rio Preto
23/02 – Programa Portas Abertas (PPA) – Julgamento Simulado – CAPE – São Paulo
23/02 a 25/02 – Curso – Informática Básica I – Sede do COREN-SP – São Paulo
28/02 a 04/03 – Curso – Informática Básica II – Sede do COREN-SP – São Paulo

Março
02/03 – Programa Portas Abertas (PPA) – Perfusão – CAPE – São Paulo
02/03 – Programa Portas Abertas (PPA) – Centro Cirúrgico e CME – CAPE – São Paulo
02/03 – Palestra – Segurança na Administração de Medicamentos (Manhã) – CAPE – São Paulo
02/03 – Palestra – Segurança na Administração de Medicamentos (Tarde) – CAPE – São Paulo
14/03 a 16/03 – Curso – Informática Básica I – Sede do COREN-SP – São Paulo
16/03 – Programa Portas Abertas (PPA) – Julgamento Simulado – CAPE – São Paulo
17/03 – Palestra – Cirurgia Segura Salva Vidas (Manhã) – CAPE – São Paulo
17/03 – Palestra – Cirurgia Segura Salva Vidas (Tarde) – CAPE – São Paulo
25/03 – Palestra – Cuidados Paliativos em Oncologia – CAPE – São Paulo
28/03 a 01/04 – Curso – Informática Básica II – Sede do COREN-SP – São Paulo
31/03 – Café com o Presidente – São Sebastião

Abril
01/04 – Programa Portas Abertas (PPA) – Ostomia – São Sebastião
01/04 – Programa Portas Abertas (PPA) – Cuidados Paliativos – São Sebastião
06/04 – Programa Portas Abertas (PPA) – Gerenciamento de Hotelaria – CAPE – São Paulo
06/04 – Programa Portas Abertas (PPA) – Diagnósticos de Enfermagem – CAPE – São Paulo
07/04 – Palestra – Protocolo de Dor Torácica (Manhã) – CAPE – São Paulo
07/04 – Palestra – Protocolo de Dor Torácica (Tarde) – CAPE – São Paulo
13/04 – Café com o Presidente – Campinas
13/04 a 15/04 – Curso – Informática Básica I – Sede do COREN-SP – São Paulo
14/04 – Programa Portas Abertas (PPA) – Gerenciamento de Hotelaria – Campinas
14/04 – Programa Portas Abertas (PPA) – Diagnósticos de Enfermagem – Campinas
15/04 – Programa Portas Abertas (PPA) – Gestão – Piracicaba
15/04 – Programa Portas Abertas (PPA) – Diagnósticos de Enfermagem – Piracicaba
25/04 a 29/04 – Curso – Informática Básica II – Sede do COREN-SP – São Paulo
27/04 – Programa Portas Abertas (PPA) – Julgamento Simulado – CAPE – São Paulo
28/04 – Palestra – Anotações de Enfermagem: A Importância do Tema no Cotidiano da Equipe de Enfermagem (Manhã) – CAPE – São Paulo
28/04 – Palestra – Anotações de Enfermagem: A Importância do Tema no Cotidiano da Equipe de Enfermagem (Tarde) – CAPE – São Paulo

Maio
09/05 a 11/05 – Curso – Informática Básica I – Sede do COREN-SP – São Paulo
12/05 – Semana da Enfermagem
23/05 a 27/05 – Curso – Informática Básica II – Sede do COREN-SP – São Paulo
24/05 – Palestra – Atuação da Equipe de Enfermagem na Hemodinâmica (Manhã) – CAPE – São Paulo
24/05 – Palestra – Atuação da Equipe de Enfermagem na Hemodinâmica (Tarde) – CAPE – São Paulo

Junho
01/06 – Seminário Comissão de Ética de Enfermagem – Bauru
08/06 – Programa Portas Abertas (PPA) – Dimensionamento de Pessoal – CAPE – São Paulo
08/06 – Programa Portas Abertas (PPA) – Cuidados Paliativos – CAPE – São Paulo
08/06 a 10/06 – Curso – Informática Básica I – Sede do COREN-SP – São Paulo
13/06 a 17/06 – Curso – Informática Básica II – Sede do COREN-SP – São Paulo
14/06 – Palestra – Acreditação Hospitalar: o que Muda na Instituição de Saúde? – CAPE – São Paulo
15/06 – Café com o Presidente – Araraquara
16/06 – Programa Portas Abertas (PPA) – Dimensionamento de Pessoal – Araraquara
16/06 – Programa Portas Abertas (PPA) – Oncologia/Quimioterapia – Araraquara
17/06 – Programa Portas Abertas (PPA) – Ribeirão Preto
27/06 a 29/06 – Curso – Informática Básica I – Sede do COREN-SP – São Paulo
29/06 – Programa Portas Abertas (PPA) – Julgamento Simulado – CAPE – São Paulo

Julho0
6/07 – Café com o Presidente – São José do Rio Preto
07/07 – Programa Portas Abertas (PPA) – Assistência Materno-Infantil em Enfermagem – São José do Rio Preto
07/07 – Programa Portas Abertas (PPA) – Diagnósticos de Enfermagem – São José do Rio Preto
13/07 – Programa Portas Abertas (PPA) – Captação e Transplante – CAPE – São Paulo
13/07 – Programa Portas Abertas (PPA) – Auditoria – CAPE – São Paulo
21/07 e 22/07 – 3º Seminário Paulista de Gestão em Enfermagem (SEPAGE) – São Paulo
27/07 – Programa Portas Abertas (PPA) – Julgamento Simulado – CAPE – São Paulo

Outubro
04/10 a 07/0 – Expo Enfermagem – São Paulo – SP


Novembro
09/11 – 3º Seminário Comissão de Ética de Enfermagem – São Paulo

As datas podem ser alteradas

fonte:

Conselho Regional de Enfermagem de São Paulo

www.coren-sp.gov.br

terça-feira, 18 de janeiro de 2011

Curiosidade - Tosse persistente pode ser curada com o chocolate


O chocolate tem diversos benefícios para o corpo quando consumido com moderação, destaque para suas vitaminas e sais minerais, além de conter alto teor de flavonoides, que ajudam a reduzir os riscos de doenças cardiovasculares e proporcionam sensação de prazer e bem-estar. Entretanto parece que ele tem mais uma função, ajudar quem sofre de tosse persistente.
Segundo estudiosos, uma das substâncias isoladas do cacau dificulta a ação de irritação da tosse. Em levantamento recente com a população do Reino Unido, 7,5 milhões de pessoas relataram sofrer com a tosse persistente a cada ano.
Hoje os remédios utilizados para evitar os sintomas, são à base de opiáceos, como xaropes que contêm codeína, um narcótico. Porém, segundo a agência que controla os produtos naquela região, pessoas menores de 18 anos não devem tomar essa medicação, pois as desvantagens superavam os benefícios.
Por isso uma empresa britânica de remédios está ajudando a desenvolver outro remédio à base de uma droga chamada teobromina. Ela inibe a queima inadequada do nervo vago, uma característica fundamental da tosse persistente. “O interessante é que a teobromina é encontrada em pequenas quantidades em produtos à base de cacau”, explicou a empresa.
“A descoberta da teobromina no cacau, pode representar uma alternativa mais vantajosa à tosse persistente do que os perigosos opiáceos utilizados até então, além do que parece ser mais atrativo, principalmente para as crianças, saber que o remédio para tosse é o chocolate”, completa a tutora do Portal Educação, farmacêutica, Carolina Marlien.
De acordo com Alyn Morice, da clínica Hull Cough, por enquanto é “teoricamente possível” obter teobromina suficiente em uma barra de chocolate para aliviar a tosse, mais estudos ainda devem ser feitos para revelar a dose exata necessária.

fonte: http://www.portaleducacao.com.br/enfermagem/noticias/42010/tosse-persistente-pode-ser-curada-com-o-chocolate

Pesquisa mostra que fumar e comer podem ser amenizados com caminhada


Exercício, além de fazer bem, auxilia na redução do vício, fazer caminhada alivia vontade de fumar e comer.
Estar acima do peso é uma preocupação de muita gente. Fazer dietas e exercícios pode ajudar a reduzir o peso e ainda a eliminar certos vícios, como é o caso do cigarro. Segundo um estudo realizado em 2008, fazer caminhada acelerada ao redor do quarteirão ajuda a aliviar a vontade de comer ou mesmo de fumar.
Para a realização do estudo, os especialistas separaram um número de pessoas que chegavam a comer pelo menos duas barras de chocolate por dia, a ficarem três dias de abstinência. Foi constatado que, se os participantes caminhavam cerca de 15 minutos em uma esteira em ritmo acelerado, a probabilidade do sofrimento sem chocolate era menor.
Outra pesquisa também comparou a questão da caminhada com o vício do fumo. Caminhadas rápidas chegam a reduzir a vontade de fumar, além dos sintomas de abstinência e do aumento do tempo entre um cigarro e outro.
“Atualmente, diversas doenças são causadas pelo excesso de peso e pelo consumo indiscriminado do fumo. Portanto, uma medida simples e de baixo custo como a caminhada pode ser uma solução importante no combate a estas doenças”, explica o enfermeiro e tutor do Portal Educação, Alisson Daniel.

fonte: http://www.portaleducacao.com.br/enfermagem/noticias/42098/pesquisa-mostra-que-fumar-e-comer-podem-ser-amenizados-com-caminhada

Primeira vacina contra alcoolismo está sendo desenvolvida



A vacina contra o alcoolismo aumentaria a sensação de náusea e a vasodilatação nos viciados.
O alcoolismo é um dos piores vícios do ser humano. Capaz de acabar com relação familiar, prejudica muito a saúde da pessoa. Por isso, pesquisadores do Chile estão estudando o desenvolvimento da primeira vacina contra o alcoolismo, baseada na mutação genética presente em 20% dos asiáticos.
Essa população sofre grandes consequências com o consumo do álcool, sem contar que não possuem um gene que produz a enzima “aldeído desidrogenase”, com a função de metabolizar o álcool no organismo.
“Alguns medicamentos que já vêm sendo utilizados no tratamento contra o alcoolismo podem causar um grande desconforto quando o álcool é ingerido e diminuir os desejos pela bebida, encorajando, assim, a abstinência”, explica a farmacêutica e tutora do Portal Educação, Jeana Escher.
A vacina contra o alcoolismo aumentaria a sensação de náusea e a vasodilatação nos viciados. Ratos alcoólatras já foram testados com o medicamento e o resultado foi considerado um sucesso. Nesses animais, o consumo de álcool diminuiu 50%.
Caso os testes deem certo em humanos, seria necessário apenas que o paciente tomasse a vacina uma vez por mês para começar a sentir os sintomas desagradáveis por um tempo indeterminado, desestimulando, assim, o vício.


fonte: http://www.portaleducacao.com.br/enfermagem/noticias/42097/primeira-vacina-contra-alcoolismo-esta-sendo-desenvolvida

Video - SAIBA MAIS SOBRE O COLESTEROL


video

Video - HISTÓRIA DA UTI


video

sábado, 15 de janeiro de 2011

Dicas - Quem não pode doar Sangue?


EM QUAIS SITUAÇÕES VOCÊ NÃO PODERÁ DOAR SANGUE

Obs.: Estão relacionadas abaixo as principais causas de inaptidão à doação de sangue. Entretanto, esta relação não esgota o assunto. Algumas situações não estão inclusas nesta lista e serão definidas no ato da triagem clínica pela enfermeira ou pelo médico que realizarão o seu questionário.

Você não poderá doar sangue se:

Tiver idade inferior a 18 anos ou superior a 65 anos 11 meses e 29 dias.
Tiver peso inferior a 50 kilos.
Estiver com anemia no teste realizado imediatamente antes da doação.
Estiver com hipertensão ou hipotensão arterial no momento da doação.
Estiver com aumento ou diminuição dos batimentos cardíacos no momento da doação.
Estiver com febre no dia da doação.
Estiver grávida.
Estiver amamentando, a menos que o parto tenha ocorrido há mais de 12 meses.

Obs.: na Fundação Pró-Sangue, o doador não poderá doar se vier acompanhado de crianças menores de 10 anos sem a presença de um outro adulto para cuidar delas.

Estão relacionadas abaixo as principais causas de inaptidão à doação de sangue. Entretanto, esta relação não esgota o assunto. Algumas situações não estão inclusas nesta lista e serão definidas no ato da triagem clínica pela enfermeira ou pelo médico que realizarão o seu questionário.



Você estará impedido de doar sangue...

1) Por 48 horas:

Se recebeu vacina preparada com vírus ou bactéria mortos, toxóide ou recombinantes. Ex.: Cólera, Poliomielite (SALK), Difteria, Tétano, Febre tifóide (injetável), Meningite, Coqueluche, Pneumococo.

2) Por cinco dias:

Se ingeriu AAS (ácido acetil salicílico) ou qualquer outro medicamento que contenha AAS em sua composição. Exemplos: Aspirina, Sonrisal etc.

3) Por sete dias:

Se teve diarréia.
Após terminarem os sintomas de gripe ou resfriado.
Após a cura de conjuntivite.

4) Por duas semanas:

Após o término do tratamento de infecções bacterianas.
Após a cura de rubéola.
Após a cura de Erisipela.

5) Por três semanas:

Após a cura de Caxumba.
Após a cura de Varicela (Catapora).


6) Por quatro semanas:

Se recebeu vacina de vírus ou bactérias vivos e atenuados. Ex.: Poliomielite Oral (SABIN), Febre tifóide oral, Caxumba, Febre amarela, Sarampo, BCG, Rubéola, Catapora, Varíola etc.
Se recebeu vacina contra Gripe.
Se recebeu Soro Antitetânico.
Após a cura de Dengue.


7) Por oito semanas (somente para homens):

Após uma doação de sangue. Esse período deve ser ampliado para 16 semanas se houve doação dupla de hemácias por aférese.


8) Por 12 semanas (somente para mulheres):

Após uma doação de sangue (para mulheres). Esse período deve ser ampliado para 24 semanas se foi doação dupla de hemácias por aférese.
Após parto normal ou abortamento.



9) Por três meses (independente se homem ou mulher):

Se foi submetido a Apendicectomia.
Se foi submetido a Hemorroidectomia.
Se foi submetido a Hernioplastia.
Se foi submetido a Ressecção de varizes.
Se foi submetido a Amigdalectomia.


10) Por seis meses a 01 ano:

Se foi submetido a uma cirurgia de grande porte como por exemplo: Colecistectomia, Histerectomia, Tireoidectomia, Colectomia, Esplenectomia pós trauma, Nefrectomia etc.
Após a cura de Toxoplasmose comprovada laboratorialmente.


11) Por 12 meses:

Se recebeu uma transfusão de sangue, plasma, plaquetas ou hemoderivados.
Se recebeu enxerto de pele ou de osso.
Se sofreu acidente se contaminando com sangue de outra pessoa.
Se teve acidente com agulha já utilizada por outra pessoa.
Se teve contato sexual com alguma pessoa com AIDS ou com teste positivo para HIV.
Se teve contato com prostituta ou com outra pessoa que recebeu ou pagou com dinheiro ou droga pelo ato sexual.
Se teve contato sexual com usuário de droga endovenosa.
Se teve contato sexual com pessoa que tenha recebido transfusão de sangue nos últimos 12 meses.
Se teve relação sexual com pessoa com hepatite.
Se mora na mesma casa de uma pessoa que tenha hepatite.
Se fez tatuagem.
Se fez piercing.
Se teve sífilis ou gonorréia.
Se foi detido por mais de 24 horas.


12) Por cinco anos:

Após a cura de Tuberculose pulmonar.


13) Você nunca poderá ser doador de sangue se:

Tem ou teve um teste positivo para HIV.
Teve hepatite após os 10 anos de idade.
Já teve malária.
Tem doença de Chagas.
Recebeu enxerto de duramater.
Teve algum tipo de câncer, incluindo leucemia.
Tem graves problemas no pulmão, coração, rins ou fígado.
Tem problema de coagulação de sangue.
É diabético com complicações vasculares.
Teve tuberculose extra-pulmonar.
Já teve elefantíase.
Já teve hanseníase.
Já teve Calazar (Leishmaniose visceral).
Já teve brucelose.
Tem alguma doença que gere inimputabilidade jurídica.
Foi submetido a Gastrectomia total.
Foi submetido a Pneumectomia.
Foi submetido a Esplenectomia não decorrente de trauma.
Se foi submetido a transplante de órgãos ou de medula óssea.

fonte:http://www.prosangue.sp.gov.br/prosangue/actiondoacao.do?acao=quempode

Como faço para ser um Doador de Sangue?


Requisitos básicos para doação de sangue

Estar em boas condições de saúde.
Ter entre 18 e 65 anos.
Pesar no mínimo 50kg.
Estar descansado e alimentado (evitar alimentação gordurosa nas 4 horas que antecedem a doação).
Apresentar documento original com foto emitido por órgão oficial (Carteira de Identidade, Carteira de Trabalho e Previdência Social ou Passaporte).

Impedimentos temporários

Gripe: aguardar 7 dias.
Gravidez: 90 dias após parto normal e 180 dias após cesariana.
Amamentação (se o parto ocorreu há menos de 12 meses).
Ingestão de bebida alcoólica nas 4 horas que antecedem a doação.
Tatuagem nos últimos 12 meses.
Situações nas quais há maior risco de adquirir doenças sexualmente transmissíveis, como não usar preservativo com parceiros ocasionais ou desconhecidos: aguardar 12 meses.


Acre, Amapá, Amazonas, Rondônia, Roraima, Maranhão, Mato Grosso, Pará e Tocantins são estados onde há alta prevalência de malária. Quem esteve nesses estados deve aguardar 6 meses. Quem morou, aguardar 3 anos.

Impedimentos definitivos

Hepatite após os 10 anos de idade.
Evidência clínica ou laboratorial das seguintes doenças infecciosas transmissíveis pelo sangue: Hepatites B e C, AIDS (vírus HIV), doenças associadas aos vírus HTLV I e II e Doença de Chagas.
Uso de drogas ilícitas injetáveis.
Malária.

Respeitar os intervalos para doação

Homens 60 dias: até 4 doações por ano.
Mulheres 90 dias: até 3 doações por ano.


Na triagem de doadores, a Fundação Pró-Sangue obedece a normas nacionais e internacionais de segurança do sangue, do Ministério da Saúde, da Associação Americana e do Conselho Europeu de Bancos de Sangue. O alto rigor no cumprimento dessas normas visa oferecer proteção ao receptor e ao doador.

Honestidade também salva vidas. Ao doar sangue, seja sincero na entrevista.

fonte: http://www.prosangue.sp.gov.br/prosangue/actiondoacao.do?acao=requisitos

Perguntas e Respostas sobre Transfusão Sanguínea


Qual é a segurança do sangue?

Pacientes submetidos a transplante de órgãos, em terapia para o câncer e portadores de muitas outras doenças dependem de transfusão de sangue para o seu tratamento. O sangue também é crítico para a sobrevida de recém-nascidos prematuros e de pessoas que sofreram grandes acidentes.

Para que possamos ter sangue disponível para todos aqueles que dele necessitam, os indivíduos saudáveis devem criar o hábito de doar sangue e encorajar amigos e familiares saudáveis a praticarem o mesmo ato.

Quando uma transfusão de sangue pode ser necessária?

Você pode precisar de transfusão de sangue em uma grande variedade de situações. Para repor uma perda aguda de sangue que pode ocorrer durante cirurgias, em acidentes, durante o tratamento de câncer ou para repor células que são anormalmente destruídas pelo organismo ou não fabricadas pela medula óssea.

A transfusão de sangue é segura?

A prática de selecionar criteriosamente os doadores, bem como as rígidas normas aplicadas para testar, transportar, estocar e transfundir o sangue doado, fizeram dele um produto muito mais seguro do que já foi anteriormente.

Apenas pessoas saudáveis e que não sejam de risco para adquirir doenças infecciosas transmissíveis pelo sangue, como Hepatites B e C, HIV, Sífilis e Chagas, podem doar sangue. Antes de toda doação, o candidato é submetido a um teste de anemia, à aferição de seus batimentos cardíacos, pressão arterial e temperatura e respondem a um questionário onde é lhe perguntado detalhadamente questões sobre a sua saúde e sobre seu comportamento. Somente após essas etapas é que o candidato estará aprovado para a doação de sangue. Todo o sangue doado será rigorosamente testado para as doenças passíveis de serem transmitidas pelo sangue.

Importante: Se você é usuário de droga intravenosa, tem múltiplos parceiros sexuais, acha que sua saúde ou comportamento podem colocar em risco a vida de quem for receber seu sangue, ou sua real intenção é de apenas realizar o teste para o vírus HIV, NÃO DOE SANGUE, procure os Centros de Testagem e Aconselhamento.

Apesar de o sangue doado ser testado para as doenças transmissíveis conhecidas no momento, existe um período chamado de janela imunológica em que um doador contaminado por um determinado vírus já pode transmitir a doença através do seu sangue; entretanto, os testes realizados na bolsa ainda são negativos. Essa janela imunológica pode acontecer para os vírus HIV, HTLV I/II e para os vírus da Hepatite C e B. Por essa razão, se você pertence a alguma das situações acima, deve ser honesto no questionário e não doar sangue, pois você pode estar no período de janela imunológica. DA SUA HONESTIDADE DEPENDE A VIDA DE QUEM VAI RECEBER SEU SANGUE.

fonte: http://www.prosangue.sp.gov.br/prosangue/actionsangueseguro.do?acao=sangue

Curiosidade - A descoberta do sistema de grupo sangüíneo ABO e fator RH


Em 1900, final do Século 19, o imunologista austríaco, Karl Landsteiner, observou que o soro do sangue de uma pessoa muitas vezes coagula ao ser misturado com o de outra, descobrindo o primeiro e mais importante sistema de grupo sangüíneo existente no organismo: o ABO.

O sangue possui antígenos e anticorpos

Existem em nosso sangue certos tipos de glóbulos brancos, chamados linfócitos, cuja função é produzir proteínas especiais denominadas anticorpos. Quando microorganismos ou substâncias estranhas, denominadas genericamente antígenos, penetram em nosso corpo, os linfócitos entram em ação e passam a produzir anticorpos contra os invasores. Em geral, a reação do anticorpo com o antígeno acaba causando a destruição ou a inativação dos antígenos. Essa reação de defesa é fundamental para proteger nosso organismo contra o constante assédio de microorganismos causadores de doenças.

Incompatibilidade sangüínea no sistema ABO

Landsteiner percebeu que as hemácias ou glóbulos vermelhos do sangue podem ter, ou não, aderidos em suas membranas, dois tipos de antígenos, A e B, nos quais podem existir quatro tipos de hemácias:

• A: apresentam apenas antígeno A;
• B: apresentam apenas antígeno B;
• AB: apresentam antígenos A e B;
• O: não apresentam nenhum dos dois antígenos.

No plasma podem existir, ou não, dois tipos de anticorpos: Anti-A e Anti-B.
Assim:

• o indivíduo de sangue tipo A não produz anticorpos Anti-A, mas é capaz de produzir anticorpos Anti-B, uma vez que o antígeno B lhe é estranho;
• o indivíduo de sangue tipo B não produz anticorpos Anti-B, mas é capaz de produzir anticorpos Anti-A, uma vez que o antígeno A lhe é estranho;
• o indivíduo AB não produz nenhum dos dois anticorpos pois os dois antígenos lhe são familiares;
• o indivíduo O é capaz de produzir anticorpos Anti-A e Anti-B, pois não apresenta em suas hemácias antígenos A e B.

A primeira transfusão precedida de exame de compatiblidade ABO foi realizada em 1907, por Reuben Ottenberg. No entanto, esse procedimento só passou a ser utilizado em larga escala a partir da Primeira Guerra Mundial (1914 - 1918).

O sistema de grupo sangüíneo Rh

Quase quatro décadas após a descoberta do sistema de grupo sangüíneo ABO, outro fato que revolucionou a prática da medicina transfusional foi a identificação, também em humanos, do fator Rh, observado no sangue de macacos Rhesus.

Na população branca, cerca de 85% das pessoas possuem o fator Rh nas hemácias, sendo por isso chamados de Rh+ (Rh positivos). Os 15% restantes que não o possuem são chamados de Rh- (Rh negativos).

Incompatibilidade sangüínea no sistema Rh

É importante conhecer o tipo sangüíneo em relação ao sistema Rh, pois também nesse caso podem ocorrer reações de incompatibilidade em transfusões de sangue.

Um indivíduo Rh negativo só deve receber transfusão de sangue Rh negativo. Caso receba sangue Rh positivo, haverá sua sensibilização e a formação de anticorpos Anti-Rh.

Eritroblastose fetal

Os anticorpos Anti-Rh são responsáveis por uma doença conhecida como eritroblastose fetal ou doença hemolítica do recém-nascido, que decorre da incompatibilidade sangüínea entre a mãe e o feto (ela Rh- e ele Rh+), resultando na destruição das hemácias do feto pelos anticorpos Anti-Rh produzidos pela mãe.

Em 1951, eram conhecidos nove sistemas de grupos sangüíneos: Atualmente, são 23.


fonte: http://www.prosangue.sp.gov.br/prosangue/actioncuriosidades.do?acao=curiosidadeG

Você sabe o que é sangue?


Você sabia que o sangue é um tecido vivo? Que é formado por quatro componentes básicos? Quando foram feitas as primeiras transfusões de sangue? E, afinal, para que ele serve?

Este espaço é destinado a estudantes e pesquisadores. Aqui, você poderá tirar essas e muitas outras dúvidas sobre o sangue, seus componentes e a história da doação de sangue.

O que é sangue?

O sangue carreia nutrientes, gases e produtos do metabolismo das células. Até os dias de hoje não existe nenhum substituto para o sangue. Doadores são a única fonte de sangue para os pacientes que dele necessitam.
O sangue possui uma parte líquida denominada plasma e uma parte celular composta de glóbulos vermelhos ou hemácias, glóbulos brancos ou leucócitos e plaquetas. As células do sangue são produzidas na medula dos ossos, especialmente nos ossos chatos como vértebras, costelas e esterno. Essas células são essenciais para a vida, pois são responsáveis pelo transporte do oxigênio aos tecidos, pelo controle das infecções do organismo e por ajudar no controle de sangramento.
Uma unidade de sangue doada pode ser separada em: glóbulos vermelhos ou hemácias, plaquetas, plasma, e crioprecipitado (componentes não celulares).

Plasma
O plasma é a parte líquida do sangue. Sua função é transportar água e nutrientes para todos os tecidos do organismo. O plasma também contém sais minerais, proteínas relacionadas com a coagulação do sangue (fatores da coagulação) e com a defesa contra infecções (imunoglobulinas), hormônios, enzimas e as células do sangue.

Glóbulos vermelhos ou hemácias
As hemácias são células anucleadas e possuem a forma de um disco bicôncavo. Contêm no seu interior uma proteína chamada hemoglobina a qual é responsável pelo transporte do oxigênio do pulmão a todas as partes do organismo e do gás carbônico dos tecidos para os pulmões. A anemia resulta da alteração estrutural ou diminuição do número de glóbulos vermelhos ou da redução da quantidade de hemoglobina presente no seu interior.

Glóbulos brancos ou leucócitos
São os leucócitos as células de defesa do nosso organismo contra infecções. Eles possuem a capacidade de migrar do sangue para os tecidos e combater microorganismos que invadem o corpo. A diminuição do número de leucócitos ou a alteração da sua função deixa o organismo suscetível a múltiplas infecções.

Plaquetas
As plaquetas são pequenos fragmentos celulares presentes no sangue que contribuem para a parada do sangramento após um ferimento. Pacientes com diminuição do número de plaquetas ou que possuem plaquetas com função prejudicada têm risco aumentado de hemorragia.
O sangue é produzido na medula óssea dos ossos chatos, vértebras, costelas, quadril, crânio e esterno. Nas crianças, também os ossos longos como o fêmur produzem sangue.

fonte: http://www.prosangue.sp.gov.br/prosangue/actioncuriosidades.do?acao=curiosidadeE

Curiosidade - História do Sangue


A crença de que o sangue que dá e sustenta a vida também é capaz de salvá-la vem de tempos remotos. Entretanto, foram necessários séculos e séculos de estudos e pesquisas para a ciência descobrir sua real importância e dar a ele uso adequado. Até chegar esse dia, prevaleceram as práticas fundamentadas na intuição e no senso comum.

Conta-se que, na Grécia antiga, os nobres bebiam o sangue de gladiadores mortos na arena, a fim de obterem a cura de diversos males, entre eles a epilepsia.

Defendendo a sangria na cura de qualquer doença, o médico grego Galeno, reportando-se à teoria de Hipócrates, também concluiu pela existência de quatro humores no corpo humano: o sangue, a bile amarela, a bile negra e a fleuma.

Em 1492, no Século 15, para se curar de grave enfermidade, o papa Inocêncio VIII foi convencido a ingerir o sangue de três jovens que acabaram morrendo anêmicos, sem que se conseguisse restabelecer a saúde do pontífice.

As transfusões de sangue tiveram início no Século 17

Realizadas experimentalmente em animais, a primeira transfusão de sangue é atribuída a Richard Lower em demonstração realizada em Oxford, em 1665.

A primeira experiência em ser humano aconteceu dois anos mais tarde, em 1667, em Paris. Seu autor foi Jean Baptiste Denis, professor de filosofia e matemática em Montpellier e médico do rei Luis XIV. Tomando um tubo de prata, Denis infundiu um copo de sangue de carneiro em Antoine Mauroy, de 34 anos, doente mental que perambulava nu pelas ruas da cidade.
Conta-se que após resistir a duas transfusões, Mauroy teria falecido provavelmente em conseqüência da terceira.

Um fato curioso: as transfusões de sangue nessa época eram heterólogas, isto é, com sangue de animais de espécies diferentes. Denis defendia a prática argumentando que, ao contrário do humano, o sangue de animais estaria menos contaminado de vícios e paixões.
Considerada criminosa, a transfusão heteróloga foi proibida na Faculdade de Medicina de Paris e, posteriormente, na de Roma (Itália) e na Royal Society, da Inglaterra.

As transfusões com sangue humano datam do século 19

Embora proibidas, as experiências não foram de todo abandonadas. Em 1788 (Século 18), após tentativas fracassadas com transfusões heterólogas, Pontick e Landois obtiveram resultados positivos realizando transfusões homólogas (entre animais da mesma espécie), concluindo que elas poderiam ser benéficas e inclusive salvar vidas.

A primeira transfusão com sangue humano é atribuída a James Blundell, em 1818 que, após realizar com sucesso experimentos em animais, transfundiu sangue humano em mulheres com hemorragia pós-parto.

O leite e a transfusão braço-a-braço

Apesar do avanço que representava a transfusão homóloga, no final do Século 19, problemas relacionados à coagulação do sangue e a outras reações adversas continuavam a desafiar os cientistas. Para enfrentar a questão, chegou-se a utilizar leite e até sangue de cadáver em transfusões; porém, as experiências foram logo abandonadas. Paralelamente, desenvolveram-se equipamentos para a realização de transfusão indireta, além de técnicas cirúrgicas que permitissem a transfusão direta, utilizando-se a artéria do doador e a veia do receptor, procedimento que ficou conhecido como transfusão “braço-a-braço”.

fonte: http://www.prosangue.sp.gov.br/prosangue/actioncuriosidades.do?acao=curiosidadeB

Trinta curiosidades sobre sangue e transfusão sanguinea


1 -A cada dois segundos, algum paciente necessita de transfusão de sangue no Brasil
2 - Cerca de 1 em cada 5 pessoas que são internadas no Hospital, necessitarão de transfusão de sangue durante o período em que permanecerem internadas
3 -Três é o número de vidas que são salvas com cada doação de sangue
4 - O sangue representa cerca de 7% do peso corporal de um indivíduo adulto
5 - Qualquer pessoa com boa saúde, entre 18 e 65 anos de idade e com mais de 55 kg de peso, pode ser um doador de sangue
6 - O volume total de sangue a ser doado não pode exceder 8 ml / kg de peso para as mulheres e 9 ml / kg de peso para os homens. O volume máximo admitido para uma doação é de 450 ml ± 50 ml, aos quais podem ser acrescidos de até 30 ml para realização dos exames laboratoriais exigidos pelas leis e normas técnicas
7 - A doação de sangue não engrossa nem afina o sangue
8 - Doando sangue você não ganha nem perde peso
9 - Mulheres podem doar sangue mesmo no período menstrual
10 - A doação de sangue não oferece ao doador nenhum risco de contrair doenças infecciosas. Portanto, você não corre risco de contrair AIDS ou Hepatite com a doação de sangue
11- Cinco são as etapas para uma doação de sangue: cadastro (ou registro) do doador, triagem clínica (inclui teste de anemia, verificação da pressão arterial, batimentos cardíacos, peso, temperatura e questionário sobre sua saúde), voto de auto exclusão, doação propriamente dita e lanche pós doação
12 - Todo o processo de doação de sangue dura cerca de uma hora.
13 - O sangue doado é testado para seis doenças infecciosas transmissíveis pelo sangue: Hepatite B, Hepatite C, HIV, HTLV, Sífilis e Doença de Chagas
14 - Plasma é a parte líquida do sangue e corresponde a cerca de 55% do seu volume. 15 - Os outros 45% do volume do sangue é representado pelas células: glóbulos vermelhos, plaquetas e glóbulos brancos
16 - Glóbulos vermelhos ou hemácias são células que têm a função de transportar oxigênio dos pulmões para os tecidos e gás carbônico dos tecidos para os pulmões. 17 17 - São estas células que dão a cor vermelha ao sangue
18 - As plaquetas são pequenos fragmentos celulares cuja função é ajudar na interrupção de sangramentos
19 - Os glóbulos brancos ou leucócitos são células responsáveis pela defesa do organismo contra infecções
20 - Todas as células do sangue são produzidas na medula dos ossos, principalmente nos ossos chatos
21 - Uma unidade de sangue total doado pode ser fracionado em: concentrado de hemácias, plasma e concentrado de plaquetas
22 - A duração de um concentrado de hemácias varia de 35 a 42 dias
23 - A duração de um concentrado de plaquetas é de apenas 5 dias
24 - A duração de uma unidade de plasma varia de 1 a 5 anos
25 - Aférese é um tipo especial de doação que permite a coleta de apenas um componente do sangue
26 - Pela técnica de aférese é possível doar separadamente plasma, plaquetas, leucócitos ou hemácias
27 - Mulheres representam menos de 40% dos doadores de sangue no Brasil
28 - De cada 10 candidatos à doação de sangue que comparecem na Fundação Pró-Sangue, 08 estão aptos para doar e dois estão temporária ou definitivamente inaptos para doar
29 - Anemia é a principal causa de inaptidão à doação de sangue na Pró-Sangue
30 -Para um homem, após uma doação de 450 ml de sangue: o plasma é reposto em 24 horas, os glóbulos vermelhos em aproximadamente 4 semanas e o estoque de ferro em aproximadamente 8 semanas
Para uma mulher, após uma doação de 450 ml de sangue: o plasma é reposto em 24 horas, os glóbulos vermelhos em aproximadamente 4 semanas e o estoque de ferro em aproximadamente 12 semanas
Ainda não há nenhum substituto para o sangue humano

fonte: http://www.prosangue.sp.gov.br/prosangue/actioncuriosidades.do?acao=curiosidadeI

Dicas de Segurança – Como proceder em caso de enchentes


Em virtude das chuvas que permanecem ocorrendo, o Corpo de Bombeiros Militar orienta a população a respeito de como proceder antes, durante e depois de enchentes.

Prevenção:

Se você vai construir sua residência, escolha um lugar que ofereça segurança para você e sua família;
Reúna-se com seus familiares e vizinhos para se prevenir e preparar para situações de emergência;
Não desvie canos ou deságües;
Peça ajuda para ao departamento ambiental da sua cidade para sobre poda ou corte de árvores próximas à sua residência que ofereçam risco de queda;
Não plantar nos morros bananeira e outras plantas de raízes curtas. As raízes dessas árvores não fixam o solo e aumentam os riscos de deslizamentos;
Conserte falhas no telhado. Confira o isolamento da fiação elétrica, as calhas de escoamento a fixação das telhas;
Verifique se há sinais de infiltrações na casa, rachaduras nas paredes e no chão;
Armazene água potável em tonéis devidamente vedados;
Caso você esteja em uma área de baixada, sujeita a alagamento, ao primeiro sinal de aumento do nível de água, abrigue-se em locais altos e secos;
Acompanhar os alertas da Defesa Civil;
Seguir orientações da Defesa Civil se necessitar abandonar a residência;
Guarde os documentos, de preferência, em uma mochila impermeável para facilitar na hora de abandonar a residência;
Mantenha os medicamentos em lugar seguro.

Como Proceder em caso de Enchentes:

Se possível, ponha a salvo seus bens, mas lembre-se que algumas inundações se apresentam repentinamente. Nesses casos, o mais importante é proteger a sua vida e de seus familiares. Encaminhe-se imediatamente para um lugar seguro (partes mais altas da cidade);
Evite contato com água da enchente, pois, certamente, estará contaminada. Durante as enchentes é comum ocorrer contaminações como leptospirose e doenças de pele. Ao primeiro sintoma de febre, vômito, diarréia, dores abdominais ou nas pernas, dor de cabeça ou ainda se ocorrer ferimentos procure a unidade de saúde mais próxima, informando que teve contato com água de enchente, beba somente água filtrada ou fervida.

Em casa:

Ao primeiro sinal de chuva forte, deixe móveis e eletrodomésticos fora do alcance da água. Desligue equipamentos elétricos e eletrônicos, feche o registro do gás e da água;- Guarde os produtos de limpeza e alimentos fora do alcance das águas e não os utilize caso tenham sido atingido;
Mantenha um membro da família atento e vigilante ao nível de subida das águas, mesmo à noite;
Tenha sempre lanternas e pilhas em condições de uso. Não use velas, lamparinas a álcool ou similares;
Acompanhe o noticiário local pelo rádio e fique atento às mensagens de esclarecimento ou alarmes;
Feche portas e janelas da casa ainda que seja necessário o abandono para evitar a entrada de escombros e de animais peçonhentos;
Se houver muita infiltração na casa e acontecer rachaduras nas paredes ou escutar algum barulho estranho, abandone sua residência;
Transmita alarme aos vizinhos em caso de súbita elevação das águas;
Não use telefone (o sem fio pode ser usado);
Não fique próximo a tomadas, canos, janelas e portas metálicas;
Não toque em equipamentos elétricos que estejam ligados à rede elétrica;
E o mais importante: mantenha a CALMA para que possa tomar as providências necessárias. O pânico só piora a sua situação e de quem está a sua volta.

Na rua:

Evite, ao máximo, estar em áreas alagadas. Terrenos acidentados, buracos e bueiros abertos, assim como fiação elétrica exposta podem causar acidentes graves. Se não houver alternativa, sigas as orientações;
Ao encontrar-se em ruas alagadas, procure se proteger o máximo possível para evitar o contato com a água. Use calçados ou improvise, com sacos plásticos, proteção para as pernas;
Ande junto a muros e paredes, preferencialmente seguro por cordas ou sendo auxiliado por outras pessoas. A força das águas em locais inclinados é incontrolável;
As águas de enchentes são pesadas e violentas e oferecem grande risco de contaminação. Mesmo que você saiba nadar bem, não se arrisque em travessias ou brincadeiras;
Evite cruzar pontes onde o nível do rio subiu;
Não se abrigue embaixo de árvores e se mantenha distante de postes;
Não se aproxime de cercas de arame, varais metálicos, linhas aéreas e trilhos;
Não se abrigue debaixo de árvores isoladas;
Não tome água ou coma alimentos que estavam em contato com as águas da inundação;

Dentro de carros:

Ao primeiro sinal de chuva forte, evite sair de casa. Não corra riscos desnecessários. No entanto, se já estiver no trânsito, fique atento;
Aos primeiros sinais de alagamento procure áreas elevadas para estacionar e aguarde o nível da água baixar;
Ande devagar, aumente a distância do veículo da frente e não feche os cruzamentos;
Sintonize seu rádio no noticiário local e procure informações sobre as áreas alagadas;
Não pare o carro próximo a árvores ou postes;
Evite áreas alagadas. As poças podem esconder crateras. Se for inevitável, ao atravessá-las, mantenha aceleração contínua em primeira. Em hipótese alguma a água pode entrar pelo cano de descarga;
Aguarde que o carro que esteja a sua frente transponha a área alagada para, em seguida, proceder a sua travessia;
Não fique próximo a caminhões ou ônibus. Veículos de grande porte provocam marolas que podem alagar o seu carro e fazer com que perca o controle da direção;
Se o nível da água atingir o batente inferior da porta é hora de abandonar o veículo. Com água acima das rodas, o carro começa a boiar e fica sem controle. Se alcançar as janelas, ocorre o bloqueio das portas, impedindo a saída e, pior, dificultando o resgate;

Procedimentos Após as Enchentes:

Ao término da enchente, busque orientação da Defesa Civil sobre o retorno para sua residência. É necessário limpar os locais atingidos água e lama;
Só retorne a casa durante o dia;
Use botas e luvas para evitar o contato com a água e a lama;
Para descontaminar os locais e caixa de água, utilize uma colher de sopa de água sanitária para cada litro de água;
Jamais reaproveite a água da enchente;
Enquanto não for liberado o consumo da água da rede pública, beba somente água engarrafada, fervida ou clorada. Um minuto em fervura mata a maioria dos microorganismos;
Para evitar incêndios, choques elétricos ou explosões, desligue a energia elétrica e desconecte as tubulações de gás;
Se a sua residência foi destruída durante a enchente, não retorne a construir no mesmo lugar, porque cedo ou tarde ocorrerá uma nova enchente.

EM CASO DE EMERGÊNCIA LIGUE

193 - Corpo de Bombeiros
192 - SAMU 192
199 - Defesa Civil
190- Polícia Militar

fonte: http://www.revistaemergencia.com.br/site/content/noticias/noticia_detalhe.php?id=JajjAcjb&utm_campaign=Emerg%EAncia+News+Ed.+01%2F11&utm_medium=email&utm_source=clients

Curso gratuito de atendimento pré–hospitalar em Itatiba/SP




Itatiba/SP - A Salvatagem - Salvamento e Resgate promove o Curso Suporte Básico de Vida no Resgate nos dias 15 e 16 de Janeiro. O curso é gratuito e oferece dormitório para os 20 primeiros inscritos.
O evento abordará temas como: Noções de Resgate, Abordagem do Paciente, Intervenção Específica, Trauma e Clínico. Os materiais didáticos são: apostila, TV, Vídeo e Computador, sendo a maioria das atividades práticas.
O Curso Suporte Básico de Vida no Resgate é voltado para Profissionais da saúde, CIPA, SAMU, Bombeiros, Empresas, Entidades e outros interessados.

Data do curso: 15 e 16 de janeiro
Local: Itatiba/SP
Horário: 08:00 às 18:00 hrs
Carga horária: 20 hrs de curso

Para maiores informações acesse: www.salvatagemresgate.site.com.br ou entre em contato pelo e-mail salvatagemresgate@gmail.com ou pelos telefones: (11) 44872444 / 82406800

fonte: http://www.revistaemergencia.com.br/site/content/noticias/noticia_detalhe.php?id=JajjAnjg&utm_campaign=Emerg%EAncia+News+Ed.+01%2F11&utm_medium=email&utm_source=clients

sexta-feira, 14 de janeiro de 2011

Download - Enfermagem - Adm e Gerenciamento Hospitalar - Modulo I.pdf







Para realizar o download acesse o link abaixo: se entrar em outra página é só ir até o final da página e realizar o download sem problemas.

http://www.4shared.com/get/nSlvVMER/Enfermagem_-_Adm_e_Gerenciamhttp://www.blogger.com/img/blank.gifen.html

Download - Manual Procedimentos enfermagem.pdf


Manual Procedimentos enfermagem para download, o manual aborda os temas:

MOBILIZAÇÕES
AVALIAÇÃO DA TEMPERATURA
AVALIAÇÃO DO PULSO
AVALIAÇÃO DA TENSÃO ARTERIAL
AVALIAÇÃO DA RESPIRAÇÃO
AVALIAÇÃO DA DOR
ASPIRAÇÃO DE SECREÇÕES
OXIGENOTERAPIA
NEBULIZAÇÃO
ENTUBAÇÃO NASOGÁSTRICA
ALIMENTAÇÃO ENTÉRICA
ALGALIAÇÃO (INSERÇÃO DE CATÉTER VESICAL)
COLOCAÇÃO DA APARADEIRA OU URINOL
COLOCAÇÃO DE SONDA DE GASES
ENEMA DE LIMPEZA (CLISTER OU ENTEROCLISTER)
BALANÇO HÍDRICO
CATETERISMO VENOSO PERIFÉRICO
ADMINISTRAÇÃO DE TERAPÊUTICA
ADMINISTRAÇÃO DE TERAPÊUTICA, VIA ENTÉRICA, VIA ORAL
ADMINISTRAÇÃO DE TERAPÊUTICA, VIA ENTÉRICA, VIA RETAL
ADMINISTRAÇÃO DE TERAPÊUTICA, VIAS PARENTÉRICAS
ADMINISTRAÇÃO DE TERAPÊUTICA, VIA PARENTÉRICA, VIA INTRADÉRMICA
ADMINISTRAÇÃO DE TERAPÊUTICA, VIA PARENTÉRICA, VIA SUBCUTÂNEA ADMINISTRAÇÃO DE TERAPÊUTICA, VIA PARENTÉRICA, VIA INTRAMUSCULAR
ADMINISTRAÇÃO DE TERAPÊUTICA, VIA PARENTÉRICA, VIA ENDOVENOSA
ADMINISTRAÇÃO DE SOLUÇÕES DE GRANDE VOLUME
COLHEITA DE URINA
NORMA DE EXECUÇÃO DE PENSOS
LIGADURAS
CÁLCULO DE MEDICAÇÃO
NORMA DE ADMISSÃO DE UM DOENTE
NORMA DE AVALIAÇÃO INICIAL DE ENFERMAGEM
NORMA DE BANHO NO LEITO
NORMA DE HIGIENE ORAL NO DOENTE INCONSCIENTE
NORMA DE REALIZAÇÃO DE CAMA OCUPADA
NORMA DE POSICIONAMENTOS
NORMA DO PRIMEIRO LEVANTE
NORMA DE COLHEITA DE FEZES
NORMA DE COLHEITA DE AMOSTRAS PORZARAGATOA
NORMA DE LAVAGEM DAS MÃOS
NORMA DE CALÇAR LUVAS ESTERILIZADAS
NORMA DE UTILIZAÇÃO DE BATA ESTERILIZADA

Para realizar o download acesse o link abaixo:

http://www.4shared.com/get/Y0UTESCh/Manual_Procedimentos_enfermage.html

O que é Labirintite?


O que é Labirintite?

A labirintite, também conhecida como neurite vestibular, neurolabirintite ou vestibulopatia periférica aguda, é uma inflamação do ouvido interno, sendo uma doença benigna e auto-limitada que causa intensas vertigens.
O termo labirintite tem sido usada erroneamente para designar qualquer doença do labirinto. Na verdade, labirintite é a inflamação do labirinto e/ou da porção vestibular do nervo auditivo, responsável pela inervação do labirinto. Esta inflamação é na maioria das vezes causada por uma infecção viral. Em pelo menos 50% dos casos de labirintite, o paciente refere ter tido uma virose respiratória recente, como gripe, sinusite ou faringite

Como surge a Labirintite?

Para entender o que é a labirintite é preciso primeiro saber o que é o labirinto e como funciona o ouvido interno, como mostra a figura acima.

O que é Labirinto?

O labirinto é um órgão que faz parte do aparelho vestibular, responsável pela manutenção do equilíbrio. O labirinto é um conjunto de arcos semicirculares que possuem líquidos em seu interior. A movimentação destes líquidos é interpretado pelo cérebro ajudando a identificar movimentos e a nos manter em equilíbrio.
As informações passadas pelo labirinto através da movimentação destes líquidos ajudam o cérebro a interpretar movimentos angulares, acelerações lineares e forças gravitacionais. Quem "sente" e leva esses movimentos dos líquidos para serem interpretados pelo cérebro é o nervo vestibulococlear, também chamado de nervo auditivo. O nervo auditivo possui dois ramos, cada um responsável por uma das funções básicas do ouvido: o ramo coclear informa o cérebro sobre sons captados pelo ouvido enquanto que o ramo vestibular informa sobre movimentos do nosso corpo captados pelo aparelho vestibular.

Curiosidades:

você sabe por que ficamos tontos depois de rodarmos várias vezes? Porque quando paramos de rodar, apesar de já estarmos parados, os líquidos dentro do nosso ouvido interno ainda ficam em movimento rotacional por alguns segundos, fazendo com que o cérebro interprete que ainda estamos rodando. Se fecharmos os olhos, a tontura aumenta ainda mais, pois de olhos abertos a visão avisa o cérebro que estamos parados, atenuando assim a mensagem errada que o nervo auditivo está enviando.

Quais são os Sintomas da Labirintite?

A labirintite se caracteriza por um quadro súbito de intensa vertigem*, comumente associado a náuseas, vômitos e desequilíbrio ao andar. O quadro de vertigens costuma ser tão forte que o paciente procura ficar acamado.
Chamamos de vertigem a tontura que tem característica rotatória, ou seja, aquela em que temos a impressão de que nós ou o ambiente ao redor está girando.
Um sinal importante de vertigem é a presença do nistagmo: involuntários, rápidos e curtos movimento dos olhos, geralmente em direção lateral. Ela ocorre na labirintite e em todas as outras doenças que cursam com vertigens.

Quanto tempo dura a Labirintite?

A labirintite é uma doença auto-limitada que melhora espontaneamente, mas em alguns casos os sintomas podem durar algumas semanas. Via de regra, os 2 ou 3 primeiros dias são os piores, com o quadro apresentando melhora progressiva ao longo dos próximos dias. Uma tontura residual, principalmente após movimentos bruscos da cabeça, pode persistir por vários meses.

Tratamento

Como sempre recomendo em meu blog, mais uma vez reforçando nunca digo NUNCA se auto medique, sempre que precisar vá ao seu médico de confiança, somente ele poderá avaliar os sinais e sintomas, e após avaliação do seu estado de saúde, o profissional médico irá receitar o medicamento e tratamento mais adequado a você, lembre-se o que é bom para o vizinho nem sempre pode ser bom para mim.

Autor: Dr. Pedro Pinheiro
fonte: http://www.mdsaude.com/2010/12/labirintite-sintomas.html/

quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

Guia de bolso - Doenças Infecciosas e Parasitárias 8a edição/2010


A versão mais atual do Guia de bolso - Doenças Infecciosas e Parasitárias, em sua 8ª edição estão acrescentadas algumas doenças e controle das mesmas, para acessar o e-book e se optar pode salvar em seu computador acesse:

https://www.cremerj.org.br/publicacoes/145.PDF

I CONGRESSO BRASILEIRO DE FISIOTERAPIA EM EMERGÊNCIA


A Fisioterapia na área de Emergência e Urgência é uma das especialidades cuja atuação e o reconhecimento se tem ampliado rapidamente nos últimos anos. Isto se dá pela demanda crescente em todos os segmentos do atendimento pré e intra hospitalar, bem como o atuação da profissão baseada em evidências clínicas e científicas.

Programação Técnico-Científica
Fisioterapia

Atuação Fisioterapeutica na Ventilação Mecânica no TCE
Atualização das novas Diretrizes de PCR para fisioterapeutas.
Manejo do DEA para Fisioterapeutas.
Atendimento Fisioterapêutico nas Emergências Clínicas Pediátricas.
Fisioterapia na fase aguda de pacientes com queimaduras graves.
A Fisioterapia nas Emergências Desportivas em provas pedestres.
A importância da avaliação fisioterapeutica da Imagem Radiologica do paciente Politraumatizado.
Prevenção Primária de Acidentes no Atendimento Domiciliar.
Codigo de Etica – Legislação da Fisioterapia nas situações de Emergências e Urgências.
Atuação Fisioterapeutica no Pronto Socorro em protocolos Ortopédicos e Traumatológicos – Baseado em Evidências.
Fisioterapia na UTI Neonatal – Situações Críticas.
Avaliação e conduta fisioterapeutica nos eventos adversos potencialmente graves durante a reabilitação aquática.
Fisioterapia na Ambulância – Realidade ou Imaginação.
Simulados de Atendimento em Emergência I.
Simulados de Atendimento em Emergência II.

MAIS INFORMAÇÕES ACESSE: http://cobeem.dominiotemporario.com/dev/cobeem2011/congre_fisio.html

Cobeem – III Congresso Brasileiro de Enfermagem em Emergência e I Congresso Internacional de Enfermagem em Emergência


Cobeem – III Congresso Brasileiro de Enfermagem em Emergência e I Congresso Internacional de Enfermagem em Emergência
Tema: Emergências clínicas e traumáticas: um olhar para o futuro
Data: 06 a 09 de abril de 2011
Local: Centro Fecomércio de Eventos São Paulo
Informações e inscrições: (11) 2157 6652 // www.cobeem.com.br // cobeem@dominioeventos.com.br

quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

Novas Diretrizes do AHA (American Heart Association) na PCR (Parada Cardio Pulmonar)


Folder informando as novas recomendações.

Fonte: Revista Emergência dez/2010 / jan/2011 ed nº 24 pag47

Aprovada a Regulamentação do SMS para Emergências


Aprovada a regulamentação do envio gratuito de mensagens de texto (SMS) para serviços públicos de emergência. Portadores de necessidades especiais devem ser os principais beneficiados por essa iniciativa.

Fonte: Revista Emergência dez/2010 / jan/2011 nº24pag 12

CURSOS E EVENTOS CIENTÍFICOS PARA 2011 - para enfermagem


Cobeem – III Congresso Brasileiro de Enfermagem em Emergência e I Congresso Internacional de Enfermagem em Emergência
Tema: Emergências clínicas e traumáticas: um olhar para o futuro
Data: 06 a 09 de abril de 2011
Local: Centro Fecomércio de Eventos São Paulo
Informações e inscrições: (11) 2157 6652 // www.cobeem.com.br // cobeem@dominioeventos.com.br

Hospital Sírio-Libanês – VI Jornada de Enfermagem em Hemoterapia
Data: 07 de abril de 2011
Horário: a partir das 8h.
Público: enfermeiros, estudantes, biólogos, biomédicos e profissionais da saúde que se interessam pelo assunto.
Informações e inscrições: www.hospitalsiriolibanes.org.br/iep

Sobragen – VIII Encontro Nacional de Gerenciamento em Enfermagem
Data: 27 a 29 de junho de 2011
Local: Salvador – Bahia
Informações: (11) 5081 7718 // www.sobragen.org.br

ALADEFE – XI Conferência Iberoamericana de Educação em Enfermagem e III Encontro Latinoamérica-Europa.

Data: 18 a 24 de setembro de 2011
Local: Coimbra - Portugal
Informações e inscrições: (+351) 239 802 850 // (+351) 239 487 200 // http://www.aladefe2011.com // info@aladefe2011.com

COREN-SP oferece curso de informática gratuito


Com o objetivo de contribuir para o aprimoramento do profissional, o COREN-SP disponibiliza para enfermeiros, técnicos e auxiliares de enfermagem o Curso Informática Básica I, que aborda principalmente internet e correio eletrônico, e o Curso Informática Básica II, com conteúdo voltado para Winhttp://www.blogger.com/img/blank.gifdows, Word e Excel.

Os cursos são gratuitos e acontecem ao longo de todo o ano no Cyber Coren, na sede do Conselho. Maiores informações e inscrições pelo telefone (11) 3225 6645 ou pelo e-mail cybercoren@coren-sp.gov.br. O calendário dos cursos está disponível no http://inter.coren-sp.gov.br/node/4004. As vagas são limitadas.

Doenças de Verão - Intoxicação alimentar



Como Pega?

Quando as pessoas estão na praia ou no clube e ficam com fome, muitas não pensam duas vezes antes de comprar um sanduíche natural , ou aqueles camarões em espetinho que são vendidos pelos ambulantes. O que elas não sabem é que isso é muito perigoso, principalmente no verão quando a temperatura está alta e é mais fácil as comidas estragarem.
Por isso é importante sempre se alimentar em um lugar que você tenha certeza que a comida foi preparada com higiene e que foi bem armazenada, pois um alimento contaminado pela Salmonela, por exemplo, que é um microorganismo que atinge as carnes, pode causar até mesmo desidratação grave.

Quais são os Sintomas?

Geralmente são diarréia, vômitos, dor abdominal.Em geral os sintomas da intoxicação alimentar duram poucos dias.

Como Tratar?

Nos casos menos graves, um dia de repouso e a ingestão de uma grande quantidade de água, de sucos, soro caseiro, são suficientes para compensar a perda de líquidos provocada pela diarréia ou pelos vômitos.
Já nos casos mais graves imediatamente a pessoa deve procurar um posto de atendimento médico.

Doenças de Verão - Desidratação


O risco de ter uma desidratação é maior no verão, pois nessa estação do ano transpiramos mais e existem mais chances de se comer uma comida estragada por má
conservação.

O que é

A desidratação se caracteriza pela perda de líquidos e sais minerais do corpo. Quando o organismo está funcionando normalmente perde-se em média 2,5 litros de água por dia, seja pela urina e fezes, seja pelo suor ou pela respiração. Essa perda pode se tornar excessiva por vários motivos. O simples aumento da transpiração ou uma intoxicação alimentar podem ser fatores determinantes na hora de se ficar doente.

O que Aconteçe?

Uma pessoa desidratada fica com sede, com a boca e mucosas secas, olhos ressecados e fica muito tempo sem urinar. Existem algumas coisas que você pode fazer para prevenir a desidratação, como usar roupas leves, ingerir constante mente líquidos, não comer alimentos que tenham ficado muito tempo fora da geladeira, por exemplo, e sempre preferir ficar em lugares arejados e frescos.

Como Tratar?

A pessoa com desidratação leve pode estar ingerindo soro caseiro:
Misture em um litro de água mineral, filtrada ou fervida (mas já fria) com uma colher (do tipo de cafezinho) de sal e uma colher (do tipo de sopa) de açúcar.
Pessoa com desidratação severa, com muitos episódios de diarréia e/ou vômito deve ser levada ao hospital para receber soro de hidratação por via venosa.

E VALE A PENA LEMBRAR!!

Se o vômito ou a diarréia continuarem, procure imediatamente o posto médico mais próximo de sua casa. Lembre-se: desidratação mata!

Doenças de Verão - Doenças de pele


Como o verão é a estação mais quente do ano, são comuns as idas a praia ou ao clube, o que faz com que as pessoas fiquem com a pele úmida por mais tempo, seja porque mergulharam em algum lugar, seja porque apenas estão transpirando mais que o normal. Esse excesso de umidade favorece o aparecimento das doenças de pele, que são causadas geralmente por fungos ou bactérias, a seguir está uma lista das mais comuns nessa estação:

Câncer de pele

Causas

Uma das principais causas do câncer de pele é a exposição excessiva ao Sol, as pessoas mais afetadas por essa doença são aquelas com a pele muito clara e sensível.

Como se Prevenir?

Para se prevenir basta não tomar sol nos horários em que ele está mais forte, das 10 horas da manhã até as 4 da tarde. Além disso, é importante passar sempre filtro solar.

Quais os Sinais e Sintomas?

Os sinais mais comuns de que alguma coisa está errada são: mudanças na pele, como uma ferida que não sara ou uma pequena lesão endurecida, brilhante ou avermelhada e pintas, sinais e verrugas que crescem ou mudam de cor.

Brotoejas

O que é?

As chamadas miliárias, bolinhas de água vermelhas acompanhadas de coceira, são erupções que aparecem em crianças nas regiões das dobras de pele, como o pescoço. Elas estão relacionadas à secreção das glândulas sudoríparas e aparecem por causa do excesso de calor e transpiração.

Como se Previne?

Para se prevenir, evite sol e ambientes muito quentes e não dê banhos com água muito quente nas crianças.

Acne

Durante o verão a oleosidade da pele aumenta o que favorece o surgimento de acne. Além disso, a exposição ao sol, em um primeiro momento, pode até melhorar o problema, porém, após alguns dias, há um aumento da produção sebácea o que piora a acne.

Dica

Para quem sofre com acne, o melhor mesmo é evitar se expor demais ao sol.

Candidíase

Como Pega?

A candidíase aparece mais no verão, pois as pessoas permanecem mais tempo com as roupas de praia/piscina no corpo e molhados.

O que Aconteçe?

Isso facilita a proliferação de fungos, como o causador dessa doença, que se caracteriza pela formação de pequenos pontos vermelhos e coceira nos genitais e em mucosas, como o canto da boca.

Pé-de-atleta ou frieira

O que é?

Essa micose aparece entre os dedos e causa vermelhidão na pele dos pés. Ela é altamente contagiosa, mas geralmente as pessoas costumam contrair tal fungo por meio do próprio ambiente. Por isso é importante não andar descalço em vestiário de piscina, tocar em animais desconhecidos e usar calçados de outras pessoas. Além disso, tente sempre deixar o ambiente arejado, ande descalço dentro de casa e use sandálias abertas sempre que possível, use roupas de algodão que facilitam a transpiração e enxugue bem todas as "dobras" do corpo.

Quais são os Sinais e Sintomas?

Geralmente os sintomas são o embranquecimento da pele entre os dedos do pé e a descamação dela, que eventualmente se rompe em pequenas fissuras. Quando a micose não se encontra entre os dedos e sim na sola do pé, ela se caracteriza por uma leve irritação e então envolve toda a sola do pé.

Doenças de Verão - Conjuntivite bacteriana




O que é?

A conjuntivite bacteriana é a inflamação daquela pele transparente que recobre os olhos, chamada de conjuntiva.

Como Pega?

Ela é mais comum no verão, pois é muito fácil contraí-la ao freqüentar praias impróprias para banho e piscinas que não estejam devidamente tratadas.

Como se Previne?

Para evitar a contaminação é importante, além de não tomar banho em lugares indevidos, evitar usar toalhas de outras pessoas e entrar em contato com quem estiver com a doença, pois ela é de fácil transmissão.

Quais São os Sinais e Sintomas?

Quando se contrai conjuntivite, os olhos ficam vermelhos e lacrimejantes, e há uma produção de secreção amarelada. Além disso, também são comuns fotofobia e uma sensação de que há areia dentro dos olhos.

Como tratar?

São utilizados colírios antibióticos, sempre receitados por médico oftalmologista.

Doenças de Verão - Otite externa


A otite externa é uma infecção do canal auditivo.
A infecção pode afectar todo o canal, como na otite externa generalizada, ou apenas uma zona reduzida, como por exemplo um furúnculo. A otite externa, por vezes chamada mal do nadador, é mais frequente durante o Verão, quando se pratica natação.

Causas

Um certo número de bactérias ou, raramente, de fungos pode causar uma otite externa generalizada. Algumas pessoas, como as que sofrem de alergias, psoríase, eczema ou dermatite do couro cabeludo, são particularmente propensas a contrair uma otite externa. As lesões provocadas no canal auditivo, quer ao limpá-lo, quer por causa da entrada de água ou de substâncias ou irritativas podem levar a otite.


Sintomas

Os sintomas da otite externa generalizada são coçeira, dor e uma secreção malcheirosa. Se o canal auditivo inchar ou se encher de pus e de resíduos, a audição piora. Em geral, o canal dói se se puxar o ouvido externo (orelha) ou se se exercer pressão sobre a prega de pele que se encontra em frente ao canal. Quando se observa o interior do canal auditivo através de um otoscópio (um instrumento para visualizar o canal e o tímpano), vê-se que a pele do canal está vermelha, edemaciada e coberta de pus e de resíduos.

Tratamento

Procure o seu médico para avaliar e recomendar o melhor tratamento para a otite, não se automedique, lembre-se o melhor tratamento é feito pelo seu médico de confiança.