Sabemos que Deus age em todas as coisas para o bem daqueles que o amam, dos que foram chamados de acordo com o seu propósito.
Romanos 8:28

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

Saiba mais sobre a doença Gonorréia


A Gonorréia é uma doença infecciosa do trato genital, de transmissão sexual, que pode determinar desde infecção assintomática (sem sintomas) até doença que se manifesta com vários sintomas e pode causar até a morte. É apresentada de forma completamente diferente no homem e na mulher.
Gonorréia no homem - Consiste em um dos tipos mais freqüentes de uretrite masculina do qual o sintoma mais precoce é uma sensação de prurido (coçeira) na fossa navicular (inicio da uretra/ - uretra -> local onde sai a urina) que vai se estendendo para toda a uretra. Após 1 a 3 dias, o doente já se queixa de ardência ao urinar,seguida por corrimento, inicialmente mucóide que, com o tempo, vai se tornando, mais abundante e purulento. Em alguns pacientes, pode haver febre e outras manifestações de infecção aguda sistêmica. Se não houver tratamento, ou se esse for tardio ou inadequado, o processo se propaga ao restante da uretra, com o aparecimento de polaciúria (é o ato de urinar várias vezes em pequena quantidade) e sensação de peso no períneo; raramente observa-se hematúria (urina com sangue) no final da micção (ato de urinar).
Gonorréia na mulher - Embora a infecção seja sem sintomas na maioria dos casos, quando a infecção é aparente, manifesta-se sob a forma
de cervicite (inflamação do colo do útero) que, se não for tratada corretamente, resulta em sérias complicações. Uma cervicite gonocócica prolongada, sem tratamento adequado, pode se estender ao endométrio e às trompas, causando doença inflamatória pélvica, esterilidade, gravidez ectópica e dor pélvica crônica são as principais seqüelas dessas infecções.Em razão disso, é importante, como rotina, avaliação criteriosa de riscos mediante realização da anamnese e sinais clínicos observáveis ao exame ginecológico. Alguns sintomas genitais leves, como corrimento vaginal, dispareunia ou disúria (sensação de dor genital durante o ato sexual), são freqüentes na presença de cervicite mucopurulenta. O colo uterino pode ficar edemaciado (inchado), sangrando facilmente ao toque da espátula. Verifica-se presença de mucopus no orifício externo do colo. Os recém-nascidos de mães doentes ou portadoras de infecção desta etiologia no cérvice uterino podem apresentar conjuntivite gonocócica devido à contaminação no canal de parto.

Complicações - Dentre as complicações da uretrite gonocócica no
homem destacam-se: balanopostite, prostatite, epididimite, estenose uretral (rara), artrite, meningite, faringite, pielonefrite, miocardite, pericardite, septicemia. A conjuntivite gonocócica em adultos não é um quadro raro e ocorre basicamente por auto-inoculação. Também pode ocorrer a síndrome de Fitz-Hugh-Curtis (peri-hepatite gonocócica) na doença sistêmica. A orquiepididimite poderá provocar diminuição
da fertilidade, levando até mesmo esterilidade. Na mulher, quando a gonorréia não é tratada, a infecção ascendente de trompas e ovários pode caracterizar a chamada doença inflamatória pélvica , a mais importante complicação da infecção gonocócica na mulher. A DIP pode estar relacionada com endometrite, salpingite e peritonite.
Alterações tubárias podem ocorrer como complicação dessa infecção, levando 10% dos casos à oclusão das trompas de falópio e à infertilidade. Naqueles casos onde não ocorre obstrução, o risco de desenvolvimento de gravidez ectópica é bastante elevado.
Diagnóstico - Clínico, epidemiológico e laboratorial. Esse último é
feito pela coloração de Gram ou pelos métodos de cultivo. No exame bacterioscópio dos esfregaços, devem ser observados diplococos gram-negativos, arranjados aos pares. Thayer-Martin é o meio específico para a cultura. Pode-se utilizar também métodos de amplificação de ácidos nucléicos, como a ligase chain reaction, mas têm custos mais elevados, quando comparados com o gram e a cultura.
Caso você tenha algum desses sintomas procure seu médico, ou posto de saúde mais próximo pois pode ter indicios de apresentar uma gonorréia ou qualquer outra doença sexualmente transmissível.

-Sempre lembre-se use preservativos em todas as relações sexuais
-A gonorréia tem cura, é só seguir o tratamento corretamente e sem interrupções
-O diálogo é um ótimo tratamento entre os casais, sempre conversem, e sempre lembrem-se o tratamento é para os dois!

fonte: Doenças infecciosas e parasitárias: guia de bolso / Ministério da Saúde, Secretaria de Vigilância em Saúde, Departamento de Vigilância Epidemiológica. – 7. ed. rev. – Brasília:Ministério da Saúde, 2008.372 p.: Il.