Sabemos que Deus age em todas as coisas para o bem daqueles que o amam, dos que foram chamados de acordo com o seu propósito.
Romanos 8:28

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

CHOQUE SÉPTICO

CHOQUE SÉPTICO O choque séptico é definido como infecção com hipotermia ou hipertermia, taquicardia (que pode estar ausente com o advento da hipotermia), e alteração do estado neurológico, na presença de pelo menos um sinal entre os seguintes: diminuição dos pulsos periféricos, enchimento capilar prolongado > 2 segundos (choque frio) ou enchimento capilar rápido (choque quente), extremidades frias ou mosqueadas (choque frio) e diminuição do débito urinário menor que 1 ml/kg/h. A hipotensão é observada mais frequentemente na descompensação tardia.
Foi observado que, diferentemente dos adultos chocados que apresentam predominantemente alto débito cardíaco e baixa resistência vascular, crianças com choque refratário a fluidos ou resistente a dopamina apresentam diversos estados hemodinâmicos. Incluem-se: baixo débito cardíaco/alta resistência vascular sistêmica (60%), baixo débito cardíaco/baixa resistência vascular (20%) e alto débito cardíaco/baixa resistência vascular (20%). A morte na criança costuma ser mais associada à insuficiência cardíaca progressiva e não à insuficiência vascular, como em adultos. Crianças são frequentemente insensíveis a dopamina e dobutamina e podem responder à adrenalina no caso de choque refratário. Embora esses autores não tenham estudado recém-nascidos, observa-se em seu trabalho que quanto mais nova e menor a criança, maior a chance de que ela venha apresentar o padrão de baixo débito e alta resistência periférica. Especula-se que um fator determinante seja o pequeno diâmetro dos vasos periféricos. Os neonatos têm dificuldade de aumentar o seu próprio débito cardíaco, devido a uma frequência cardíaca (FC) de base elevada, eventuais alterações na volemia e diminuição da contratilidade cardíaca por outros fatores além do choque séptico, como, por exemplo, asfixia. Estendendo-se o raciocínio, o recém-nascido (RN) seria um modelo por excelência do choque séptico com padrão infantil, ou seja, baixo débito cardíaco e alta resistência
periférica.

Quer realizar o download do material completo, acesse: http://www.scribd.com/doc/13920929/CHOQUE-SEPTICO