Sabemos que Deus age em todas as coisas para o bem daqueles que o amam, dos que foram chamados de acordo com o seu propósito.
Romanos 8:28

segunda-feira, 5 de julho de 2010

Técnicos do Samu participam de capacitação para operar motolância


Os técnicos do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência Rio Grande (Samu 192) deverão passar por uma capacitação para operar a motocicleta recebida há duas semanas do governo do Estado. A chamada motolância deverá dar mais agilidade ao serviço prestado pelo Samu na cidade.
De acordo com o coordenador municipal das Urgências da Secretaria Municipal da Saúde (SMS) e coordenador do Samu Rio Grande, Maicon Lemos, a partir do próximo dia 12 de julho, os profissionais que irão operar a moto deverão ser submetidos a um curso de capacitação de 60 horas/aula. O treinamento será ministrado, em Canoas, por servidores da Polícia Rodoviária Federal (PRF). Esses policiais, por sua vez, foram capacitados em São Paulo.
Concluída esta etapa, os técnicos rio-grandinos estarão aptos a dirigir a motolância. Os servidores rio-grandinos serão capacitados junto com os profissionais de Pelotas. As duas cidades serão as próximas no Rio Grande do Sul a contar com o serviço de motolância do Samu. Atualmente, apenas Porto Alegre dispõe de tal veículo.
Lemos revelou que a motolância irá trabalhar das 7h às 19h, em apoio nos horários de pico às atuais ambulâncias do serviço. Observou que ela será um grande instrumento facilitador às unidades terrestres, pois a moto diminui o tempo de resposta - período que o socorro leva até chegar ao local da solicitação. "Estudos da funcionalidade da motolância em outras regiões do País apontam que ela tem uma otimização de tempo de três a cinco minutos antes da chegada da ambulância", comentou.
O coordenador destacou ainda que este tempo pode ser crucial no socorro a uma vítima, em especial em situações de acidente de trânsito. "Estes minutos economizados podem salvar a vida de um paciente", finalizou. Atualmente, as motos são utilizadas pelas equipes do Samu 192, principalmente no eixo Rio/São Paulo e no Nordeste, bem como na Bahia.

fonte: http://www.revistaemergencia.com.br/site/content/noticias/noticia_detalhe.php?id=JyyJAQyJ