Sabemos que Deus age em todas as coisas para o bem daqueles que o amam, dos que foram chamados de acordo com o seu propósito.
Romanos 8:28

sábado, 19 de junho de 2010

Samu tem aumento de 128% nas chamadas após jogo do BRASIL

As comemorações da vitória do Brasil no jogo de estreia na Copa do Mundo, nesta terça-feira, 15, causaram um aumento de 128% no número total de ligações recebidas pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu 192). Foram registradas 662 chamadas entre 17h30 e meia-noite deste dia, enquanto que na segunda-feira, 14, no mesmo intervalo, foram 290 ligações recebidas.
No dia do jogo, o número de chamadas reguladas pelos médicos plantonistas teve um aumento de 382%, ou seja, este tipo de atendimento quase que quintuplicou nas horas que sucederam a partida. Foram realizadas 376 regulações, contra 78 no mesmo horário do dia anterior.
Na terça-feira, 15, foram feitos 47 envios de ambulância. Os motivos dos atendimentos foram diversos, sendo que a maioria foi de acidentes de moto, 13, agressões físicas (sete) e quedas (cinco). Também houve atendimentos clínicos, obstétricos, psiquiátricos e outros.

Trotes

O número de trotes manteve a mesma média nos dois dias (segunda e terça), 203 e 218, respectivamente. Mas ainda preocupa, pois, segundo a coordenadora do Samu 192, Engre Beilke, linha ocupada durante um trote pode significar um paciente sem atendimento. "As ligações indevidas acabam ocupando nossas linhas telefônicas e isso pode trazer algumas dificuldades, como atraso no atendimento de quem realmente precisa do serviço", afirma ela.
A coordenadora lembra que o Samu 192 é um serviço que atende somente os casos de urgência e emergência, que são os que podem promover um risco de morte para a pessoa ou de sequela irreparável, como: traumas por acidentes, vítimas de arma branca ou arma de fogo, queda por altura, paradas respiratórias e crises convulsivas. Ou seja, pessoas que necessitam de socorro imediato. "Vale esclarecer que os municípios possuem ambulâncias para o transporte sanitário para os casos menos urgentes", informa Engre.

Manter a calma durante a ligação

Outro problema apontado por ela é a dificuldade de algumas pessoas que acionam o serviço em repassar as informações necessárias. "Precisamos do apoio da população, que deve manter-se calma e passar o máximo de informações possível. Quanto mais calma a pessoa se mantiver, mais rápido o médico define se o caso é de envio de ambulância e de qual tipo: unidade de suporte básico ou avançado", esclarece a coordenadora.
De acordo com Engre, se o familiar ou a pessoa que fez a ligação estiver muito nervoso, é recomendável que ele passe o telefone para alguém que esteja mais calmo e em condições de receber as primeiras orientações. Enquanto a ambulância é encaminhada ao local, o médico regulador continua a passar instruções para amparar a vítima.


fonte: http://www.revistaemergencia.com.br/site/content/noticias/noticia_detalhe.php?id=JyyAAJjy