Sabemos que Deus age em todas as coisas para o bem daqueles que o amam, dos que foram chamados de acordo com o seu propósito.
Romanos 8:28

sábado, 29 de maio de 2010

Saúde do homem: Projeto do deputado Ruy Muniz vira lei estadual


Após ser aprovado em Plenário da Assembleia Legislativa de Minas Gerais, o Projeto de Lei, do deputado Ruy Muniz, que institui a Política Estadual da Saúde do Homem, foi enviado para o governador Antônio Anastásia que promulgou a lei que beneficiará, a partir de agora, todos os mineiros. O objetivo principal é promover a melhoria das condições de vida da população masculina e reduzir a morbidade e a mortalidade entre os homens.A política será implementada no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS) e seguirá os princípios gerais adotados pelo SUS, mas garantindo também a promoção e a proteção da saúde do homem em conformidade com suas peculiaridades socioculturais. A nova lei teve cinco artigos explicando todo o seu funcionamento.
Conforme o projeto inicial, uma das diretrizes é a integração do homem à rede de serviços do SUS; a priorização da atenção básica desenvolvida pelo Programa de Saúde de Família (PSF); a integração da política de atenção integral à saúde do homem às demais políticas, estratégias e ações do SUS; a articulação de diversas áreas do governo e da sociedade e a inclusão do enfoque de gênero, orientação sexual e identidade de gênero nas ações socioeducativas.
Ruy Muniz informou que os objetivos dessa política são contribuir para a mudança da percepção do homem em relação à sua saúde e a de sua família; estimular a participação da população masculina nas atividades de prevenção de doenças comuns no homem; implantar a atenção à saúde sexual e reprodutiva dos homens; e estimular, na população masculina, o cuidado com sua própria saúde. “Muito se fala da saúde da mulher, do idoso e da criança. Mas nunca em uma política de saúde voltada para a saúde do homem. Com a criação da lei, o Governo de Minas vai ter que fazer uma política específica de atenção à saúde do homem e promover ações como comunicação, promoção à saúde, expansão dos serviços, qualificação de profissionais e investimento na estrutura da rede pública”.
O parlamentar, que também é médico e sempre se preocupou com a saúde da população, disse que “essa política de saúde específica para o homem, parte da constatação de que os homens, por uma série de questões culturais e educacionais, só procuram o serviço de saúde quando perderam sua capacidade de trabalho. Com isso, perde-se um tempo precioso de diagnóstico precoce ou de prevenção, já que chegam ao serviço de saúde em situações limite”.
Segundo do deputado, em geral, os homens têm medo de descobrir que estão doentes e acham que nunca vão adoecer, por isso não se cuidam. Não procuram os serviços de saúde e são menos sensíveis às políticas. Isso coloca um desafio ao governo mineiro e ao SUS, já que vai exigir do sistema mudanças estruturais para que o sistema esteja mais sensível, inclusive com o treinamento de profissionais para que olhem de forma mais atenta a essa população”, conclui Ruy Muniz.


fonte: http://www.onorte.net/noticias.php?id=27976