"Orem também para que Deus nos livre das pessoas más e perversas, pois nem todos creem na mensagem. Mas o Senhor Jesus é fiel. Ele lhe dará forças e os livrará do maligno." 2 Tessalonicenses 3 2-3

segunda-feira, 8 de março de 2010

TRIAGEM DE VÍTIMAS


Que é triagem de vítima?
É a forma médica de classificação do estado em que se encontram as vítimas de um grande acidente, com o objetivo de salvar o máximo possível de vidas dentro de um critério de escolha universal de resgate.

Como fazer esta triagem?
Geralmente ela é feita por médicos que analisam o estado de cada vítima após o acidente e é classificado pelo sistema de cores usado pelo socorrista, como uma escala de sobrevivência. No pulso destes acidentados são colocados separadores de triagem ou kit de triagem, anotando inicialmente a classificação.

Quais são as cores usadas nestes kits (braceletes)?
A-) Verde - Estado bom. Pode aguardar atendimento de pequenos ferimentos.
B-) Amarelo - Estado que merece uma atenção mais urgente que o verde. Geralmente é feito o processo de imobilização provisória e outros procedimentos.
C-) Azul - Estado dispensado de atendimento, poderá ter alta imediatamente.
D-) Vermelho - Estado de atenção imediata, pode morrer a qualquer instante. Tem prioridade sobre os demais.
E-) Preto - Estado de morte ou pré-falecimento. Nada poderá ser feito. Só aguardar remoções.

Como fazer no caso de remoções imediata?
Após análise e colocação de bracelete de cores, o médico que fez os atendimentos urgentes, principalmente no vermelho e no amarelo, encaminha as vítimas para remoção imediata aos hospitais. Para orientar, este médico colocará no pescoço da vítima uma ficha da sua avaliação e triagem, para que os outros médicos que forem receber em hospitais e centros cirúrgicos, já tenham as primeiras informações: nome, estado de saúde, procedimentos já efetuados, etc.

Como pessoas podem ajudar na remoção de vítimas?
A indicação é o melhor meio de comunicação. Geralmente o médico possui um kit completo de triagem, com mantas em cores para serem estendidas ao chão, bem como bandeirinhas em cores de resgate para serem vistas de longe. As vítimas estarão separadas e já terão recebidos os primeiros socorros. (vide acima descrição das cores)

Se não houver médico no local, o que fazer?
Nestas horas é que valem os treinamentos e cursos de traumas. Deve-se usar o bom senso: primeiro chamando o resgate, mantendo a calma e observando os acidentados, aplicando-lhe o método universal de resgate, ou seja o método de "A"-"B"-"C"; procurando fazer uma separação, imobilizando o que puder e tentando um meio urgente de remoção para os acidentados mais precários, levando-os até o hospital mais próximo. Mas lembre-se, você não é médico, mas não poderá deixar o seu próximo sem socorro. Se tiver treinamento de resgate, vale a pena aplicá-los para auxiliar o profissional médico, mas se não tiver, tente buscar médicos o mais próximo e rápido possível.

Existe um estudo aplicado em acidente em geral sobre quanto representa os tipos de acidentados.

ESTATÍSTICAS:
Difícil estabelecer, cada caso é um caso. Geralmente 40% (quarenta por cento) das vítimas estão em estado azul; 20% (vinte por cento) em amarelo; 20% (vinte por cento) em verde, e os outros 20% (vinte por cento) dividem-se em vermelhos e pretos.

fonte: http://www.marimar.com.br/resgate/curiosidades/curiosidades10.htm

Nenhum comentário:

Postar um comentário