Sabemos que Deus age em todas as coisas para o bem daqueles que o amam, dos que foram chamados de acordo com o seu propósito.
Romanos 8:28

sexta-feira, 26 de março de 2010

Lula entrega 650 ambulancias do Samu em Tatui

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva esteve neta quinta-feira, 25, em Tatuí, na sede da Rontan, participando da entrega de 650 ambulâncias do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU-192) para 573 cidades brasileiras, entre elas Botucatu, que recebeu a primeira “Unidade de Suporte Básico”, modelo mais simples do SAMU.
Em julho está previsto a entrega da Unidade de Suporte Avançado. Vinte e sete estados foram beneficiados com ambulâncias, sendo que São Paulo está entre os que mais receberam (117), acompanhado pela Bahia, (182), Minas Gerais, (169), Rio de Janeiro,(160) e Goiás, (128).
A cerimônia reuniu o primeiro escalão da República: O Presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o Presidente da Câmara Federal Michel Temer, (eventual vice de Dilma Rousseff, político da região de Tietê), o Governador de São Paulo, José Serra e os Ministros da Saúde José Gomes Temporão e Dilma Rousseff, da Casa Civil, além do Senador Aluizio Mercadante.
O evento, além de destinar ambulâncias para todos os estados brasileiros, colocou lado a lado pela primeira vez os presidenciáveis Dilma Rousselff, (PT), Ministra da Casa Civil e José Serra, (PSDB), Governador de São Paulo, depois de ele assumir, na semana passada, que disputaria a eleição presidencial.
Serra e o presidente Lula trocaram comentários diversas vezes, porém Serra e Dilma, pouco se falaram. Ambos conversaram duas vezes, sendo a mais longa, durante o discurso de Lula.
Acompanharam a entrega das viaturas dez deputados federais, um senador, sete deputados estaduais, (a maioria do PT) e mais de 15 prefeitos.
De Botucatu estiveram o prefeito João Cury Neto (PSDB) e os vereadores Lelo Pagani e Benedito Gamito (ambos do PT), que representaram o Legislativo.
Visivelmente mais a vontade no palanque, a Ministra Dilma abriu um longo sorriso, olhando para a multidão de aproximadamente três mil pessoas, cinco minutos depois de iniciado o protocolo, quando o prefeito de Tatuí, Luiz Gonzaga Vieira de Camargo, fazia o primeiro discurso citando o “livro dos livros” e disse que “há tempo para plantar e tempo para colher”.
Do meio da platéia um operário da Rontan citou a fonte: “Está em Eclesiastes!”.
O governador de São Paulo José Serra destacou que o SUS é o maior e melhor sistema de saúde do mundo. Embora tenha emplacado comentários do presidente Lula em relação ao seu discurso, o governador estava visivelmente tenso. Ao cumprimentar o presidente da Rontan João Roberto Bonzan, corinthiano declarado “como o presidente”, tentou estimular os palmeirenses. Foi um dos poucos momentos em que sorriu.
Serra ainda teve de enfrentar protestos de petistas e prefeitos aliados do Governo Federal, que criticavam a presença dele na cerimônia. Geraldo Macedo, professor estadual e vice-prefeito de Itapetininga, era um que aos gritos protestava dizendo que Serra não teria assinado acordo com o Ministério da Saúde para financiar o SAMU e deveria se retirar do palanque.
O ministro José Gomes Temporão, em entrevista coletiva, disse não saber o motivo de São Paulo não ter assinado o acordo. “São Paulo foi um dos poucos estados brasileiros que não assinou o protocolo de financiamento do SAMU. Não sei o motivo e não tenho aqui, dados para informar quantos estados no Brasil não assinaram o protocolo”.
Temporão contou que onde não houve adesão de financiamento dos Estados, as parcerias foram feitas diretamente com os municípios.
“Os 117 municípios de São Paulo estão fazendo parceria direta com o Ministério da Saúde para adquirirem o Serviço de Atendimento Móvel e para as Unidades de Pronto Atendimentos, que funcionam 24 horas para atendimento de casos de pressão e febre alta, fraturas, infartos e derrames (AVCs)” afirmou.
[com diario da serra/entrelinhas]

25-03-2010

fonte: http://www.entrelinhas.com/portal/index.php?CAT=18&DET=14007