Aqui você encontra informações sobre primeiros socorros, atendimento pré hospitalar, entre outros de maneira simples e fácil de entender, visite as páginas, se precisar de alguma ajuda, informação, sugestão, parcerias, entre em contato através do e-mail t.enfermagemresgate@gmail.com.
Um abraço e fiquem com Deus
Thais

quarta-feira, 7 de outubro de 2009

Histórico Atendimento Pré-Hospitalar


A necessidade de um atendimento pré-hospitalar começou nos campos de batalha com o transporte do ferido, permitindo o tratamento médico fora da zona de combate. Os soldados eram transportados em carroças de tração animal, para receberem o atendimento médico longe dos conflitos.
Dominique Larrey, cirurgião e chefe militar, em 1972 começa prestar os primeiros cuidados aos soldados feridos no próprio campo de batalha com a finalidade de prevenir possíveis complicações.
Esse tipo de atendimento aos soldados no campo de batalha continuou até a formação da Cruz Vermelha Internacional, em 1863, cujo objetivo era prover o atendimento do ferido o mais breve possível.
Na I e II Guerras Mundiais e nas Guerras do Vietnã e da Coréia, as enfermeiras tiveram sua presença marcada ativamente no atendimento aos soldados feridos.
Em 1953, no EUA, foram desenvolvidas as primeiras técnicas de respiração artificial, sendo que, três anos mais tarde surge o primeiro desfibrilador para tórax fechado.
O primeiro projeta de SAMU (Serviço Atendimento Móvel de Urgência) foi criado em 1964, no mesmo ano foi decretado à obrigação de 240 hospitais a possuírem ambulâncias de reanimação tripuladas por médico e enfermeiro (SMUR – serviço móvel de urgência e reanimação). No ano seguinte é desenvolvido o conceito de unidade móvel de terapia intensiva.
No Brasil, em 1949, há a criação do SAMDU (Serviço de Assistência Médica Domiciliar de Urgência) em São Paulo. Em 1986 há a implantação do GSE (1º Grupamento de Socorro e Emergência do Corpo de Bombeiros), no Rio de Janeiro.
Na década de 80, o Estado de São Paulo já utilizava um serviço destinado ao atendimento as urgências e emergências, o “192”, número telefônico pelo qual se chamava o serviço, pertencente à Secretaria Municipal de São Paulo.
No início dos anos 90 o serviço de APH (Atendimento Pré Hospitalar) é direcionado para o trauma no Corpo de Bombeiros, que são moldados a partir do modelo norte-americano. Em 1996, na cidade de Ribeirão Preto-SP, é implantado o SAMU, a partir do modelo francês.
O atendimento pré-hospitalar, em assim sendo, consiste num conjunto de medidas e procedimentos cientificamente comprovados, pré-estabelecidos e eficazes, executados no lapso temporal compreendido entre o instante em que ocorre um acidente, até a chegada da vítima à unidade hospitalar.

Escrito por Thais e Mariana.